Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7663
Título: MECANISMOS DE REGENERAÇÃO NATURAL EM ÁREA INCENDIADA EM UMA FLORESTA OMBRÓFILA DENSA MONTANA, ESPÍRITO SANTO, BRASIL
Autor(es): J. M. G. T. Juliana
Orientador: KUNZ, S. H.
Coorientador: GARBIN, M. L.
Palavras-chave: 1
Mata Atlântica
2
Incêndios florestais
3
Floresta - Re
Data do documento: 24-Jul-2017
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: J. M. G. T. Juliana, MECANISMOS DE REGENERAÇÃO NATURAL EM ÁREA INCENDIADA EM UMA FLORESTA OMBRÓFILA DENSA MONTANA, ESPÍRITO SANTO, BRASIL
Resumo: As mudanças climáticas e a fragmentação de ecossistemas estão aumentando a freqüência e a intensidade dos incêndios nas florestas tropicais úmidas. Avaliar como a floresta se recupera após os incêndios é importante para entender as mudanças na composição, estrutura e da funcionalidade da comunidade, aspectos de fundamental importância para a restauração de áreas degradadas. Nosso objetivo foi avaliar a importância relativa da germinação do banco de sementes do solo, da sobrevivência das plântulas regenerantes e indívuos adultos, e do rebrotamento vegetativo, como um possível atributo funcional de persistência de espécies pós-fogo, em um fragmento de floresta ombrófila densa montana (Serra do Valentim, Iúna, Espírito Santo, Brasil) incendiado em 2014. O levantamento foi realizado em 30 parcelas (5x10m, 2 ecossistemas de referência e 1 área incendiada, 10 parcelas cada), contando e classificando todos os indívuos em: sobreviventes, regenerantes, rebrotadores (rebrota de raiz, base e caule) e indíviduos emergidos no banco de sementes do solo. Após a compreensão da estrutura da comunidade amostrada, realizamos análises de ordenação (PcoA e LDA), para entender de que forma as espécies estão distribuídas entre as áreas em cada mecanismo, e qual mecanismo tem maior peso para a regeneração natural das áreas. Selecionamos também as espécies que representaram 80% da dominância da de toda comunidade e coletamos os atributos funcionais relacionados à persistência, sobrevivência e dispersão. Com uma matriz CWM e de espécies × atributos realizamos outra análise PCoA, para entender como os atributos estão distribuídos entre as espécies e como eles se relacionam com o desempenho em cada uma das áreas. Nossos resultamos mostraram que o rebrotamento vegetatitvo pode ser um mecanismo e um atributo funcional de fundamental importância para a regenereção natural e a resiliência da comunidade após a o fogo, garantindo a persistência e a sobrevivência de algumas espécies. Porém outros mecanismos, como o banco de sementes do solo, contribui com espécies pioneiras, fundamentais para a recomposição da área.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7663
Aparece nas coleções:PPGCF - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_11162_Dissertação Juliana Teixeira 2017 - Final.pdf5.92 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.