Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6044
Title: Educação matemática e a inclusão de alunos com deficiência visual
metadata.dc.creator: Palmeira, Cátia Aparecida
Keywords: Matemática ensino médio;Interação;Inclusão;Resolução e elaboração de problemas;Mathematics secondary school;Interaction;Inclusion;Problem solving and problem posing
Issue Date: 27-Nov-2012
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: PALMEIRA, Cátia Aparecida. Educação matemática e a inclusão de alunos com deficiência visual. 2012. 191 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2012.
Abstract: This master work with focus in mathematics education is linked with the Graduate Education Program at Center of Education at Federal University of Espírito Santo. Our study took place in 2011 in a state public school from the city of Vitoria, ES. Our research of qualitative nature investigates the possibilities of mathematics learning in a regular 3rd year secondary class having also students with visual deficiency. We have tried to answer the question: What possibilities of mathematics learning do happen in a 3rd year class of secondary school that has 4 students with visual deficiency when it incorporates a practice of solving and posing problems and incentives interaction among students? We have used Vygotsky/ s ideas to analyze interactions in the learning process. The perspectives from Polya, Santos and Santos-Wagner have guided us to interpret students/ mathematics learning in tasks of problem solving and problem posing. We have developed mathematics activities from equations from 1st and 2nd grade, linear systems, trigonometry and probabilities based on the questions proposed by Pitombeira (2008). We have collected data through questionnaires, mathematics tasks and workshops. In the analysis from these students/ tasks we have found evidences of changes in their studies habits outside school. We have noticed the development of student autonomy by searching new mathematics learning and strategies to solve and pose problems. We have also identified major interaction between teacher/students and among students with visual deficiency and the others. Our work has showed that it is possible to include all the youth students of secondary school in the process of mathematics learning. We do hope that this work offers inspiration to other teachers to develop pedagogical practices that try to assure participation and learning of all students in their classes. We also dream that teachers will be inspired by this research to consider peculiarities, particularities and skills of all the involved in the process of mathematics teaching and learning
Trabalho de mestrado, com foco em educação matemática, vincula-se ao Programa de Pós-Graduação em Educação do Centro de Educação da Universidade Federal do Espírito Santo. Nosso estudo ocorreu em 2011, em uma escola estadual do município de Vitória, ES. Nossa pesquisa de cunho qualitativo investiga as possibilidades de aprendizagens em matemática, em uma turma de 3º ano de ensino médio regular que também tem alunos com deficiência visual. Procuramos responder à pergunta: Que possibilidades de aprendizagem matemática ocorrem em uma turma de 3º ano de ensino médio, com quatro alunos com deficiência visual quando se incorpora uma prática de resolução e elaboração de problemas e incentiva-se interação entre os alunos? Nós usamos ideias de Vygotsky para analisar interações no processo de aprendizagem. As perspectivas de Polya, Santos e Santos-Wagner nos orientaram para interpretarmos a aprendizagem matemática dos alunos em situações de resolução e formulação de problemas. Desenvolvemos atividades matemáticas de equações do 1º e 2º graus, sistemas lineares, trigonometria e probabilidade, a partir de questões de Pitombeira (2008). Coletamos dados por meio de questionários, tarefas matemáticas e oficinas. Na análise dessas tarefas dos estudantes, encontramos indícios de mudanças nos hábitos de estudos deles fora da escola. Percebemos o desenvolvimento de autonomia estudantil ao buscarem novas aprendizagens matemáticas e estratégias para resolver e elaborar problemas. Identificamos maior interação entre professora/aluno e entre os alunos com deficiência visual com os demais. Nosso trabalho mostrou que é possível incluir todos os jovens estudantes de ensino médio no processo de aprendizagem matemática. Esperamos que este trabalho inspire outros professores em desenvolver práticas pedagógicas que procurem garantir participação e aprendizagem de todos os alunos de suas turmas. Sonhamos também que professores sejam inspirados por esta pesquisa a considerar peculiaridades, particularidades e habilidades de todos os envolvidos no processo de ensino e aprendizagem matemática
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6044
Appears in Collections:PPGE - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Catia Aparecida Palmeira.pdf1.98 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.