Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8248
Title: SELEÇÃO DE ESPÉCIES PARA FITORREMEDIAÇÃO DE BÁRIO SOB CONDIÇÕES DE ALAGAMENTO
metadata.dc.creator: RIBEIRO, P. R. C. C.
Issue Date: 20-Feb-2015
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: RIBEIRO, P. R. C. C., SELEÇÃO DE ESPÉCIES PARA FITORREMEDIAÇÃO DE BÁRIO SOB CONDIÇÕES DE ALAGAMENTO
Abstract: A crescente e intensiva atividade exploratória de petróleo e gás tem aumentado consideravelmente o uso de sulfato de bário (BaSO4) e consequentemente a quantidade de sais de bário dispersos no ambiente. Diante desse paradigma, a presente pesquisa teve por objetivo a seleção de espécies vegetais que apresentem tolerância e capacidade de fitorremediar ambientes contaminados pelo metal pesado bário e sob baixo potencial redox. Foram pré-selecionadas dez espécies/variedades: duas variedades de arroz (Oryza sativa; IRGA 424 e BRS. Tropical); junco (Eleocharis interstincta); braquiária (Fuirena umbellata); braquiarão (Urochloa brizantha); papiro (Cyperus cf. papyrus), samambaia (Nepholepsis cf. rivulares), junco (Eleocharis acutangula 2), junco (Eleocharis acutangula 1) e taboa (Thypha domingensis). Estas foram cultivadas em vasos, sob cinco níveis de BaCl2, mais testemunha, e foram mantidos sob lâmina de água. Foram realizadas avaliações biométricas, fisiológicas e bioquímicas, incluindo a quantificação de Ba2+ extraído e acumulado na parte aérea, raízes e o Ba2+ remanescente no solo. O papiro apresentou as melhores taxas de acumulo para parte aérea, demostrando uma média geral de 12,34 mg de bário acumulado. Já para as raízes, a taboa se destacou com as melhores taxas acumulativas, chegando a uma média de 45,48 mg de bário. Na planta como um todo, a taboa também foi a que acumulou mais bário em sua estrutura, com uma média geral de 56,35 mg de bário acumulado. As demais espécies reportaram valores relativamente próximos que se estenderam de 2,83 mg a 12,51 mg de bário extraído e acumulado. A taboa foi a que demonstrou maior tolerância e aptidão para extrair e acumular bário o papiro foi a espécie que mais acumulou bario na parte aérea.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8248
Appears in Collections:PPGAT - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_7928_42 - Dissertacao - Paulo Roberto Clayton.pdf3.06 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.