Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5894
Title: Estudo de prevalência e incidência de reação sorológica positiva para toxocara em crianças matriculadas na primeira série do ensino fundamental público no município de Vitória-ES
metadata.dc.creator: Fragoso, Roberta Paranhos
Keywords: Toxocara;Helmintos intestinais;Larva migrans ocular;Larva migrans visceral;Epidemiologia;Incidência;Toxocara;Intestinal helminthes;Ocular larva migrans;Visceral larva migrans;Epidemiology;Incidence
Issue Date: 13-Jul-2006
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: FRAGOSO, Roberta Paranhos. Estudo de prevalência e incidência de reação sorológica positiva para toxocara em crianças matriculadas na primeira série do ensino fundamental público no município de Vitória-ES. 2006. 82 f. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Doenças Infecciosas) - Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2006.
Abstract: Background. High prevalence of anti-Toxocara antibodies has been reported in inpatients at one reference pediatric hospital in Vitoria, but there was not any report of this prevalence in healthy children. Objectives. (a)To study the prevalence and incidence of Toxocara infection by searching anti Toxocara antibodies in schoolchildren seven to nine years old; (b) to investigate associated factors and to perform physical examination, including ophthalmologic examination, blood eosinophil counts and stool examinations for helminthes. Methods. A commercial ELISA IgG test for Toxocara was performed in 394 children (first series from elementary school).One year later the test was done again in all children with negative result in the first test (optical density under 0.250 ). Stool examination and blood counts were performed at a routine laboratory from the municipality of Vitoria. It was applied a questionnaire for information on hygiene and socioeconomic conditions. Ophthalmologic examination included eye grounds examinations. Results. Considering OD>>500 as a positive result, the serum prevalence was 51.6% (202/394) without gender differences. Eighteen, out of 92 children (19.5%) with negative result in the first test, presented a positive test one year later. At least one intestinal helminth was detected in 68/308 (22%) without gender differences. No significant differences were observed in the prevalence of positive serology in children with or without intestinal helminthes. Eosinophilia (blood ophils >400/mm3) was observed in 181/394 (45,9%) ,higher in children with positive serology, bearing or not intestinal helminthes Owning pets, low incomes, onycophagia and use of non filtered water were significantly associated with positive serology. No signs or symptoms related to Toxocara infection were observed in children with positive serology, except two cases of retinal lesions suggestive of ocular larva migrans. Conclusion. It was confirmed he high prevalence and it was demonstrated high incidence of positive serology in children in our county. Owning pets, low incomes, onycophagia and use of non filtered water were significantly associated factors. The absence of clinical manifestations and the low frequency of ocular lesions indicate that or Toxocara infection frequently is a benign, asymptomatic infection or the high prevalence observed was due to cross reaction with intestinal helminthes infections.
Introdução. Alta prevalência de anticorpos anti-Toxocara (Ac anti-T) tem sido relatada em crianças internadas em Hospital pediátrico de Vitória, mas nenhuma observação foi feita em amostra de crianças saudáveis. Objetivos. Verificar a prevalência e a incidência anual da infecção pelo Toxocara, pela pesquisa de Ac anti-T em escolares (7-9anos), investigar fatores associados e realizar exame físico, incluindo o oftalmológico, contagem dos eosinófilos no sangue periférico e exame parasitológico de fezes. Métodos. 394 escolares (primeira série em oito escolas localizadas em bairros de baixa renda) foram submetidos a um teste ELISA IgG para Toxocara (Toxocara IgG CELISA, Cellabs Pty Ltda. Brookvale, Austrália) . Um ano após, os que apresentavam DO < 0,250, foram novamente testados para Ac anti-T .Exame parasitológico de fezes e hemograma foram realizados em laboratório de rotina da Prefeitura de Vitória. Foi aplicado um questionário para informações sobre hábitos e condições de vida. O exame oftalmológico incluiu o exame de fundo de olho e quando necessário a retinografia. Resultados: Das 391 amostras, 202 (51,6%) tiveram densidades ópticas acima de 0,500 (considerada positiva para infecção com Toxocara), sem diferença entre sexos. Das 92 crianças com a sorologia negativa, 18 (19,5%) tiveram a reação positiva no ano seguinte. Pelo menos um helminto intestinal foi identificado em 68/308 (22%) crianças, sem diferença entre sexos. Não houve diferença na freqüência de Ac anti-T em crianças com ou sem helminto intestinal. Eosinofilia (>400 eosinófilos/mm3) foi observada em 181/394 (45,9%) crianças, maior nas crianças com sorologia positiva associada ou não à presença de helminto intestinal. Possuir cão, renda familiar < 2 salários mínimos, onicofagia e beber água sem filtrar se correlacionaram com Ac anti-T. Não havia manifestação em nenhuma das crianças com sorologia positiva e apenas duas (1,2%; 2/171,) tinham lesões oculares compatíveis com Larva Migrans Ocular. Conclusão: Confirma-se ser alta a prevalência e demonstra-se ser alta a incidência anual da infecção pelo Toxocara em crianças de baixa renda em Vitória. Possuir cão, renda familiar <2 salários, onicofagia e beber água sem filtrar foram significativamente associados a Ac anti-T. A ausência de manifestações clínicas e a baixa freqüência de lesões oculares indicam que a infecção pelo Toxocara ou é benigna e assintomática ou os resultados positivos da sorologia se devem, na sua maioria, às reações cruzadas com helmintos intestinais.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5894
Appears in Collections:PPGDI - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao Dra Roberta Fragoso.pdf499.75 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.