Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6930
Title: RESPOSTAS ECOFISIOLÓGICAS E REPRODUTIVAS DE Allagoptera arenaria (ARECACEAE) ÀS MUDANÇAS CLIMÁTICAS GLOBAIS EM AMBIENTE DE RESTINGA
metadata.dc.creator: ZANI, L. B.
Issue Date: 20-Dec-2017
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: ZANI, L. B., RESPOSTAS ECOFISIOLÓGICAS E REPRODUTIVAS DE Allagoptera arenaria (ARECACEAE) ÀS MUDANÇAS CLIMÁTICAS GLOBAIS EM AMBIENTE DE RESTINGA
Abstract: A velocidade com que mudanças no clima vem acontecendo são uma ameaça em grande escala ao meio ambiente. Não se sabe como as plantas responderão a essas mudanças, pois existem poucas informações acerca das respostas ecofisiológicas das mesmas às mudanças nos padrões de temperatura e precipitação. Dessa forma, é importante identificar as possíveis vulnerabilidades das espécies nos cenários de mudanças climáticas globais. O objetivo desse trabalho foi avaliar os efeitos isolados e combinados do aumento de temperatura (2°C) e volume pluviométrico (25%) na produção de biomassa, fenologia reprodutiva, trocas gasosas e fluorescência da clorofila a de Allagoptera arenaria em ambiente de restinga usando câmaras de topo aberto (open top chambers - OTC s) adaptadas e calhas coletoras de chuva. Foram selecionados 40 arbustos de A. arenaria distribuídos em quatro tratamentos, ambiente aberto-controle (C), aumento do volume pluviométrico em 25% (P), aumento de temperatura em 2°C (T) e aumento de temperatura em 2°C e volume pluviométrico em 25% (TP). O experimento foi montado no mês de junho de 2015 e as amostragens realizadas em novembro de 2015 e em fevereiro, junho e novembro de 2016. Os resultados demonstraram que as OTC s e as calhas foram eficazes para simular os efeitos de mudanças climáticas propostos. Os valores da variação da biomassa aérea foram maiores para o tratamento TP quando comparados ao tratamento T que, por sua vez, apresentou mais ciclos reprodutivos ao longo do período avaliado. Dessa forma foi possível verificar duas vertentes distintas entre os resultados no sentindo de produção de biomassa e produção de estruturas reprodutivas. As plantas submetidas ao tratamento TP apresentaram as maiores taxas de assimilação de CO2 (A), condutância estomática (gs), e transpiração (E) enquanto que o tratamento T apresentou as menores taxas nas amostragens inicialmente. Quanto a interação entre as variáveis fotossintéticas foi possível afirmar que nos meses de novembro/2015, fevereiro/2016 e junho/ 2016 houve a maior variação entre as variáveis de trocas gasosas, enquanto que em novembro/2016 houve poucas alterações significativas entre essas variáveis. O tratamento T apresentou considerável redução nas respostas dos transientes da fluorescência da clorofila a e o aumento do volume pluviométrico contribuiu para amenizar os efeitos do aumento de temperatura no tratamento TP. Em P não foram observadas diferenças em relação ao controle para as análises realizadas. Com as mudanças climáticas é possível que, A. arenaria desenvolva mecanismos para sobreviver ao aumento de temperatura e o aumento do volume pluviométrico pode favorecer esse processo. Possíveis aumentos de temperatura futuros poderão encurtar o ciclo reprodutivo de A. arenaria na tentativa de garantir o sucesso adaptativo e evolutivo dessa espécie. No ambiente de restinga essa espécie já lida com condições adversas e a tolerância à temperatura cada vez mais altas pode ser adquirida como mecanismo de adaptação ao ambiente de crescimento alterado. Palavras-chave: Mudanças climáticas biomassa aérea fenologia fotossíntese Allagoptera arenaria restinga
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6930
Appears in Collections:PPGBV - Teses de doutorado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_11576_Tese_Liliane Baldan Zani_PPGBV.pdf3.31 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.