Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6708
Title: Exame preventivo do câncer de colo uterino : representações sociais de profissionais do sexo de Juazeiro - BA
Other Titles: Preventive Examination of Cervical Cancer: Social Representations of Sex Workers of Juazeiro - BA
metadata.dc.creator: Sarmento, Sued Sheila
Keywords: Exame Preventivo;Representação social;Profissional do sexo
Issue Date: 26-Oct-2010
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: SARMENTO, Sued Sheila. Preventive Examination of Cervical Cancer: Social Representations of Sex Workers of Juazeiro - BA. 2010. 83 f. Dissertação (Mestrado em Processos Psicossociais; Processos de Desenvolvimento; Psicologia Social e Saúde) - Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2010.
Abstract: O câncer de colo uterino é considerado um problema de saúde pública no Brasil, por ter um peso importante na morbidade e mortalidade de mulheres brasileiras. O teste de Papanicolaou, também conhecido como exame preventivo, é um dos principais meios utilizados para rastrear as alterações causadas por essa neoplasia, sendo a sua realização enfatizada em programas de saúde pública. Tendo em vista um aumento das taxas de incidência e mortalidade por câncer de colo de útero, apesar do aumento gradual da acessibilidade aos métodos de prevenção para esta patologia, questiona-se sobre o motivo da não realização deste procedimento por parte da população, em especial pelas profissionais do sexo, visto que estas mulheres estão expostas a maiores fatores de risco para esta patologia. Partindo desta preocupação, esse trabalho teve como objetivo identificar as representações sociais das profissionais do sexo, acerca do exame preventivo do câncer de colo uterino. Tratou-se de um estudo de caráter descritivo e abordagem qualitativa. Esse trabalho teve por base a idéia de que a prevenção para as mulheres em situação de prostituição ocorre através dos processos que vivenciam em seu cotidiano, incluindo as experiências de vida familiar e social. A maneira como elas compreendem e significam esses processos, contribui na orientação de suas práticas de saúde, dentre elas, a realização do exame preventivo do câncer de colo uterino. O locus do estudo foi o município de Juazeiro BA. A amostra foi composta por 14 mulheres e determinada ao longo da pesquisa. A coleta de dados foi realizada utilizando as seguintes técnicas: associação livre de palavras, imagens mentais e entrevista semiestruturada, aplicadas individualmente, e na mesma ordem para todas as participantes. Os dados coletados foram analisados segundo a Análise de Conteúdo de Bardin, tendo como base a teoria das Representações Sociais. A análise dos dados da associação livre resultou nas seguintes categorias de respostas: o adoecimento do corpo, sentimentos aflorados, consequência/prevenção, família, procedimento e avaliação do exame. Os resultados das entrevistas foram organizados nas categorias: 1)o exame e a sua importância, a qual foi subdividida em duas subcategorias: a) prevenção e b) diagnóstico; 2) motivos que dificultam a adesão ao exame, que foi dividida nas subcategorias: a) acolhimento inadequado, b) falta de incentivo/proibição do parceiro, c) dificuldade no enfrentamento do exame. A partir da técnica de imagens mentais verificou-se que o exame preventivo é considerado pelas mulheres, principalmente, como um procedimento invasivo. A análise das respostas evidenciou a importância da realização do exame preventivo tanto para a prevenção de doenças, quanto para seu diagnóstico, principalmente o do câncer de colo uterino. Observamos também, que as mulheres percebem o exame como uma situação que gera sentimentos negativos que, na maioria das vezes, relacionam-se à vergonha, ao medo de doer, à possibilidade de positividade do resultado e ao desconhecimento do ritual do exame. As profissionais do sexo de Juazeiro BA representam o exame preventivo como algo necessário, importante, permeado de sensações desagradáveis, as quais podem dificultar/retardar a adesão ao mesmo. Muito se tem ainda a fazer pela saúde das mulheres no aspecto educacional, em especial no que diz respeito aos profissionais da área da saúde, para que estes sejam sensibilizados quanto aos aspectos subjetivos envolvidos no câncer e nos procedimentos inerentes ao processo de sua prevenção
The cervical cancer is considered a public health problem in Brazil, for having an important role in morbidity and mortality among Brazilian women. The Pap test, also known as preventive test, is one of the main methods used to track changes caused by this cancer, its application being emphasized in public health programs. In view of the increasing incidence and mortality rates due to cervical cancer, despite the gradual increase in accessibility to methods in preventing this disease, one wonders about the reason for not performing this procedure on the part of the population, especially by sex workers, since these women have greater risk factors for this disease. Based on this concern, this study aimed to identify the social representations of sex workers, regarding the preventive examinations for cervical cancer. It was a study of descriptive and qualitative approach. This work was based on the idea that prevention for women in prostitution occurs through the processes they experience in their daily lives, including family and social life experiences. The way they understand and signify these processes contributes to the guidance of their health practices, among which the implementation of preventive examinations for cervical cancer. The locus of the study was Juazeiro - BA. The sample comprised 14 women and determined throughout the study. Data collection was performed using the following techniques: free association of words, imagery and semi-structured interview, applied individually, and in the same order for all participants. The collected data were analyzed using Bardin content analysis, based on the theory of Social Representations. Data analysis of free association resulted in the following answer categories: the body falling ill, feelings manifested, consequence / prevention, family, procedure and evaluation of the examination. The results of the interviews were organized into categories: 1) the examination and its importance, which was subdivided into two subcategories: a) prevention and b) diagnosis, 2) reasons which hinder adherence to the examination, which was divided into subcategories: a) inappropriate reception, b) lack of incentives / partner forbiddance, c) difficulty in coping with the examination. From the imagery technique it was found that the screening test is considered by women, mainly as an invasive procedure. The analysis of answers highlighted the importance of performing the screening test both for the prevention of diseases, and for its diagnosis, especially cervix cancer. We also observed that women perceived the exam as a situation that generates negative feelings which, most often, are related to shame, fear of pain, the possibility of positive results and lack of understanding the ritual of the examination. The sex workers of Juazeiro - BA represent the screening test as something necessary, important, permeated with unpleasant sensations, which may hinder / delay adherence to it. Much has still to be done for the health of women in its educational aspect, especially with regard to health professionals so that they are sensitized about the subjective aspects involved in cancer and procedures inherent in the prevention
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6708
Appears in Collections:PPGP - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Sued Sheila Sarmento.pdf384.86 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.