Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6707
Title: É a mesma coisa só que é diferente : representações sociais de honra para adolescentes inseridos em contexto de aprendizagem profissional
metadata.dc.creator: Silva, Renata Danielle Moreira
Keywords: Honra;Representações sociais;Juventude;Gênero;Trabalho;Honor;Social representation;Youth;Gender;Work
Issue Date: 31-Mar-2012
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: SILVA, Renata Danielle Moreira. É a mesma coisa só que é diferente : representações sociais de honra para adolescentes inseridos em contexto de aprendizagem profissional. 2012. 153 f. Dissertação (Mestrado em Processos Psicossociais; Processos de Desenvolvimento; Psicologia Social e Saúde) - Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2012.
Abstract: Honor is understood as the link between the values of society and the willingness of individuals to take ownership of them, be recognized by social group and to achieve socially differentiated position. The standards of conduct that lead someone to be recognized as honorable vary by culture, social class, economic, age and gender. The research aimed to understand the Social Representations (RS) of honor for adolescents from low income included in apprenticeship training. Twenty-two young people were interviewed, 11 girls and 11 boys aged between 15 and 17 years, participants of the program "Adolescent Apprentice." The script for structured interview was divided into two parts: 1) socio-demographic data and open questions about motivations and perceptions of change after entering the program, 2) open questions about the social representations of men and women honorable, knowledge and existence of people honorable, importance of honor, situations of loss and harm to the honor. The interviews had duration of 40 minutes on average, were recorded and transcribed. The content of the interviews were separated by gender, subject to content analysis and organized into tables grouped in five thematic groups: 1) socio demographic data; 2) motivations for entering the program; 3) RS of honor male and female; 4) RS of people honored; 5) perceptions of change after entering the program of apprenticeship. The results indicate that the motivations for entering the professional learning are similar between genders, but the girls have like a predominant and unanimous reason the professional growth and the boys have a set of motivations: professional growth, to assist in family income, independence and encouragement of parents. A comparison of RS of honor between genders shows that there are attributes in common such as honesty, work and perseverance, and differences like a 1) moral sexual double, for women very hard and for men permissive; 2) the socio-centric aspects in the family: the naturalization of ethics of care for women and the role of primary provider and protector family for men. The interviewees consider like honorable only people close to them, and the most cited, in descending order, were: family [father, mother and brothers]; extensive family [grandparents and aunts], girlfriend and friends [more old and the same age]. About the changes after entering the program, 21 young people reported positive changes as professional growth, acquisition of social skills, independence, approve from parents and colleagues and improvement of family relations. Only one mentioned the negative aspects as tiredness and lack of time. It was concluded that the main element in RS of honor is the work and the ethical values that are relevant to adolescents are present in the daily practice of social group where they are inserted. It was also noted that the honor is represented as a values built through overcoming the difficulties experienced. The RS of honor are also formed by other elements, some more associated with the modern social organization, as the approval of women in the labor market and social achievements that have achieved in recent decades, but also have traditional elements such as RS of women and men honorable based on sexual morality and the sexual division of labor. Interventions are necessary with this public, including in the program of professional learning, aimed at modification of these concepts so that these young people have experiences of gender relations more egalitarian
Entende-se por honra o nexo entre os valores da sociedade e a vontade do indivíduo de se apropriar deles, ser reconhecido pelo grupo social e alcançar posição socialmente diferenciada. Os padrões de conduta que levam alguém a ser reconhecido como honrado variam segundo cultura, classe social/econômica, idade e gênero. Objetivou-se compreender as Representações Sociais (RS) de honra para adolescentes de classes populares inseridos em aprendizagem profissional. Entrevistou-se 22 jovens, 11 meninas e 11 meninos, com idades entre 15 e 17 anos, participantes do Programa Adolescente Aprendiz . O roteiro de entrevista estruturado dividiu-se em duas partes: 1)dados sociodemográficos e perguntas sobre motivações e percepção de mudança após entrada no programa; 2)questões sobre as RS de mulheres e homens honradas(os), conhecimento de pessoas honradas, situações de perda e ofensa à honra. O conteúdo das entrevistas foi submetido à análise de conteúdo e organizado por gênero em cinco blocos temáticos: 1)dados sociodemográficos; 2)motivações para entrada no Programa; 3)RS de honra masculina e feminina; 4)RS de pessoas honradas; 5)percepções de mudanças após entrada no Programa. Os resultados indicam que, como motivo predominante e unânime para inserção no Programa as meninas apontam o crescimento profissional e os meninos apresentam um conjunto de motivações que incluem crescimento profissional, possibilidade de auxiliar na renda familiar, independência e incentivo dos pais. A comparação das RS de honra entre gêneros mostra, em comum, atributos individuais como honestidade, trabalho e perseverança, e diferenças referentes a 1)dupla moral sexual, rigorosa para mulheres e permissiva para homens e 2)aspectos sócio-centrados referentes à família: a naturalização da ética do cuidado para mulheres e do papel de provedor primário e protetor familiar para homens. As(os) participantes consideraram honradas apenas as pessoas próximas do convívio social, sendo os mais citados, por ordem decrescente, os seguintes: família nuclear [pai, mãe e irmãos]; família extensa [avós e tias(os)]; namorada e amigos. Sobre mudanças após a entrada no programa, 21 jovens mencionaram modificações positivas como crescimento profissional, aquisição de habilidades sociais, independência, reconhecimento de pais e colegas e melhoria do relacionamento familiar. Somente uma mencionou aspectos negativos, como cansaço e a falta de tempo. Concluiu-se que o elemento de destaque nas RS de honra é o trabalho e que os valores éticos relevantes para os adolescentes estão presentes na prática cotidiana do grupo social onde estão inseridos. Verificou-se também que a honra é representada como um valor construído através da superação das dificuldades vividas. As RS de honra são constituídas ainda por outros elementos, alguns mais associados à organização social moderna, como a aprovação das mulheres no mercado de trabalho e das conquistas sociais que alcançaram nas últimas décadas, mas também apresentam elementos tradicionais como RS de mulheres e homens honrados pautadas na dupla moral sexual e na divisão sexual do trabalho. Fazem-se necessárias intervenções junto a esse público, inclusive no espaço de aprendizagem, com vistas à modificação desses conceitos para que esses jovens possam vivenciar relações de gênero mais igualitárias
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6707
Appears in Collections:PPGP - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Renata Danielle Moreira Silva.pdf841.35 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.