Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5695
Title: Mortalidade por raça/cor em Vitória/ES: análise da informação e das desigualdades em saúde
metadata.dc.creator: Fiorio, Nathalia Modenesi
Keywords: Sistemas de Informação;Registros de Mortalidade;Distribuição por Raça ou Cor;Information Systems;Records of mortality;Distribution by Color or Race
Issue Date: 27-Jan-2009
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: FIORIO, Nathalia Modenesi. Mortalidade por raça/cor em Vitória/ES: análise da informação e das desigualdades em saúde. 2009. 108 f. Dissertação (Mestrado em Política, Administração e Avaliação em Saúde) - Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2009.
Abstract: A utilização de dados de mortalidade para análise das condições de saúde da população contribui para o planejamento e avaliação de ações políticas públicas bem como, auxilia na identificação e compreensão das desigualdades em saúde. Para tanto, é essencial que os dados sejam de qualidade garantindo a fidedignidade das informações. As desigualdades em saúde vêm sendo discutidas nas últimas décadas e destacam-se como um problema para a saúde pública, portanto, a identificação de indicadores e variáveis capazes de expor esse problema assume papel fundamental na pesquisa. Com objetivo de analisar as diferenças na mortalidade por causas entre os grupos de raça/cor nos anos de 2003 a 2006 em Vitória/ES foram coletados e analisados dados secundários a partir do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM). O estudo abrange todos os óbitos de pessoas com idade igual ou maior de 15 anos residentes em Vitória/ES entre os anos de 2003 e 2006 (n=7.312). Foi realizada uma análise da completitude da variável raça/cor de 1995, ano de sua implantação no sistema, até 2006. Em seguida, o período de 2003 a 2006 foi selecionado por apresentar linearidade em relação à completitude da variável dependente. As demais variáveis analisadas foram: sexo, faixa etária e causa básica do óbito. As análises bivariadas foram realizadas entre a variável dependente (raça/cor) e variáveis independentes (sexo, faixa etária e causa básica). Para a análise das desigualdades entre as categorias de raça/cor, foram compostos coeficientes de mortalidade proporcional por idade e por causa básica, tendo como denominador o valor estimado a partir do Censo de 2000, realizado pelo IBGE. Além disso, foram analisadas as idades médias e medianas de óbito por causa básica e raça/cor. Por fim, calculou-se o risco relativo por sexo, idade e causa básica. Para a análise das diferenças entre médias foi utilizado o teste ANOVA a uma via, seguido do teste de Tukey. Foi calculado ainda o risco relativo e em ambos o nível de significância adotado foi de p<0,05 e IC95%. Os resultados encontrados apontam aumento da completitude da variável raça/cor no SIM desde sua implantação, passando de 99% (1996) a 16% em 2005. Quanto às causas básicas de óbitos, essas se apresentaram distintas tanto em relação à raça/cor, como entre os sexos e faixas etárias. Entre os negros, quando comparados aos brancos evidenciou-se maior risco relativo de morte para Transtornos mentais e comportamentais, RR- 9,29 (2,14 40,38); Causas mal definidas, RR 8,71 (1,99 38,07); e Causas externas, RR 5,71 (3,83 8,51). Para as mulheres negras, encontraram-se RR- 2,38 (1,15 4,94) para Causas externas e 0,52 (0,35 0,78) para as Neoplasias, sendo este um fator de proteção. Na análise da mortalidade por idade e raça/cor, encontramos uma variação de até 33 anos (Doenças do sistema nervoso). Conclui-se que houve aumento da completitude da variável raça/cor no SIM do município de Vitória, entretanto esforços crescentes precisam ser realizados objetivando o aperfeiçoamento das informações de mortalidade, principalmente no que diz respeito às variáveis sócio-demográficas. Foram detectadas desigualdades raciais/ étnicas na mortalidade geral e por causas, destacando-se a mortalidade por Transtornos Mentais e Causas externas, além da mortalidade precoce que ocorre na população negra, mesmo quando a causa de óbito é a mesma.
The use of mortality data for analysis of the health of the population contributes to the planning and evaluation of public policies and actions, assist in the identification and understanding of inequalities in health. For this it is essential that the data are of quality ensuring the reliability of information. Inequalities in health are being discussed in recent decades and stand out as a public health problem, therefore, the identification of indicators and variables that explain this problem is essential role in the search. In order to analyze the differences in mortality by cause among the race / color in the years 2003 to 2006 in Vitória / ES were collected and analyzed secondary data from the Mortality Information System (MIS). The study covers all the deaths over 15 years living in Vitória / ES between the years 2003 and 2006 (n = 7,312). We performed a review of the completeness of the race / color in 1995, the year of its implementation in the system, until 2006. Then, the period from 2003 to 2006 was selected to present linearity with respect to completeness of the dependent variable. The remaining variables were sex, age and cause of death. Bivariate analysis were performed between the dependent variable (race / color) and independent variables (gender, age and cause). For the analysis of inequalities between categories of race or color, were composed proportional mortality rates by age and cause, with the denominator the estimated value from the 2000 Census, conducted by IBGE. In addition, we analyzed the average and median age of death by cause and race. Finally, it was calculated the relative risk by sex, age and cause. For the analysis of differences between means was used in a way ANOVA, followed by Tukey test. It was also calculated the relative risk and in both the level of significance was of p <0.05 and 95% CI. The results suggest increased completeness of race / color in SIM since their deployment, from 99% (1996) to 16% in 2005. As for the causes of deaths, these are presented both in relation to different race or color, and between sexes and ages. Among blacks, compared to whites showed a higher relative risk of death for mental and behavioral disorders, RR-9.29 (2.14 - 40.38); causes ill-defined, RR 8.71 (1.99 -- 38.07), and external causes, RR - 5.71 (3.83 - 8.51). For black women, we found RR-2.38 (1.15 - 4.94) for external causes and 0.52 (0.35 - 0.78) for neoplasms, which is a protective factor. In the analysis of mortality by age and race, we found a variation of up to 33 years (diseases of the nervous system). It was concluded that there was an increase completeness of race / color SIM in the city of Vitoria, however need to be made increasing efforts aiming to improving the information of mortality, particularly with regard to socio-demographic variables. Were found racial inequalities / ethnic mortality in general and for causes, especially the mortality Mental Disorders and external causes, in addition to the early death that occurs in the black population, even when the cause of death is the same.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5695
Appears in Collections:PPGASC - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
dissertacao_seguranca.pdf1.63 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.