Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6924
Title: INFLUÊNCIA da Composição do Gás na Medição de Vazão de Tocha Por Tecnologia Ultrassônica
metadata.dc.creator: BARCELLOS, S. N.
Keywords: Medição de vazão;Medição Ultrassônica;Gás de Tocha;Cromat
Issue Date: 28-Jul-2017
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: BARCELLOS, S. N., INFLUÊNCIA da Composição do Gás na Medição de Vazão de Tocha Por Tecnologia Ultrassônica
Abstract: Dentre diversos processos que compõem a produção de petróleo e gás natural será avaliada a medição de vazão de gás de tocha, realizada através da tecnologia ultrassônica por tempo de trânsito. A relevância da análise reside na importância ambiental inerente à medição de gás de tocha, associada ao fato de que, nesse escoamento, o fluido não é processado de forma a ser condicionado para alguma especificação definida. Especificamente, será avaliado o efeito da variação da composição química do gás natural em linhas de tocha (gás de tocha) no, assim chamado, fator de perfil, oriundo da medição de vazão por tecnologia ultrassônica. Por outro lado, o cálculo do fator de perfil depende do número de Reynolds e, via de regra, a composição química e respectivas propriedades de transporte para estimativa do número de Reynolds são configuradas no medidor apenas por ocasião do processo de fabricação. Assim, se em um determinado ativo produtor ocorrer variação da composição química devido a passagem do tempo ou a novos poços de hidrocarbonetos entrando em operação, a nova composição química do gás não será re-configurada no medidor e o número de Reynolds não será alterado para novas propriedades, caracterizando um erro de medição. O objetivo principal deste trabalho, então, é avaliar os limites admissíveis de variação das propriedades termofísicas para que a medição de vazão seja processada de forma regulamentar, bem como analisar o efeito dessa variação ao longo do tempo. Também é feita uma análise sobre a estimativa das propriedades termo-físicas através de correlações. Dentre os casos estudados verificou-se que a variação da composição química do gás natural provoca uma variação máxima da vazão de, até 15% da incerteza máxima admissível, considerando que a legislação admite incerteza de 5% para o processo de queima de gás (flare). Palavras-chave: Medição de vazão, Medição Ultrassônica, Gás de Tocha, Cromatografia, Fator de perfil
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6924
Appears in Collections:PPGEM - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_11733_SILVANA NUNES BARCELLOS .pdf1.6 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.