Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6703
Title: Uma análise da dimensão ético-política do trabalho de agentes comunitários de saúde do município de Vitória
metadata.dc.creator: Reis, Luciana Bicalho
Keywords: agente comunitário de saúde;dimensão ético-política;programa saúde da família;políticas públicas de saúde;community health agent;ethical-political dimension;programa saúde da família;public health politics
Issue Date: 10-May-2005
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: REIS, Luciana Bicalho. Uma análise da dimensão ético-política do trabalho de agentes comunitários de saúde do município de Vitória. 2005. 212 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social e Saúde) - Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2005.
Abstract: As mudanças pelas quais a saúde pública brasileira passou nas últimas décadas, com a criação do Sistema Único de Saúde (SUS) e do Programa Saúde da Família (PFS), trouxeram à tona grandes desafios no que tange à assistência prestada à população. Nesse novo contexto, o Agente Comunitário de Saúde (ACS) revela-se como de fundamental importância para a qualidade dessa assistência, uma vez que tem por função básica desenvolver uma aproximação/interlocução entre os serviços oferecidos e os universos cultural, lingüístico e político das comunidades assistidas. Esta pesquisa analisa a dimensão ético-política presente nas práticas dos ACSs, ou seja, observa que tipo de relação esses profissionais têm estabelecido com a comunidade e em que medida sua atuação tem se mostrado comprometida com a transformação das condições concretas de vida da população. Para tal, foi selecionada uma Unidade de Saúde da Família do município de Vitória/ES e realizado o acompanhamento de dez agentes de saúde durante aproximadamente 6 meses (março/agosto 2004). Adota o Método de Observação Participante, que constituiu no acompanhamento das atividades cotidianas dos agentes. Foi utilizada a técnica de grupos focais, como forma de acesso às concepções desses trabalhadores acerca do próprio trabalho e ao conceito de saúde que permeia suas práticas, além de questionários individuais e conversas informais. Analisa os dados a partir de uma perspectiva histórico-genealógica, entendendo-os como efeitos de forças sociais, políticas e históricas. Conclui que a atuação do agente traz avanços, uma vez que possibilita a criação de formas de assistência mais contextualizadas, acolhedoras das reais necessidades da população assistida. Entretanto, verifica que, embora os agentes entendam a saúde como efeito de múltiplas determinações (sociais, biológicas e subjetivas), sua atuação ainda permanece centrada nos sujeitos individualmente, sem propor ações com um caráter mais amplo, que visem a intervir sobre os determinantes sociais e políticos do fenômeno saúde/doença. Essa limitação aparece como fruto de múltiplos determinantes e não simplesmente como uma postura pessoal. A exigência de produção imposta pela Secretaria Municipal de Saúde; a eleição que esta elabora das prioridades, em sua maioria distantes das reais necessidades da população; a desvalorização, por parte dos demais profissionais da equipe, do discurso e do trabalho realizado pelos agentes, entre outros aspectos, indicaram a necessidade de reformulação na forma como a proposta vem se concretizando, para que se torne possível a efetivação do trabalho do agente, como preconizado pelo PSF. Por fim, percebe o quanto as relações estabelecidas entre os profissionais das equipes e o lugar ocupado pelos agentes dentro do Programa têm produzido, nesses trabalhadores, um estado de sofrimento e adoecimento por não terem legitimado o seu papel e discurso dentro do processo de formulação e execução das propostas de intervenção com a população.
The changes that the Brazilian public health went through the last decades, with the Sistema Único de Saúde (SUS) and the Programa de Saúde da Família (PFS), arose big challenges referred to the assistance given to the population. In this context, the community health agent (ACS) is revealed as fundamental importance to this assistance quality, once its basic function is to develop an approximation/interlocution between the offered services and the cultural, linguistic and political universes of the assisted communities. This research analyses the ethical-political dimension present in ACS practices, or rather, it observes what kind of relation these professionals have been establishing with the community and what measure its acting has been shown as engaged to the transformation of concrete life conditions of the population. To make it possible, Unidade de Saúde da Família (Family Health Unity) from Vitória /ES was selected and ten agents were attended. It adopts the Participatory Observation Method that constituted the agents every day life activities follow up. The focal group technique was used in a way to access these workers conceptions about their own work and the health concept that permeates its practices. Data is analyzed through a genealogical-historical perspective, making them to be understood as social, political and historical force effects. It concluded that the agent acting brings progress, once it makes possible the assistance creation ways to be more contextualized, cordial to the assisted population real necessities. However, it ascertains that, even though agents see health as multiple determination effects (social, biological and subjective), their acting is still individually centered on people, proposing action with a broader character, aiming at mediating the social and political determinants of the illness/health phenomenon. This limitation is shown as the result of multiple determinants and not simply as a personal posture. The production demand imposed by Secretaria Municipal de Saúde; the election that elaborates the priorities, most of the time far from the real population necessities; the value not given by the professional team to the discourse and work made by agents, among other aspects, indicated the reformulation necessity just like the propose has been made real, to make possible the accomplishments of the agents work, as determined by PSF. Finally, it notes how established relations between the professional teams and the places occupied by the agents in the Program, have produced, in these workers, a state of suffering and sickness for not have legitimated its role and discourse within the formulation and execution process of the intervention proposes in the population.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6703
Appears in Collections:PPGP - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao para Biblioteca.pdf696.05 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.