Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7234
Title: HEMODINÂMICA PERIFÉRICA E CENTRAL DE PRATICANTES DE TREINAMENTO RESISTIDO OU AERÓBICO
metadata.dc.creator: MORRA, E. A. S.
Issue Date: 4-Mar-2013
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: MORRA, E. A. S., HEMODINÂMICA PERIFÉRICA E CENTRAL DE PRATICANTES DE TREINAMENTO RESISTIDO OU AERÓBICO
Abstract: Objetivos: O presente estudo visou comparar a hemodinâmica central e periférica de indivíduos treinados com exercícios resistidos intensos e corredores de endurance. Métodos: Tonometria de aplanação da artéria radial, velocidade de onda de pulso e medidas ecocardiográficas foram realizadas em 19 indivíduos treinados em exercícios resistidos, 21 corredores de endurance e 29 controles saudáveis destreinados, todos homens, pareados por idade (25 a 50 anos). ANOVA de uma via ou Kruskall Wallis foram usados para a análise dos dados. O teste de comparações múltiplas de Tukey foi utilizado como post-hoc após a ANOVA e o método de Dunn após Kruskall Wallis. Dados expressos como média ± desvio padrão (mediana). Resultados: O índice de incremento corrigido por 75 batimentos por minuto (AIx@75%) foi menor nos indivíduos treinados em exercícios resistidos intensos do que nos corredores de endurance e controles respectivamente [-10,8 ± 10,0 (-15.0)] vs. [-0,6 ± 13,2 (-1.0)] vs. [1,2 ± 12,9 (1.0)], com valor de P <0.001. Corredores de endurance por sua vez apresentaram maior razão de viabilidade subendocárdica (SEVR%) [225 ± 32 (223)] que indivíduos treinados em exercícios resistidos intensos [186 ± 35 (185)] e controles saudáveis [173 ± 27 (174)], com valor de P <0,001. Além disso, corredores de endurance mostraram menor índice de duração de ejeção (ED%) [28 ± 3 (27)] do que indivíduos treinados em exercícios resistidos intensos [32 ± 4 (31)] e controles saudáveis [33 ± 3 (33)], com valor de P <0,001. A velocidade de onda de pulso foi semelhante entre os grupos (P=0,08). Os grupos treinados apresentaram maior massa ventricular esquerda indexada pela superfície corporal (P <0,001). Conclusões: Indivíduos treinados em exercícios resistidos intensos mostraram melhor amortecimento das ondas de pressão enquanto corredores de endurance apresentaram melhor perfusão miocárdica e contração ventricular mais eficiente.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7234
Appears in Collections:PPGEF - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_6360_Dissertação_Elis Aguiar Morra20150609-161845.pdf3.51 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.