Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5627
Title: As práticas sociais do binômio cuidador familiar/equipe de saúde em um serviço de assistência domiciliar.
metadata.dc.creator: Borges, Marianne Viana
Keywords: Assistência domiciliar;Simbolismo;Cuidador;Equipe de saúde;Práticas sociais;Home care;Symbolism;Caregiver;Health team;Social practices
Issue Date: 17-Jul-2013
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Abstract: Esse estudo objetivou compreender as articulações entre as interpretações dos aspectos relacionados ao serviço de assistência domiciliar e as práticas sociais dos atores envolvidos, através do seguinte problema de pesquisa: como a interpretação dos aspectos relacionados ao serviço de home care se articula nas práticas sociais dos cuidadores familiares e da equipe de saúde? Para tal, buscou-se embasamento teórico de temas como simbolismo, cultura organizacional, construção social da realidade, relações de poder e organizações de saúde. Sobre o tema simbolismo e suas conexões com a cultura organizacional foram utilizadas contribuições teóricas de autores como Morgan, Frost e Pondy (1983), Aktouf (1994), entre outros. O tema representações sociais foi abordado sob as lentes de contribuição de Doise (2002) e Moscovici (2003b). Para analisar sociologicamente a realidade da vida cotidiana foram utilizadas as contribuições teóricas de Berger e Luckmann (1978). Também foram discutidos aspectos do pensamento analítico do poder, conforme Foucault (1995, 1999, 2000, 2003), convergindo com as contribuições da teoria da construção social da realidade. O tema organizações de saúde foi embasado pelas definições e abordagens teóricas de Erdmann et al (2004), Duarte e Diogo (2000), entre outros. Para a pesquisa, utilizou-se a metodologia qualitativa de investigação, sendo considerados participantes os profissionais assistenciais de nível superior do home care da Unimed Vitória, e os cuidadores familiares dos pacientes atendidos na modalidade de internação domiciliar. A coleta de dados se deu por meio de entrevistas semiestruturadas e grupos focais. A análise dos resultados foi por meio da análise de conteúdo. Dentre os resultados, constataram-se diferenças no atendimento hospitalar e domiciliar, havendo vantagens e desvantagens na comparação de ambos. Essas diferenças refletem pontos de divergência que simbolicamente determinam argumentos considerados favoráveis e desfavoráveis para cada tipo de atendimento. É preciso refletir se os cuidados domiciliares, que estendem a existência do indivíduo resultam em uma conotação simbólica de vida ou sobrevida? Destacou-se também a perda da privacidade dentro da residência, pois a moradia se transforma simbolicamente em um hospital virtual . Esse impacto foi expresso por mudanças nas rotinas de cada núcleo familiar, como mudanças nos âmbitos social, conjugal, físico, emocional e financeiro da família. Foi reconhecida ainda a existência de relações de poder entre equipe de saúde e família, entre integrantes da equipe de saúde e também entre os membros da família. A análise dos resultados ainda apontou a compreensão do conceito de trabalho em equipe pelos profissionais. O reconhecimento desse conceito oportunizou perceber que a cumplicidade entre os membros que atuam nesse trabalho coletivo resulta em construção de símbolos. Os resultados desse estudo evidenciaram que as diferentes representações sociais dos atores permeiam a construção social de cada realidade. Também se constatou que os sinais e símbolos criados na história de cada um, revelaram-se mutáveis, adaptáveis e influenciadores diante de um novo cenário. E ainda que as práticas sociais dos atores envolvidos em um serviço de assistência domiciliar sofrem influência das representações sociais dos grupos envolvidos e dos aspectos simbólicos que permeiam toda a estrutura ao redor
This study aimed to understand the links between the interpretations of aspects related to home care service and social practices of the actors involved, through the following research problem: how to interpret the aspects related to home care service is articulated in the social practices of caregivers family and health care team? To this end, we sought theoretical topics such as symbolism, organizational culture, social construction of reality, power relations and health organizations. On the subject symbolism and its connections with the organizational culture were used theoretical contributions from authors such as Morgan, Frost and Pondy (1983), Aktouf (1994), among others. The theme was social representations approached from lenses contribution Doise (2002) and Moscovici (2003b). To analyze sociologically the reality of everyday life were used theoretical contributions of Berger and Luckmann (1978). We also discuss aspects of analytical thinking power, as Foucault (1995, 1999, 2000, 2003), converging with the contributions of the theory of social construction of reality. The theme was based health organizations with the definitions and theoretical approaches of Erdmann et al (2004), and Diogo Duarte (2000), among others. For research, we used a qualitative research methodology; participants were considered the top-level professional assistance of home care Unimed Vitória, and family caregivers of patients seen in the form of home care. Data collection occurred through semi-structured interviews and focus groups. The analysis was by means of content analysis. Among the results, differences were found in the hospital and home, with advantages and disadvantages when comparing both. These differences reflect differences of opinion that symbolically determine considered arguments for and against each type of care. You need to consider whether the care home, which extend the existence of the individual result in a symbolic connotation of life or survival? Also notable was the loss of privacy in the residence, as housing becomes symbolically in a "virtual hospital". This impact was expressed by changes in routines each family, as changes in the social, marital, physical, emotional and financial family. Was still recognized the existence of power relations between health staff and family, between members of the healthcare team and between family members. The results also pointed to the understanding of the concept of teamwork by professionals. The recognition of this concept provided an opportunity to realize that the complicity between members who work in the collective work results in building symbols. The results of this study showed that different representations of social actors permeate the social construction of each reality. Also found that the signs and symbols created in the history of each, proved changeable, adaptable and influencers before a new scenario. And although the social practices of the actors involved in a home care service are influenced by social representations of the groups involved and the symbolic aspects that permeate the entire structure around
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5627
Appears in Collections:PPGADM - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Marianne Viana Borges.pdf1.18 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.