Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5379
Title: Análise de Custo da Infecção Hospitalar em Unidade de Terapia Intensiva no Espírito Santo.
metadata.dc.creator: RODRIGUES, A. L. L.
Keywords: Controle de Infecção Hospitalar;
Issue Date: 28-Sep-2007
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: RODRIGUES, A. L. L., Análise de Custo da Infecção Hospitalar em Unidade de Terapia Intensiva no Espírito Santo.
Abstract: As infecções adquiridas em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) apresentam alta incidência, gerando repercussões sobre custos e mortalidade e, no Estado do Espírito Santo (ES), não existem informações disponíveis sobre o impacto econômico das infecções hospitalares em UTIs. O estudo objetiva estimar o custo das três principais infecções em UTIs destinadas a tratamento de pacientes adultos no ES infecções urinárias, pneumonias e infecções de corrente sanguínea. É uma pesquisa tipo casocontrole, com amostra de 97 casos de infecção hospitalar (IH), notificados, durante o período de 01 de julho de 2004 a 31 de dezembro de 2005, pelas Comissões de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) de três hospitais da rede pública. Os casos foram pareados por sexo, idade, número de diagnósticos e índice de gravidade APACHE II à admissão nas UTIs, com 97 controles que não apresentaram infecção no período. A análise dos custos diretos das infecções nas UTIs considerou três variáveis: permanência extra na UTI, consumo de antimicrobianos e realização de exames microbiológicos. Ao se comparar os casos de infecção com seus controles, observou-se que, em média, a permanência hospitalar adicional foi 18 dias para os casos, que consumiram 2,4 mais doses diárias definidas (DDD) de antimicrobianos e realizaram mais 3,8 exames microbiológicos por paciente, durante a internação (p=0,000). No total, a estimativa da média do custo da internação hospitalar, nos dois grupos, demonstrou um custo extra de US$ 2.241, 35 (p=0,05), sendo as diárias de UTI o fator mais oneroso. Nos três tipos de infecção estudados, o maior excesso de custos foi observado para os casos de pneumonia, com média US$ 2.801,14 por paciente. Conclui-se que as infecções adquiridas em UTIs aumentaram a permanência dos pacientes e o consumo de antimicrobianos em hospitais públicos no Estado do Espírito Santo.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5379
Appears in Collections:PPGASC - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_2516_2005_Angela Lourenço Lopes Rodrigues.pdf650.77 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.