Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5708
Title: Análise da sobrevida de mulheres com câncer do colo do útero atendidas em hospital de referência para oncologia no Espírito Santo entre 2000 e 2005
metadata.dc.creator: Mascarello, Keila Cristina
Keywords: Neoplasias do colo do útero;Saúde da mulher;Perfil de saúde;Análise de sobrevida;Uterine cervical neoplasms;Women s health;Health profile;Survival analysis
Issue Date: 4-Apr-2012
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: MASCARELLO, Keila Cristina. Análise da sobrevida de mulheres com câncer do colo do útero atendidas em hospital de referência para oncologia no Espírito Santo entre 2000 e 2005. 2012. 94 f. Dissertação (Mestrado em Política, Administração e Avaliação em Saúde) - Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2012.
Abstract: Introdução: O câncer do colo do útero corresponde a uma das principais causas de morte por neoplasias na população feminina mundial. Objetivos: descrever o perfil sóciodemográfico e clínico de mulheres atendidas no HSRC/AFECC entre 2000 e 2005 com câncer do colo uterino associando com estadiamento inicial e analisar a sobrevida dessas mulheres. Metodologia: trata-se de um estudo analítico com utilização de dados secundários retrospectivos. A amostra foi constituída por 964 mulheres. Foram utilizados a curva de Kaplan-Meier e o modelo de Cox para avaliação da sobrevida e para análise logística múltipla, respectivamente. Resultados: houve predominância de mulheres na faixa etária de 40 a 59 anos (49,3%), cor não branca (76,8%), com até primeiro grau incompleto (70,9%), casadas (48.3%), com encaminhamento do SUS (84,2%). O estadiamento III esteve presente em 44% das mulheres, seguido do II (31,4%). A maioria das mulheres realizou radioterapia exclusiva (52,1%), 133 (28,2%) tiveram recidiva local e 218 (43,4%) metástases à distância. As variáveis significantes com o estadiamento inicial foram faixa etária, escolaridade, tipo histológico, recidiva, presença de metástase, número de metástases e desfecho (p<0,05). Ocorreram 421 (43,6%) óbitos no período mínimo de 5 anos de seguimento, com sobrevida global de 58,8% em 5 anos. Após análise multivariada identificou-se como risco a procedência Região Serrana (1,94 vezes, IC: 1,09-3,45) e estadiamento crescente. As mulheres com estadiamento III e IV apresentaram risco de 4,33 (IC: 3,00-6,24) e 15,40 (IC: 9,72-24,39) vezes maior, respectivamente, de terem menor sobrevida quando comparadas ao estadio I. Conclusões: Os resultados demonstram que o diagnóstico e tratamento precoces são fundamentais na redução da mortalidade por câncer do colo do útero e que novas políticas de saúde devem ser implementados para a redução da doença
Introduction: Cervical cancer represents one of leading causes of death by cancer in the female population world. Objectives: to describe the socio-demographic and clinical women treated at the HSRC/AFECC between 2000 and 2005 with cervical cancer associated with initial staging and analyze the survival of these women. Method: this is a analytical study using secondary data retrospective. The sample consisted of 964 women. Were used the Kaplan-Meier and cox model for evaluation of survival analysis and multiple logistic respectively. Results: There was a predominance of cases aged 40 and 59 years (49,3%), non-white (76,8%), with incomplete primary education (70,9%), married (48,3%), guiding SUS (84,2%). The stage III was present in 44% of the cases fallowed by II (31,4%). The most patients undergoing radiotherapy alone (52,1%), 113 (28,2%) had local recurrence and 218 (43,4%) metastases distance. The variables significant with initial stage were age, education, histology, recurrence, metastases, number of metastases and outcome (p<0,05). There were 421 (43,6%) deaths in the period of 5 years follow-up, with an overall survival of 58,8% in 5 years. After multivariate analyzes identified as risk provenance Mountain Regions, (1,94, IC: 1,09-3,45) presence of metastases (31,09, IC: 15,95-60,62) and stage. Women with stage III and IV had risk of 4,33 (IC: 3,00-6,24) and 15,40 (IC: 9,72-24,39) times, respectively, they have shorter survival. Conclusions: the results show that the diagnosis and treatment are fundamental in reduncing mortality from cervical cancer uterus and that new health politics should be implemented to reduction to the disease
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5708
Appears in Collections:PPGASC - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Keila Cristina Mascarello.pdf1.16 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.