Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5478
Title: CÂNCER EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES NO HOSPITAL DE REFERÊNCIA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO: uma análise de 25 anos
metadata.dc.creator: FIGUEIREDO, G. P. Z.
Issue Date: 4-Apr-2012
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: FIGUEIREDO, G. P. Z., CÂNCER EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES NO HOSPITAL DE REFERÊNCIA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO: uma análise de 25 anos
Abstract: Introdução: O câncer em menores de 19 anos apresenta grande potencial de cura, com mais de 80% de sobrevida acima de cinco anos em países ricos. Entretanto, emerge como uma das principais causas de morte nessa faixa etária. Dados populacionais do câncer infanto-juvenil são precários no estado do Espírito Santo, e os hospitalares inexistem. Objetivos: A pesquisa visa a conhecer as características dos portadores de câncer em menores de 19 anos admitidos entre 1986 e 2010 no centro de referência do Espírito Santo e relacionar as variáveis demográficas com o tipo e extensão da doença; analisar a sobrevida geral e por categorias em pelo menos cinco anos, em relação a variáveis demográficas, grupos das doenças, subgrupos mais frequentes e estadiamento daqueles admitidos entre janeiro de 2000 e dezembro de 2005. Métodos: A metodologia compreende o cálculo de frequências absolutas e percentuais, o cruzamento entre as variáveis do estudo por meio dos testes qui-quadrado de associação; a determinação da sobrevida pelo método Kaplan-Meier; a verificação do efeito independente das variáveis pelo modelo multivariado de riscos proporcionais de Cox e testes de significância estatística pelo método log-rank. Resultados: A análise de 25 anos apresenta 2.012 casos novos, prevalência das idades de 2, 3 e 4 anos e de meninos (56%). As leucemias predominam (32%), seguidas pelos linfomas (20%) e pelos tumores do sistema nervoso central (14%). A doença avançada prevalece com 66% dos casos. A análise de sobrevida constitui-se de 571 casos com 57% de sobrevida em cinco anos. Os fatores de risco para morte constituem-se em sexo masculino, idades acima de 4 anos e menores de 1 ano, tumores de sistema nervoso central e doença avançada. Conclusões: O perfil de distribuição dos grupos e subgrupos e as características de seus portadores são semelhantes aos de estudos populacionais de regiões em desenvolvimento. Possivelmente as altas taxas de linfomas se devam ao alto nível de anticorpos antivírus de Epstein-Barr. Atenta para a possibilidade de subdiagnóstico de tumores de sistema nervoso central. A prevalência de tumores em estadio avançado apresenta-se superior aos achados de outros estudos nacionais e estrangeiros. As taxas de sobrevida mostram-se inferiores às estatísticas populacionais dos países desenvolvidos. Os resultados desfavoráveis podem ser atribuídos principalmente ao atraso no diagnóstico. Os resultados são desafiadores e apontam para a necessidade de ações imediatas que objetivem uma mudança do panorama da Oncologia Pediátrica no estado do Espírito Santo e no Brasil.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5478
Appears in Collections:PPGASC - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_5570_.pdf1.22 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.