Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5212
Title: Etnobotânica em Comunidades Pesqueiras no Litoral de Linhares, Es, Brasil
metadata.dc.creator: Jesus, Marilena Cordeiro Fernandes de
Issue Date: 13-Feb-2012
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: JESUS, M. C. F., Etnobotânica em Comunidades Pesqueiras no Litoral de Linhares, Es, Brasil
Abstract: Etnobotânica é definida como o estudo do conhecimento e das conceituações desenvolvidas por qualquer sociedade a respeito do mundo vegetal, englobando tanto a maneira como o grupo social classifica as plantas, como seus usos. O Brasil que é megadiverso, possui cerca de 40.982 espécies da flora e nada menos que 218 povos indígenas, somando uma população aproximada de 350 mil pessoas. Uma das vertentes da etnobotânica é o levantamento das espécies utilizadas pelas comunidades tradicionais. Tal levantamento pode servir como base para a elaboração de modelos sustentáveis uma vez que ambientes naturais como a Floresta Atlântica brasileira, e seus ambientes costeiros, vem sendo ameaçada há muito anos, tendo sua cobertura vegetal original sido drasticamente diminuída. Sendo assim, esse trabalho teve como objetivo realizar o levantamento das espécies conhecidas e utilizadas pelas comunidades de Pontal do Ipiranga e Degredo visando gerar dados que contribuam para a conservação dos remanescentes florestais e os saberes a eles associados. O trabalho foi realizado em Pontal do Ipiranga e Degredo, ambos localizados em Linhares, ES em área de restinga que vem sendo devastada pela ação humana. Para o levantamento, foram realizadas excursões entre março de 2010 a agosto de 2011 com entrevistas, turnê guiada e coleta do material botânico. Os dados obtidos em campo foram sintetizados e análises qualitativas e quantitativas, tais como valor de uso das espécies e índice de diversidade, foram realizadas. Três informantes, duas mulheres em Pontal do Ipiranga e um homem em Degredo foram identificados através do método Bola de Neve. Além desses, 57 pessoas escolhidas aleatoriamente em ambas as localidades, foram entrevistadas. Como resultados foram levantadas no total 85 espécies pertencentes 67 gêneros e 39 famílias para as duas localidades. As famílias com maior número de espécies citadas foram Fabaceae e Myrtaceae e as categorias de uso mais representativas foram medicinal, alimentar, tecnologia e ornamental. A categoria ritualística só foi registrada em Pontal e melífera somente em Degredo. O hábito mais freqüente das espécies em Pontal do Ipiranga foi erva e em Degredo foi arbusto e as partes mais utilizadas foram frutos, flores e caule. As espécies com maior valor de uso foram Anacardium occidentale L. e Eugenia uniflora L. com 1,17 e 0,98 respectivamente. O índice de diversidade de conhecimento etnobotânico das comunidades de Pontal do Ipiranga e Degredo foi 1,67 na base 10, considerado baixo em relação a outros trabalhos. As principais conclusões do trabalho são que os informantes locais, apesar de em número reduzido, podem ser reconhecidos como especialistas nas comunidades; as comunidades conhecem pouco as espécies nativas mais restritas; há espécies, que além de úteis para as comunidades, encontram-se em risco de extinção e que é fundamental a criação de uma Unidade de Conservação em Pontal do Ipiranga e Degredo.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5212
Appears in Collections:PPGBT - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_5363_Marilena_Dissertação Jesus M C F .pdf6.39 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.