Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7678
Title: MÉTODO PARA ANÁLISE DA RELAÇÃO ENTRE FLORESTAS E VAZÕES EM BACIAS HIDROGRÁFICAS
metadata.dc.creator: FERRAZ, F. T.
Keywords: 1-Bacias hidrográficas;2-Recursos hídricos;3-Florestas
Issue Date: 22-Feb-2018
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: FERRAZ, F. T., MÉTODO PARA ANÁLISE DA RELAÇÃO ENTRE FLORESTAS E VAZÕES EM BACIAS HIDROGRÁFICAS
Abstract: Os estudos de vazões das bacias hidrográficas são de suma relevância. Contudo, a relação entre a cobertura florestal e as vazões é complexa e ainda controversa no meio científico. Nesse contexto, este trabalho foi proposto com o objetivo de analisar as vazões de 25 sub-bacias hidrográficas do Espírito Santo, investigando sua relação com o percentual de cobertura florestal existente. Utilizaram-se dados anuais de precipitação disponibilizados por Xavier, King e Scalon (2016), para o ano hidrológico de 2007/2008. Os dados anuais de vazão média específica (qméd) e vazão específica mínima média em sete dias consecutivos (q7) foram obtidos de estações fluviométricas, junto à ANA. Na delimitação das sub-bacias, utilizou-se o MDE SRTM, com resolução espacial de 30 metros. Os dados da cobertura florestal foram obtidos a partir do levantamento aerofotogramétrico realizado pelo IEMA, entre 2007 e 2008. Realizaram-se, utilizando-se dados de todas as sub-bacias, análises de regressão linear simples, regressão múltipla e correlação parcial entre o percentual de cobertura florestal, a precipitação e as vazões. Aplicou-se, também, a análise de agrupamento hierárquico, de modo a agrupar as sub-bacias por características de precipitação, de área e de precipitação e área. A precipitação exerceu forte influência nas vazões para o período analisado, tanto para a análise de todas as sub-bacias em conjunto, quanto para algumas relações nos agrupamentos formados. Maior influência foi observada nas regiões com maior total anual precipitado. Foram encontradas associações significativas entre a floresta e as vazões apenas nos agrupamentos de sub-bacias feitos por total anual precipitado e também por total anual precipitado associado à área das sub-bacias. Verificou-se que a floresta apresentou relação com tendência negativa quando associada, de forma significativa, às q7. Do mesmo modo, para a qméd no agrupamento por precipitação, encontrou-se associação negativa com a cobertura florestal. Ao mesmo tempo, identificou-se que a floresta influenciou positivamente a qméd no agrupamento formado por precipitação e área. Os resultados demonstram que os agrupamentos realizados foram determinantes para a obtenção de respostas distintas e detecção de significâncias, sobretudo, quanto à relação entre a cobertura florestal e as vazões. Ainda, indicam que na maioria dos casos não foi observada relação significativa entre floresta e vazão. Porém, é possível que algumas associações não tenham sido detectadas pelos métodos empregados. Nesse sentido, demonstra-se a necessidade do desenvolvimento de novos estudos, em escala de bacias ou grupos de bacias hidrográficas, incrementando-se novas variáveis ambientais, de modo a se obter respostas mais detalhadas do comportamento hidrológico das bacias do estado do Espírito Santo, admitindo-se a complexa relação existente entre a cobertura florestal e seus impactos na vazão dos cursos dágua. Palavras-chave: uso e ocupação da terra; regime hidrológico; recursos hídricos; cobertura florestal.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7678
Appears in Collections:PPGCF - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_11763_Dissertação FABRINA 2018-Final.pdf2.72 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.