Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6548
Title: Qualidade química da água para irrigação no município de Alegre - ES
Other Titles: Chemical quality of irrigation water in the municipality of Alegre - ES
metadata.dc.creator: Silva, Samuel Ferreira da
Keywords: Características químicas da água;Salinidade;Toxicidade por íons específicos;Grau de restrição ao uso;Chemical characteristics of the water;Salinity;Specific ions toxicity;Degree of restriction on use
Issue Date: 26-Feb-2013
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: SILVA, Samuel Ferreira da. Chemical quality of irrigation water in the municipality of Alegre - ES. 2013. 68 f. Dissertação (Mestrado em Fitotecnica; Recursos Florestais) - Universidade Federal do Espírito Santo, Alegre, 2013.
Abstract: The practice of irrigation cultures promotes development in various regions. Soon knowing the quality of the water used in this technique is a fundamental factor, which is usually neglected at the time of project design. As a result, irrigation water, when in lower quality, can have negative effects to the cultivation and soil or even serve as a vehicle for the spread of disease population, which occurs at the time of food intake. Accordingly, the aim of, with this study, to evaluate the chemical quality of irrigation water from five catchment points that supply different irrigation projects (micro, drip, sprinkler fixed, mobile and spray gun) in the municipality of Alegre - ES. We conducted a chemical monitoring of water during the months of November 2011, January, March, May and July 2012, in which there were five samples of water with three repetitions of each month, at the point of catchment water for each project selected. Once collected, the samples were sent to the laboratory for determination of electrical conductivity (CE) and pH. Levels were also quantified sodium, phosphorous, potassium, calcium, magnesium, iron, boron and manganese. Based on the results of sodium, calcium and magnesium was determined sodium adsorption ratio (SAR). The classification of the chemical quality of water each pickup point in the monitored period was done using two methods, one being, one developed by Ayers and Westcot and another proposed by Salinity Laboratory of the United States. With these results it was found, according to the methodology proposed by Ayers and Westcot, that the waters in the five catchment points monitored showed no restriction to use when related to salinity, not causing so much trouble to water absorption by the roots due to changing the ground potential. Points of water abstraction projects that supply micro sprinkler irrigation, drip, sprinkler and fixed cannon are classified as having severe degree of restriction on use. Is necessary to adopt appropriate management so that damage will not occur to soil structure. Moreover, the point of capture water that supplies the design of sprinkler irrigation Mobile presents moderate degree of restriction on use. This can be used in well drained soils, without presenting problems of water infiltration into the soil. It was found that the concentration of sodium, phosphorous, potassium, calcium, magnesium, iron, boron and manganese in the water catchment points studied at concentrations that are not present toxicity problems by specific ions, or without restriction to use of water. Using the classification proposed by the Salinity Laboratory of the United States, except for water abstraction point for the design of mobile sprinkler irrigation, all the rest were classified as C1S1, or low risk of salinization or sodification soil. In turn the water in the pickup point corresponding to project mobile sprinkler irrigation was classified as C2S1, or average risk of soil salinization. In a temporal assessment, it can be said that the quality of water at point of catchment studied in the municipality of Alegre - ES, varied, being classified as a general assessment of good quality for use in irrigation
A prática da irrigação em culturas promove o desenvolvimento em diversas regiões. Logo o conhecimento da qualidade da água utilizada nesta técnica é fator fundamental, que normalmente é negligenciado no momento da elaboração de projetos. Como consequência, a água de irrigação, quando em qualidade inferior, pode produzir efeitos negativos à cultura e ao solo ou mesmo servir como veículo para disseminação de doenças à população, no momento que ocorre a ingestão dos alimentos. Nesse sentido, objetivou-se, com a realização deste estudo, avaliar a qualidade química da água de irrigação proveniente de cinco pontos de captação que suprem diferentes projetos de irrigação (microaspersão, gotejamento, aspersão fixa, aspersão móvel e canhão) no município de Alegre - ES. Foi realizado um monitoramento químico da água, durante os meses de novembro de 2011, janeiro, março, maio e julho de 2012, em que foram realizadas cinco amostragens de água com três repetições em cada mês, nos pontos de captação da água de cada projeto selecionado. Após coletadas, as amostras foram encaminhadas ao laboratório para determinação da condutividade elétrica (CE) e do pH. Também foram quantificados os teores de sódio, fósforo, potássio, cálcio, magnésio, ferro, boro e manganês. De posse dos resultados de sódio, cálcio e magnésio determinou-se a razão de adsorção de sódio (RAS). A classificação da qualidade química da água de cada ponto de captação no período monitorado foi feita utilizando duas metodologias, sendo, uma desenvolvida por Ayers e Westcot e outra proposta pelo Laboratório de Salinidade dos Estados Unidos. Com os resultados obtidos verificou-se, segundo a metodologia proposta por Ayers e Westcot, que as águas nos cinco pontos de captação monitorados não apresentaram restrição ao uso quando relacionado à salinidade, não acarretando, assim problemas quanto à absorção de água pelas raízes devido à alteração do potencial do solo. A água nos pontos de captação que abastecem os projetos de irrigação por microaspersão, gotejamento, aspersão fixa e canhão são classificadas como, apresentando severo grau de restrição ao uso. Sendo necessário, adotar um manejo adequado para que não ocorram danos à estrutura do solo. Por outro lado, a água no ponto de captação que abastece o projeto de irrigação por aspersão móvel apresenta moderado grau de restrição ao uso. Esta pode ser usada em solos de boa drenagem, sem apresentar problemas de infiltração da água no solo. Verificou-se que a concentração de sódio, fósforo, potássio, cálcio, magnésio, ferro, boro e manganês na água dos pontos de captação estudados, não estão em concentrações que apresentem problemas de toxicidade por íons específicos, ou seja, sem restrições para o uso das águas. Utilizando a classificação proposta pelo Laboratório de Salinidade dos Estados Unidos, verificouse que, com exceção da água no ponto de captação que abastece o projeto de irrigação por aspersão móvel, todas as demais foram classificadas como sendo C1S1, ou seja, baixo risco de salinização ou sodificação do solo. Por sua vez a água no ponto de captação correspondente ao projeto de irrigação por aspersão móvel foi classificada como, sendo C2S1, ou seja, médio perigo de salinização do solo. Em uma avaliação temporal, pode-se dizer que a qualidade da água nos pontos de captação estudados no município de Alegre - ES, variou, sendo classificadas em uma avaliação geral como de boa qualidade para uso na irrigação
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6548
Appears in Collections:PPGPV - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Samuel Ferreira da Silva.pdf2.8 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.