Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5676
Title: Excesso de peso em crianças de áreas urbana e rural do Espírito Santo: uma análise multinível
metadata.dc.creator: Eto, Fabiola Naomi
Keywords: Sobrepeso;Criança;Zonas urbanas;Zonas rurais;Overweight;Child;Urban zones;Rural zones
Issue Date: 18-Apr-2013
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: ETO, Fabiola Naomi. Excesso de peso em crianças de áreas urbana e rural do Espírito Santo: uma análise multinível. 2013. 128 f. Dissertação (Mestrado em Política, Administração e Avaliação em Saúde) - Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2013.
Abstract: The childhood overweight is a worldwide health problem and is a major challenge for Public Health because of its magnitude and comorbidities, besides of the risk of developing cardiovascular diseases and obesity in adulthood. Researches shows that different familiar, social and environmental situations influence children nutritional status, besides, the modern society context contribute to obesogenic environmental developing and to the continued increase of overweight. The aim of the current study was to analyze the individual, familiar and contextual factors associated with overweight in seven to ten-year-old children from urban and rural municipalities of the State of Espírito Santo. The data was from the SAÚDES Study data base, conducted in two municipalities, Vitória and Santa Maria de Jetibá. Multilevel analysis was performed, adopting three levels of analysis: the first one was referred to the children, the second one to the residence/family and the third to the municipality. The sample consisted of 1748 children, 1236 from urban municipality and 512 from rural. The overweight prevalence (overweight and obesity) was higher in urban children (23.7%) than rural (12.7%). In urban children were found to be directly associated with overweight the maternal educational level (between nine and twelve years of schooling; OR=1.83, p=0.006) and be single child (OR=1.39, p=0.038). In rural children were directly associated with overweight the breakfast skipping (OR=2.30, p=0.046) and maternal educational level (between nine and twelve years of schooling; OR=2.40, p=0.032 and up to twelve years of schooling; OR=2.74, p=0.049). The overweight prevalence in this sample was high and follows the worldwide trend. Overweight was associated with individual and familiar factors, however, regarding the assignment of each level for the overweight prediction, was found that the multilevel model proposed showed no significant differences in the likelihood of children with similar characteristics (in level of residence/family), but residents in different regions, have or have not overweight
O excesso de peso em crianças é um agravo verificado mundialmente e constitui um importante desafio para a Saúde Pública devido a sua magnitude e comorbidades associadas, além do risco do desenvolvimento de doenças cardiovasculares e obesidade na vida adulta. Estudos mostram que diferentes situações familiares, sociais e ambientais influenciam o estado nutricional das crianças, além disso, o contexto da sociedade moderna tem contribuído para o desenvolvimento de um ambiente cada vez mais obesogênico, favorecendo o aumento continuado do excesso peso. O objetivo desse estudo foi analisar os fatores individuais, familiares e contextuais associados ao excesso de peso em crianças de 7 a 10 anos residentes em municípios urbano e rural do Estado do Espírito Santo. Os dados analisados foram provenientes do banco de dados do Estudo SAÚDES, realizado no município de Vitória e Santa Maria de Jetibá. Foi realizada análise de regressão logística multinível, sendo estabelecidos três níveis de análise: o primeiro nível referente à criança, o segundo ao domicílio/família e o terceiro ao município. A amostra foi constituída de 1748 crianças, sendo 1236 oriundas do município urbano e 512 do rural. A prevalência do excesso de peso (sobrepeso e obesidade) foi mais elevada em crianças do município urbano (23,7%) em relação às do rural (12,7%). No município urbano, estiveram diretamente associados ao excesso de peso em crianças o nível médio de escolaridade da mãe (entre 9 e 12 anos de estudo; OR=1,83, p=0,006) e ser filho único (OR=1,39, p=0,038). No município rural foram diretamente associados ao excesso de peso nas crianças o hábito de não realizar desjejum (OR=2,30, p=0,046) e a escolaridade da mãe (de 9 a 12 anos de estudo; OR=2,40, p=0,032 e acima de 12 anos de estudo; OR=2,74, p=0,049). A prevalência de excesso de peso na amostra foi elevada e acompanha tendência observada mundialmente. O excesso de peso se mostrou associado a fatores individuais e familiares, entretanto, em relação à atribuição de cada nível para a predição do excesso de peso, foi constatado que o modelo multinível proposto não evidenciou diferenças significativas na probabilidade de crianças com características semelhantes (em nível de domicílio/família), mas residentes em regiões distintas, terem ou não excesso de peso
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5676
Appears in Collections:PPGASC - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Fabiola Naomi Eto.pdf2.95 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.