Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8229
Title: Monitoramento da qualidade da água de represas e avaliação de riscos aos sistemas de irrigação
metadata.dc.creator: FAVERO, D.
Keywords: Água de irrigação;Análises físico-químicas;Represas;
Issue Date: 23-Feb-2018
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: FAVERO, D., Monitoramento da qualidade da água de represas e avaliação de riscos aos sistemas de irrigação
Abstract: A construção de barragens é uma alternativa para aumentar a disponibilidade dos recursos hídricos visando atender as necessidades humanas. No norte do Espírito Santo essa técnica é muito utilizada no armazenamento de água para uso na irrigação, e tem crescido em função dos longos períodos de estiagem. No entanto a quantidade e qualidade das águas dessas barragens podem variar e comprometer seu uso na irrigação. Deste modo, objetivou-se com este trabalho estudar variáveis físico-químicas e hidroquímicas da água em represas recém-construídas, e outras já existentes, no norte do Espírito Santo, para identificação de possíveis riscos aos sistemas de irrigação. O monitoramento foi realizado, ao longo de 14 meses, em 4 represas em Nova Venécia-ES (P1 a P4) e outras 4 represas no município de São Mateus-ES (P5 a P8). As variáveis hidroquímicas analisadas foram pH, temperatura, oxigênio dissolvido (OD), condutividade elétrica (CE), sólidos totais (ST), turbidez, ferro total (FeT), Fe2+, e Fe3+, ortofosfato (PO43-), sulfato (SO43-), sódio (Na+), potássio (K+), cálcio (Ca+), magnésio (Mg2+), dureza, alcalinidade (HCO3-) e cloreto (Cl-). Além disso, dados de nível de água das represas, regime de chuva e evapotranspiração foram obtidos. Os dados foram avaliados através de estatística descritiva (máximo, mínimo, média e desvio padrão), de acordo com a classe de risco de danos ao sistema de irrigação e com os diagramas de Piper e de classificação de águas para irrigação. As elevadas concentrações de ferro e sólidos totais registradas nas águas das represas, tanto de Nova Venécia, quanto de São Mateus, geralmente com maiores valores nas represas novas, inviabilizam o uso direto destas águas na irrigação por gotejamento. Nestes casos, o tratamento da água é indispensável e possibilita seu uso com redução de possíveis danos ao sistema de irrigação, assim os irrigantes devem estar atentos ao uso de filtros, aeradores e decantadores para impedir a passagem destes elementos, impedindo a deposição ao longo do sistema de irrigação. Para os demais parâmetros estudados a maioria das amostras apresentou resultados aceitáveis. As represas de Nova Venécia e São Mateus apresentaram suas águas majoritariamente em classes C1S1, de baixa salinidade e, portanto, de adequada qualidade para irrigação. Poucas amostras foram enquadradas na classe C2S2, em algumas épocas, neste caso essas águas devem ser utilizadas em solos de boa permeabilidade e com certo grau de lixiviação e optar por plantas mais tolerantes. Quanto a classificação hidroquímica das águas de ambos municípios, foram majoritariamente sódicas cloretadas, com pequenas variações composicionais sazonais.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8229
Appears in Collections:PPGAT - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_11850_89_ Daiane Favero.pdf1.93 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.