Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5442
Title: Avaliação do Risco Cardiovascular e Ações de Saúde em Hipertensos Atendidos em uma Unidade de Saúde da Família de Vitória - ES
metadata.dc.creator: SILVA, V. R.
Issue Date: 13-Aug-2010
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: SILVA, V. R., Avaliação do Risco Cardiovascular e Ações de Saúde em Hipertensos Atendidos em uma Unidade de Saúde da Família de Vitória - ES
Abstract: As doenças cardiovasculares (DCV) constituem a principal causa de morte em todo o mundo, principalmente devido ao evento coronariano agudo e ao acidente vascular encefálico, e os fatores de risco para as DCV devem ser conhecidos, monitorados e tratados. A classificação do risco cardiovascular é útil para esse monitoramento, e a escala de Framingham é um dos instrumentos utilizados para essa classificação. Objetivo: avaliar o risco para desenvolvimento de evento coronariano agudo de acordo com os critérios de Framingham e as ações de saúde realizadas em hipertensos atendidos na Unidade de Saúde da Família de Maruípe, em Vitória, ES. Material e Métodos: estudo observacional, de corte transversal com 330 hipertensos. O cálculo da amostra considerou prevalência de 50% e população de 2676 sujeitos. Os dados foram coletados dos prontuários e as variáveis constituíram o risco coronariano e aquelas utilizadas para cálculo desse risco - sexo, idade, tabagismo, colesterol total, HDL-colesterol, diabetes mellitus, pressão arterial - e variáveis relacionadas às ações de saúde desenvolvidas com os hipertensos. Para comparar o risco coronariano com os fatores de risco estudados, foi utilizado o teste qui-quadrado; para a comparação da pressão arterial, foram utilizados ANOVA e o teste t pareado, e para determinar os fatores mais relevantes para o risco coronariano, utilizou-se a regressão logística, todos com nível de significância 5%. Resultados: apresentaram baixo risco de infarto ou morte por doença coronariana, nos próximos 10 anos, 115 (34,8%), médio risco, 67 (20,4%) e alto risco, 148 (44,8%) sujeitos. As variáveis utilizadas pelo escore de Framingham se mostraram significantemente associadas ao risco coronariano, e aquelas que se mantiveram no modelo de regressão logística foram: a idade (RC=1,04 IC95%1,02- 1,06; p 0,000); o tabagismo (RC=1,98 IC95% 0,99-3,94; p 0,051); a pressão arterial sistólica (RC= 1,02 IC95%1,01-1,03; p 0,000) e o HDL-c (RC= 0,96 IC95%0,94-0,98; p 0,000). Conclusão: O estudo permitiu conhecer o risco e a contribuição de alguns fatores sobre esse risco; discussões sobre o cuidado prestado e a organização de uma Unidade de Saúde da Família. O uso da classificação de risco de Framingham ajuda nessa organização e na intervenção terapêutica e é de fácil utilização na prática clínica.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5442
Appears in Collections:PPGASC - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File SizeFormat 
tese_4056_.pdf341.49 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.