Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5917
Title: Infecção latente por Mycobacterium tuberculosis entre contatos de pacientes com tuberculose pulmonar cavitária e não cavitária.
metadata.dc.creator: Molino, Lucilia Pereira Dutra
Keywords: tuberculose;transmissão;epidemiologia;fatores de risco;busca de comunicante;tuberculosis;transmission;contact tracing;risk factors;epidemiology
Issue Date: 29-May-2009
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: MOLINO, Lucilia Pereira Dutra. Infecção latente por Mycobacterium tuberculosis entre contatos de pacientes com tuberculose pulmonar cavitária e não cavitária.. 2009. 62 f. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Doenças Infecciosas) - Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2009.
Abstract: The tuberculosis continues to represent a severe worldwide public health issue, particularly in developing countries. Besides early diagnosis and therapy, one of the great challenges for its control is the scarce knowledge available about the transmission mechanisms and the related risks. The retrospective cohort described in this study aims to evaluate the risk of Mycobacterium tuberculosis infection, measured by tuberculin skin testing, in contacts of patients with cavitary and noncavitary pulmonary tuberculosis. Identification and screening of index cases between july/2003 and december/2007 was performed based on analysis of two databases: National information system of disease notification and TB notes. Only index cases, with age above 18 years old, living at Cariacica, Serra, Vila Velha and Vitoria cities were screened. Demographic, clinical and laboratory informations of the index cases and contact informations were captured from the medical charts. Bacteriological confirmation based on mycobacterial cultures was captured from TB notes database. among the 1662 index cases identified, 320 met the inclusion criteria: 154 (48,1%) with cavitary disease (C group) and 166 (51,9%) with non-cavitary disease (NC group) based on chest xray. among these 320 index cases, 1257 contacts were identified. most cases of C and NC groups denied previous contact with tuberculosis: 70,2% and 60,1%, respectively. index cases reported cough ranging between 0 and 980 days; mean of 93,5 and median of 60 days; 25 and 75 percentis were 30 and 90 days, respectively. period of cough, which represent time of disease, was higher in the c group (p=0,01, OR 1,82, IC 95%:2,8-13,5) when the threshold was 60 days. higher number of positive sputum smear patients was observed in the C group (p <0,00, OR=5,86, IC 95%: 2,8-13,5). among the 1257 enrolled contacts, 555 (44%) were contacts of the C group and 702 (56%) of the NC group patients. both groups were similar regarding gender, age and chest xray images. however, more reactors to tuberculin skin testing (PPD &#8805; 10 mm) were found among contacts of C group: 48% versus 40,6% (p= 0,009, OR1,35, IC 95% 1,07-1,7 ). Taking into account images observed in chest xray, M tuberculosis infection rate was 1,7 higher among contacts of cavitary in comparison with non-cavitary patients. After logistic regression analysis this association was statistically significant for two variables: period of cough &#8805; 30 days (p=0, 0007OR=3, 20, IC 95%: 1, 5-8.6,) and positivity of sputum smears (p=0, 0039 OR=2, 47, IC 95: 1, 24-4, 81). Positivity of sputum smears was also related to the presence of cavitary disease. Index cases included in C group had 5, 86 more chance of having positive sputum smear (IC 95%: 2, 8-13, 5). Using infection prevalence rate of 30% or more as the threshold for transmission analysis, the three following variables were related to infection transmission to contacts: period of cough, cavitary disease and positive sputum smear. It was concluded that: a period of cough &#8805;30 days was associated with TB infection; smear positivity was associated with a higher chance of infection among contacts. The association between cavitary disease and TB infection transmission to contacts was marginally statistically significant.
Um dos principais desafios para o controle da tuberculose (TB) é ainda o pouco conhecimento disponível sobre os mecanismos intrínsecos de sua transmissão e os graus de risco associados a eles. Este estudo, uma coorte retrospectiva, teve por objetivo avaliar o risco de infecção por Mycobacterium tuberculosis, medido pela prova tuberculínica, em contatos de pacientes com tuberculose pulmonar cavitária e não cavitária. A identificação e a seleção dos casos índices foram realizadas por meio da análise de dois bancos de dados: Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) e TB notes. O período abrangido foi de julho de 2003 a dezembro de 2007. Foram selecionados indivíduos residentes em quatro municípios da Região Metropolitana de Vitória (Cariacica, Serra, Vila Velha e Vitória). De todos os casos índices com idade superior a 18 anos notificados no SINAN, obteve-se os prontuários médicos para análise dos dados demográficos, clínicos e laboratoriais e as informações dos respectivos contatos. A confirmação bacteriológica por cultura dos pacientes foi obtida no banco de dados TB-notes. Dos 1662 casos índices identificados, 320 preencheram os critérios de inclusão do estudo 154 (48,1%) com doença cavitária (grupo C) e 166 (51,9%) sem doença cavitária (grupo NC) à radiografia do tórax. Os 320 casos índices geraram 1.257 contatos. A maioria dos casos do grupo C e NC não tinha história epidemiológica de contato prévio com a doença 70,2% e 60,1%, respectivamente. O tempo de tosse variou de 0-980 dias, com média de 93,5 dias (± 130 dias), e mediana, de 60 dias. Os percentis 25 e 75 foram, respectivamente, de 30 e 90 dias. O tempo de tosse, que, na prática, retrata o tempo de doença, foi maior nos pacientes do grupo C (p=0,01, RC 1,82, IC 95%: 1,01-3,04), quando o ponto de corte foi de 60 dias. Houve uma maior concentração de pacientes com baciloscopia positiva no grupo C, o que representa uma diferença estatisticamente significativa (p <0,00, RC=5,86, IC 95%: 2,8-13,5). Dos 1.257 contatos arrolados, 555 (44%) eram contatos do grupo C, e 702 (56%) do grupo NC. Os dois grupos de contatos foram semelhantes em relação ao gênero, idade e resultado da radiografia do tórax. Houve, entretanto, diferença na prevalência de positividade da prova tuberculínica (&#8805;10mm), que foi maior nos contatos do grupo C: 48% versus 40,6% do grupo NC (p= 0,009, RC 1,35, IC95% 1,07-1,7). Os casos índices com doença cavitária infectaram 1,7 vezes mais seus contatos do que os casos índices sem cavidade à radiografia do tórax (IC 95%: 0.94-3.08, p=0, 061). Após análise de regressão logística essa associação mostrou-se estatisticamente significativa para as variáveis: tempo de tosse superior a 30 dias (RC=3,20, IC 95%: 1,5-8.6, p=0, 0007) e positividade da baciloscopia do escarro (RC=2,47, IC 95: 1,24-4,81 p=0, 0039). A positividade da baciloscopia do escarro também esteve associada à presença de doença cavitária. Os casos índices incluídos nessa categoria possuíam 5,86 mais chance de apresentarem exame direto do escarro positivo (IC95%: 2,8-13,5). Essas três variáveis (tempo de tosse, doença cavitária e baciloscopia positiva do escarro) estiveram relacionadas à transmissão da infecção aos contatos, quando se utilizou, como ponto de corte para análise da transmissão, a presença de infecção igual ou superior a 30% nos contatos dos respectivos casos índices. Concluímos que o tempo de tosse superior a 30 dias e a baciloscopia positiva estão fortemente associados à transmissão por M.tuberculosis. Esta associação teve significância limítrofe para doença cavitária.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5917
Appears in Collections:PPGDI - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTACAO FINAL.pdf1.27 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.