Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7632
Title: CRESCIMENTO E FOTOSSÍNTESE DE EUCALIPTO: EFEITOS DA CONCENTRAÇÃO DE CO2 ATMOSFÉRICO, DEFICIÊNCIA HÍDRICA E MICROCLIMA
metadata.dc.creator: BRAGA, J. H. O.
Keywords: 1;Eucalipto;2;Regime hídrico;3;Concentração de CO2;
Issue Date: 14-Jul-2016
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: BRAGA, J. H. O., CRESCIMENTO E FOTOSSÍNTESE DE EUCALIPTO: EFEITOS DA CONCENTRAÇÃO DE CO2 ATMOSFÉRICO, DEFICIÊNCIA HÍDRICA E MICROCLIMA
Abstract: O eucalipto mostra sua importância ao ser a espécie florestal com maior área plantada em todo o território brasileiro, sendo essencial componente econômico para o setor florestal. Além dos benefícios financeiros, sua importância ecológica também é notória, seu plantio faz com que diminua a pressão por produtos madeireiros de florestas nativas. Este estudo buscou avaliar as trocas gasosas e o crescimento de mudas de eucalipto submetidas a combinação de diferentes concentrações de CO2, disponibilidade hídrica no solo e demandas evaporativas da atmosfera. O estudo foi realizado em casas de vegetação climatizadas, localizadas na área experimental do Departamento de Ciências Florestais e da Madeira, no Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Espírito Santo, situado no município de Jerônimo Monteiro ES, nas coordenadas geográficas 20º 47 22 S e 41º 23 42 O. Foram dispostas, em cada ambiente, seis OTCs (open top chambers), apresentando cada uma, quatro plantas. Os tratamentos foram submetidos a duas demandas evaporativas da atmosfera (baixa e alta demanda atmosférica), duas concentrações de CO2 (±450 e ±850 ppm) e dois manejos hídricos (50% e 100% de água disponível no solo), com seis repetições, em um período experimental de 96 dias. Ao final do experimento, realizou-se análise de crescimento das plantas através da obtenção da massa seca total, área foliar, área foliar específica, particionamento da biomassa, razão de área foliar e eficiência do uso da água de produtividade. O status hídrico das plantas, realizado ao final do período experimental, foi obtido a partir da verificação do conteúdo relativo de água nas folhas. A avaliação das trocas gasosas foi realizada a partir dos 88 dias de experimento, com medições as 8:00, 10:00, 12:00, 14:00 e 16: 00 hs para obtenção dos cursos diurno da fotossíntese, condutância estomática e transpiração. Também foram realizadas medições de trocas gasosas para ajuste de curvas A/FFFA e A/Ci, no período de 9:00 às 12:00 hs, para obtenção de parâmetros fotossintéticos e, por fim, a quantificação dos teores de pigmentos fotossintéticos. O experimento foi realizado em um delineamento inteiramente casualizado, utilizando arranjo fatorial 2x2x2. Os dados foram submetidos à análise de variância e, quando significativa, as médias foram comparadas pelo teste de Tukey ao nível de 5% de probabilidade. As mudas de eucalipto apresentaram maior quantidade de massa seca total, eficiência do uso da água de produtividade com o aumento da concentração de CO2, no microclima sob alta demanda atmosférica e com 100% de água disponível no solo. A fração de massa de raiz obteve maiores valores em altas demandas e com menor disponibilidade hídrica no solo. A fração de massa de parte aérea apresentou maiores valores sob alta demanda e maiores quantidade de água disponível no solo. Os valores de razão de área foliar foram menores sob condições de maior disponibilidade hídrica, alta concentração de CO2 e microclima de alta demanda atmosférica, denotando que estas condições são as que mais favorecem a produção de massa seca total. O conteúdo relativo de água nas folhas, foi maior em plantas nos tratamentos com 100% de água disponível no solo. O curso diurno de assimilação líquida de CO2, obteve maiores valores sob alta demanda, maior nível de água disponível e alta concentração de CO2. Pode-se observar que o tratamento sob baixa disponibilidade de água no solo em alta demanda, teve maior desempenho no crescimento e nas trocas gasosas, quando sob condições de alta concentração de CO2, em comparação ao tratamento sob baixa concentração. Os resultados de crescimento e trocas gasosas das mudas submetidas a baixa demanda mostraram-se indiferentes a altas concentrações de CO2, apresentando diferenças apenas para os diferentes níveis de água no solo.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7632
Appears in Collections:PPGCF - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_10032_Dissertação - José Hamilton de Oliveira Braga.pdf3.01 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.