Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8465
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorMENEGUELO, A. P.
dc.date.accessioned2018-08-01T23:29:13Z-
dc.date.available2018-08-01
dc.date.available2018-08-01T23:29:13Z-
dc.identifier.citationCORDEIRO, C. H. T., Estudo experimental do comportamento de emulsões A/O e O/A a partir de óleo mineral e surfactantepor
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/8465-
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.titleEstudo experimental do comportamento de emulsões A/O e O/A a partir de óleo mineral e surfactantepor
dc.typemasterThesisen
dc.contributor.memberARRIECHE, L. S.
dc.contributor.memberRIBEIRO, D. C.
dc.contributor.memberSOUSA, R. C. S.
dc.contributor.memberSANTOS, M. F. P.
dcterms.abstractEmulsões são sistemas dispersos compostos por pelo menos duas fases líquidas imiscíveis e um agente emulsificante capaz de promover sua estabilização. A formação de emulsões durante a produção de petróleo é inevitável, sendo que o processo de desestabilização ou quebra apresenta grandes desafios para atender diversas especificações na indústria. O estudo e a compreensão dos mecanismos formadores de emulsões, bem como sua caracterização e correlação entre suas propriedades, são de grande importância para a indústria. O estudo analisou emulsões modelo típicas da indústria de petróleo preparadas com óleo sintético (vaselina líquida) e água com o objetivo de caracterizá-las experimentalmente e realizar uma modelagem estatística. Foi realizado um planejamento fatorial 2k, variando os fatores concentração de água, concentração de Span 80 e rotação utilizada no processo de emulsificação, e avaliando as variáveis respostas tipo de gota (água em óleo ou óleo em água), tamanho de gotas, condutividade elétrica e viscosidade dinâmica. Na análise foi possível observar a influência dos fatores variáveis nas variáveis respostas. Foi encontrada que a viscosidade é inversamente proporcional a condutividade, quanto mais porcentagem de água maior a condutividade e menor a viscosidade, onde a curva de ambas se interceptam é identificado a região de inversão de fases, onde a emulsão passa do tipo O/A para A/O. A modelagem estatística mostrou que a rotação é a variável que mais influencia no tamanho de gotas, e a porcentagem de água é a que mais influencia negativamente na viscosidade e positivamente na condutividade. Palavras chaves: Estudo experimental, emulsões típicas, modelo estatístico.por
dcterms.creatorCORDEIRO, C. H. T.
dcterms.formatapplication/pdfpor
dcterms.issued2018-03-27
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Energiapor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.publisher.courseMestrado em Energiapor
dc.contributor.advisor-coSANTANA, R. C.
Appears in Collections:PPGEN – Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_11923_Divulgação de Defesa_aluno Carlos Henrique Thomazini Cordeiro_Preenchida_.pdf187.17 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.