Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5934
Title: Comparação de técnicas coproparasitológicas para o diagnóstico de protozoários e helmintos intestinais de importância médica
metadata.dc.creator: Ribeiro, Steveen Rios
Keywords: Exame de Fezes;Parasitos intestinais;Schistosoma mansoni;Feces exam;Intestinal parasites;Schistosoma mansoni
Issue Date: 18-Mar-2011
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: RIBEIRO, Steveen Rios. Comparação de técnicas coproparasitológicas para o diagnóstico de protozoários e helmintos intestinais de importância médica. 2011. 105 f. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Doenças Infecciosas) - Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2011.
Abstract: Introduction. The diagnosis of intestinal parasites can be accomplished by different techniques of parasitological stool examinations (EPF), each with advantages and disadvantages according to the parasite to be identified. Aims. The aim of the present study was to compare traditional techniques of EPF (Spontaneous Sedimentation in Tube, Kato-Katz and Baermann-Moraes) with more sophisticated techniques (stool culture, detection of coproantigen and PCR) and two commercially available kits in Brazil (Paratest® and TF-Test ®). Material and Methods. Faecal samples from 160 individuals, a total of 356 samples, were analyzed by traditional techniques of EPF (Spontaneous Sedimentation in Tube, Kato-Katz and Baermann-Moraes), culture of fresh faeces and sediment of feces, detection of coproantigen, PCR for detection and differentiation of the complex Entamoeba histolytica/Entamoeba dispar and two commercially available kits in Brazil (Paratest® and TF-Test®). Results. The technique of Spontaneous Sedimentation in Tube had better sensitivity (80.43% of occurrences) for the diagnosis of eggs and larvae of helminths in feces. The Kato-Katz was better for identification of eggs of S. mansoni (100% of cases). The method of Baermann-Moraes found larvae of Strongyloides stercoralis detected similarly to spontaneous sedimentation. For the diagnosis of G. lamblia, C. parvum and E. histolytica, kits for detection of coproantigen showed better sensitivity. The stool culture showed excellent results for identification of Blastocystis hominis. The PCR was able to identify and differentiate the amoebas of the complex E. histolytica/ E. dispar. Both commercial kits showed lower sensitivity than the spontaneous sedimentation for the diagnosis of helminths, but Paratest® was the technique that has shown better sensitivity for protozoa (66.66% of cases). Conclusion. For the diagnosis of helminths, the Spontaneous Sedimentation Method in Tube showed better results, except for detection of eggs of S. mansoni, best detected by Kato-Katz. For the diagnosis of G. lamblia, E. histolytica and Cryptosporidium parvum, kits for detection of coproantigen were better. However, the kit for the diagnosis of E. histolytica does not detect the species E. dispar, best identified by the ABSTRACT PCR. The commercial kits (Paratest® and TF-Test ®), while facilitating the collection and preservation of the sample, have lower sensitivity than the Spontaneous Sedimentation method in Tube
O diagnóstico de parasitoses intestinais pode ser realizado por diferentes técnicas de Exame Parasitológico de Fezes (EPF), cada uma com vantagens e desvantagens de acordo com o parasito a ser identificado. Objetivos. Comparar técnicas tradicionais de EPF (Sedimentação Espontânea em Tubo, Kato-Katz e Baermann-Moraes) com técnicas mais sofisticadas (cultura de fezes, detecção de coproantígenos e PCR) e dois kits comerciais disponíveis no Brasil (Paratest® e TF-Test®). Material e Métodos. Amostras de fezes de 160 indivíduos, totalizando 356 amostras, foram analisadas por técnicas tradicionais de EPF (Sedimentação Espontânea em Tubo, Kato-Katz e Baermann-Moraes), cultura de fezes frescas e de sedimento de fezes, técnicas para detecção de coproantígenos nas fezes, PCR para detecção e diferenciação de Entamoeba do complexo histolytica/dispar e dois kits comerciais disponíveis no Brasil (Paratest® e TF-Test®). Resultados. A técnica de Sedimentação Espontânea em Tubo demonstrou melhor sensibilidade (80,43% das o corrências) para o diagnóstico de ovos e larvas de helmintos nas fezes. O Kato-Katz foi melhor para identificação de ovos do S. mansoni (100% das ocorrências). Já o método de Baermann-Moraes detectou larvas de Strongyloides stercoralis de modo semelhante à sedimentação espontânea. Para o diagnóstico de G. lamblia, C. parvum e E. histolytica, os kits de coproantígenos demonstraram melhor sensibilidade. A cultura de fezes mostrou excelentes resultados para identificação de Blastocystis hominis. O PCR conseguiu identificar e diferenciar as amebas do complexo E. histolytica/E. dispar. Os dois kits comerciais apresentaram sensibilidade mais baixa do que a Sedimentação Espontânea em Tubo para o diagnóstico de helmintos, mas o Paratest® foi a técnica que demonstrou melhor sensibilidade para protozoários (66,66% das ocorrências). Conclusão. Para o diagnóstico de helmintos o método de Sedimentação Espontânea em Tubo foi o que mostrou melhor resultado, exceto para detecção de ovos de S. mansoni, melhor detectados pelo Kato-Katz. Os kits de detecção de coproantígenos foram melhores para diagnóstico de G. lamblia, Cryptosporidium parvum e E. histolytica. Entretanto, o kit para diagnóstico de E. histolytica não detecta a espécie E. dispar, melhor identificada pelo PCR. Os kits comerciais (Paratest® RESUMO e TF-Test®), apesar de facilitarem a coleta e conservação da amostra, têm menor sensibilidade do que a Sedimentação Espontânea em Tubo
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5934
Appears in Collections:PPGDI - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao de Steveen Rios Ribeiro.pdf4.1 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.