Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8195
Title: Relação Entre Fatores Sociodemográficos e o Impacto da Saúde Bucal na Qualidade de Vida de Gestantes Usuárias do Sus
metadata.dc.creator: SAKUGAWA, K. O.
Keywords: Saúde Materno-Infantil;Qualidade da Assistência à Saúde;As
Issue Date: 8-Oct-2015
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: SAKUGAWA, K. O., Relação Entre Fatores Sociodemográficos e o Impacto da Saúde Bucal na Qualidade de Vida de Gestantes Usuárias do Sus
Abstract: A influência da saúde bucal na qualidade de vida relaciona-se a fatores pessoais e sociodemográficos que afetam percepções, sentidos e comportamentos. O objetivo desse estudo foi analisar a relação entre fatores sociodemográficos e o impacto da saúde bucal na qualidade de vida de gestantes usuárias do Sistema Único de Saúde da Região Metropolitana da Grande Vitória (RMGV) e da Microrregião de São Mateus (MRSM), Espírito Santo, Brasil. Trata-se de dois estudos epidemiológicos observacionais seccionais, com 1035 gestantes da RMGV e 742 da MRSM. Um questionário estruturado e previamente testado coletou variáveis sociodemográficas e o Oral Health Impact Profile (OHIP-14) avaliou o impacto da saúde bucal na qualidade de vida. Realizou-se a análise estatística pelo teste Qui-quadrado e pela regressão logística múltipla, ambos com significância de 5%. Verificou-se que a região de residência influenciou no impacto da saúde bucal na qualidade de vida das mulheres (MRSM=5,8% vs. RMGV=8,8%, p=0,018), destacando-se a dimensão desconforto psicológico (MRSM=2,8% vs. RMGV=4,7%, p=0,042). Na RMGV, quanto maior a escolaridade, menos frequente o impacto (52,5% sem impacto vs. 36,3% com impacto, para mulheres com nove anos ou mais de estudo, p=0,010) e realizar consulta odontológica associou-se ao impacto (28,1% sem impacto vs. 48,4% com impacto, p=0,000). Quanto maior a escolaridade, menor a chance de a gestante apresentar impacto (OR=0,253; IC95%=0,161-0,397), assim como quando realizam mais consultas pré-natal (OR=0,480; IC95%=0,295-0,780) e quando possuem companheiro (OR=0,379; IC95%=0,255-0,563). Deve-se considerar os fatores sociodemográficos no planejamento das ações em saúde bucal para gestantes, dada sua influência na qualidade de vida.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8195
Appears in Collections:PPGCO - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_9287_KOSrevisado.pdf1.92 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.