Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6670
Title:  Corpos marcados e fé na vida ... : mastectomia e políticas públicas de saúde da mulher
metadata.dc.creator: Souza, Aline Lopes de
Keywords: Mastectomia;Políticas Públicas de Saúde;Reconstrução Mamária;História Oral;mastectomy;public health policies;breast reconstruction;Oral Story
Issue Date: 10-Sep-2007
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: SOUZA, Aline Lopes de. Corpos marcados e fé na vida ... : mastectomia e políticas públicas de saúde da mulher. 2007. 122 f. Dissertação (Mestrado em Processos Psicossociais; Processos de Desenvolvimento; Psicologia Social e Saúde) - Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2007.
Abstract: Historicamente, a população foi mantida distante das discussões em torno das políticas públicas de saúde no Brasil, marcadas por interesses muitas vezes distantes das necessidades da população e por uma relação autoritária, técnica e mercantil entre médico e paciente e entre serviços de saúde e população. Com a Reforma Sanitária e a implementação do SUS, nas décadas de 1980 e 1990, passa-se a pensar a saúde numa nova ótica, integrando ações curativas e preventivas construídas com a participação popular. Em se tratando do câncer de mama, que é a principal causa de neoplasia e a segunda causa de mortalidade por câncer entre mulheres no Brasil, a participação dos usuários na elaboração e acompanhamento da efetivação destas políticas é essencial. Este estudo objetivou explorar repercussões do câncer de mama na vida das mulheres, as demandas decorrentes e suas relações com as Políticas Públicas de Saúde. Participaram 08 mulheres que tiveram câncer de mama e realizaram o tratamento pelo SUS em Vitória/ES. Todas tiveram o diagnóstico há pelo menos três anos. Este critério deveu-se ao fato de que estas mulheres puderam relatar tanto as experiências atuais, como as vivências e enfrentamentos que passaram no período do diagnóstico, da cirurgia e do tratamento. Considerando a importância do contexto vivenciado pelas mulheres ao longo de toda a vida na elaboração da experiência do câncer de mama, utilizou-se a técnica de História Oral na coleta de dados. Dessa forma, ao se trabalhar com as narrativas das mulheres sobre suas histórias de vida, foi enfocada, dentro de cada história, a vivência da mastectomia. A análise dos dados foi feita utilizando a Análise de Conteúdo. Foi possível observar que as mulheres possuíam, antes do diagnóstico, uma representação do câncer como morte inevitável e imediata . O momento do diagnóstico foi marcado por muito sofrimento, e as dificuldades em conseguir uma vaga para consulta e cirurgia aumentaram ainda mais a angústia. Após a cirurgia, as restrições das atividades cotidianas e o desejo de reconstrução da mama foram questões que afligiram as participantes. Ainda assim, relataram uma luta constante em busca de qualidade de vida, considerando-se vencedoras. Percebe-se que as Políticas de Saúde contemplam na legislação as mulheres com câncer de mama, entretanto, isto não se efetiva totalmente na prática. Apesar do investimento em campanhas preventivas, as mulheres ficam meses aguardando por uma consulta após detectarem um nódulo. Além disso, a reconstrução mamária, direito garantido pelo SUS, não está sendo realizada no Espírito Santo, pois os profissionais alegam que o valor recebido pelo procedimento não é o suficiente. Tais resultados apontam a necessidade da mobilização social buscando garantir que os direitos assegurados pela lei sejam cumpridos.
The population has always been away from the discussion involving public health policies in Brazil. Most of the time it reflects a mere technical relationship between doctor and patient, as well as public health services and the population. In the 80 s and 90 s decade there is a reengineering of the system and SUS is implemented. Prevention and cure are integrated and the population is also heard. Considering how lethal breast cancer can be, it is essential to keep the population participative. The purpose of this study was to explore the consequences of breast cancer in women s life, their demands, as well as their relationship with the public health policies. Eight women who had had breast cancer and had the assistance of SUS during the treatment in Vitória, ES, were interviewed. All of them had the diagnosis about three years ago. These women were able to share their experiences from the time they learned about their illness, to the surgery and treatment. The data was collected using the Oral Story technique, taking into account the importance of the context lived by those women throughout their life, especially their experience with breast cancer, focusing on mastectomy. The Content Analysis was used to study this data. It was possible to observe that, before the diagnosis, these women thought about cancer as immediate and certain death , which consisted in great suffering. After the surgery they had to face the restriction of routine activities and the wish of breast reconstruction. Even so, they were able to fight for life quality. It is possible to see that, although the public health policies offer service to the women who have breast cancer, it takes them several months to get an appointment with the doctor after they find out about it. Besides, the professionals in Espírito Santo say they earn very little for the breast reconstruction, and this service was interrupted. It is important that everybody fights for their rights.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6670
Appears in Collections:PPGP - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Corpos marcados e fe na vida.pdf501.03 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.