Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5671
Title: Fatores de risco e proteção para doenças crônicas não transmissíveis entre adventistas do sétimo dia
metadata.dc.creator: Lopes, Leidjaira Juvanhol
Keywords: Estilo de vida;Perfil de saúde;Doença crônica;Fatores de risco;Prevalência;Life style;Health profile;Chronic disease;Risk factors;Prevalence
Issue Date: 20-Sep-2012
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: LOPES, Leidjaira Juvanhol. Fatores de risco e proteção para doenças crônicas não transmissíveis entre adventistas do sétimo dia. 2012. 273 f. Dissertação (Mestrado em Política, Administração e Avaliação em Saúde) - Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2012.
Abstract: O viver saudável de alguns grupos específicos tem despertado o interesse da comunidade científica, e, nesse sentido, destacam-se os Adventistas do Sétimo Dia. O estilo de vida desse grupo consiste em uma associação de hábitos benéficos, como possuir uma dieta saudável, preferencialmente vegetariana, evitar o consumo de café, chá e outras bebidas que contenham estimulantes, ter uma prática regular de atividades físicas, e abster-se de tabaco, álcool e outras drogas. Pesquisas de âmbito internacional têm demonstrado que os Adventistas do Sétimo Dia apresentam menor morbimortalidade e maior longevidade quando comparados à população geral. No Brasil, entretanto, as evidências ainda são escassas. O objetivo desta dissertação consiste em descrever o perfil de saúde dos Adventistas do Sétimo Dia e investigar a prevalência de fatores de risco e proteção para Doenças Crônicas Não Transmissíveis e fatores associados. Através de um delineamento transversal, investigou-se uma amostra probabilística (n=361) da população de Adventistas do Sétimo Dia residentes no município de Vitória/ES, com idade igual ou superior a 30 anos. Utilizou-se um procedimento de amostragem sistemático, com estratificação proporcional por faixa etária. Para a coleta de dados, realizou-se uma etapa de recrutamento por meio de contato telefônico onde foram coletadas informações sobre aspectos sociodemográficos e condições de saúde. Em um segundo momento, aplicou-se um questionário estruturado autopreenchível, sobre aspectos comportamentais, apoio social, religiosidade, além de peso e altura recordados. Os dados foram analisados no programa R e para comparação das proporções utilizou-se o teste chi-quadrado e o teste exato de Fisher. Dos 361 indivíduos entrevistados, a maioria pertence ao sexo feminino (64,0%), possui 12 ou mais anos de estudo (37,5%), declarou-se parda (50,7%) e em união estável (69,5%), não nasceu em família adventista (70,9%), frequenta a igreja semanalmente (86,8%) e dedica-se diariamente a prática de meditação em família (74,8%). A média de idade da população foi de 50,5 anos (DP=14,7) e a de renda familiar per capita de 1,8 salários mínimos (DP=1,4). Sobre o apoio social, encontrou-se um escore médio de 81,33 pontos (DP=17,98). Consumo de leite integral (62%), ingestão de carne com gordura visível (33,2%) e uso de bebida alcoólica na vida (32,6%) foram os fatores de risco mais frequentes, enquanto dentre os fatores de proteção, consumo regular de feijão (81,9%), de verduras e legumes (73,5%), e de frutas (63,1%), apresentaram as mais altas prevalências. De modo geral, comportamentos mais saudáveis foram observados no sexo feminino, e entre indivíduos de maior escolaridade e renda. Pessoas criadas como adventistas apresentaram maior consumo regular de refrigerantes, e menor frequência de consumo de álcool e tabaco na vida. A população estudada apresenta proporções expressivas de hipertensos (27,1%), diabéticos (6,6%) e de indivíduos com excesso de peso (51,8%). A frequência de hipertensão aumentou com a idade, diminuiu com a escolaridade, foi maior entre viúvos, ex-fumantes, diabéticos, pessoas fisicamente inativas e acima do peso, e menor entre consumidores de leite integral. Adventistas em idades mais avançadas, com até oito anos de estudo, viúvos, pertencentes ao primeiro tercil de renda familiar per capita, e que relataram não consumir leite com teor integral de gordura, possuíram maiores prevalências de diabetes. O excesso de peso foi positivamente associado ao hábito de consumir carne com gordura e de tomar refrigerante regularmente, e negativamente ao consumo regular de frutas e ao vegetarianismo. Os resultados apontaram uma diversidade de hábitos de vida relacionados à saúde entre os adventistas estudados, e elevadas prevalências de hipertensão arterial, diabetes e excesso de peso, bem como de determinados fatores de risco comportamentais investigados
The healthy living of some specific groups has aroused the interest of the scientific community, and, accordingly, we highlight the Seventh Day Adventists. The lifestyle of this group consists of a combination of beneficial habits, such as having a healthy diet, rather vegetarian, avoid drinking coffee, tea and other beverages that contain stimulants, have a practice of regular physical activity, and abstain from tobacco, alcohol and other drugs. International researches demonstrated that the Seventh Day Adventists have lower mortality and greater longevity when compared to the general population. In Brazil, however, the evidences are scarce. The objective of this dissertation is to describe the health profile of the Seventh day Adventists and investigate the prevalence of risk factors and protection for Chronic Non-communicable Diseases and associated factors. Through a cross-sectional design, we investigated a probability sample (n = 361) of the population of Seventh day Adventists who live in the city of Vitória / ES (Brazil), aged 30 years old or over. We used a systematic sampling procedure, with proportional stratification by age group. For data collection, there was a stage of recruitment by means of telephone contact, from which information and data on socio-demographic and health conditions were collected. In a second step, we applied an auto-filling structured questionnaire on behavioral aspects, social support, religiosity, and moreover about weight and height. The data were analyzed in the R program and to compare the proportions, we used the chi-square test and the Fisher s exact test. Of the 361 individuals interviewed, most are female (64.0%), have 12 years of education or more (37.5%), declared itself brown(50.7%) and with stable relationship (69.5 %), was not born in Adventist family (70.9%), attends Adventist church weekly (86.8%) and is dedicate itself daily to the meditation practice in family (74.8%).The average age of this population was 50.5 years (SD = 14.7) and with per capita income of 1.8 minimum wages (SD = 1.4). With regard to the social support, we found a mean score of 81.33 points (SD = 17.98). Consumption of whole milk (62%), meat intake with visible fat (33.2%) and use alcoholic drink in the life (32.6%) were the most frequent risk factors, while among the protection factors, regular consumption of beans (81.9%) of greens and vegetables (73.5%) and fruits (63.1%) had the highest prevalence. Generally, healthier behaviors were observed among females, and among individuals with greater schooling and income. People who were raised as Adventists showed higher regular consumption of soft drinks (beverages) and lower frequency of consumption of alcohol and tobacco in life. The study population presented a significant proportion of hypertensive patients (27.1%), diabetics (6.6%) and overweight people (51.8%). The frequency of hypertension increased with age, decreased with education level, was higher among widowed, ex-smokers, diabetics, and people physically inactive and overweight, and lower among consumers of whole milk. Adventists at older ages, with up to eight years of schooling, widowers, belonging to the first third (tertile) of per capita income, and those who reported not drinking milk with full-fat content, had higher prevalence of diabetes. Overweight was positively associated with the habit of consuming meat with fat and take soft drinks regularly, and negatively to the regular consumption of fruits and the vegetarianism. The results showed a diversity of life habits related to health among the Adventists studied, and a high prevalence of arterial hypertension, diabetes and overweight, as well as certain behavioral risk factors investigated
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5671
Appears in Collections:PPGASC - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Leidjaira Juvanhol Lopes.pdf2.91 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.