Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9306
Title: O Engrossamento, o Capital e a Ordem: a Visão de Graciano Neves na Análise da Primeira República (1892-1903)
metadata.dc.creator: DINIZ, C. M.
Keywords: Engrossamento;capital;ordem;Primeira República;
Issue Date: 16-Nov-2016
Publisher: Universidade Federal do Espírito Santo
Citation: DINIZ, C. M., O Engrossamento, o Capital e a Ordem: a Visão de Graciano Neves na Análise da Primeira República (1892-1903)
Abstract: Esse estudo busca compreender a relação entre o capital e a ordem na estruturação política e social no Espírito Santo da Primeira República (1892-1903) nos anos de governo de Muniz Freire (1892-1895), Graciano Neves (1896-1897), que renunciou, Constante Sodré (1897), vice-presidente que assumiu até a definição do substituto, José Marcelino de Vasconcelos (1898-1899), que completou o período do mandato que seria de Graciano Neves, e novamente Muniz Freire (1900-1903). A análise foi construida a partir do filtro criado pelo livro Doutrina do Engrossamento de Graciano Neves. Nossa hipótese é a de que o engrossamento como prática do adesismo e da bajulação do grande líder eram as bases do relacionamento político na busca pela participação no poder, evitando guerras e batalhas que desestabilizassem a ordem, pois quem sabe engrossar, governa. O capital financia os detentores do poder em busca da estabilidade necessária para se multiplicar, resultando no esquema que é o cerne do livro: o capital faz a ordem e a ordem faz o capital. Para analisar o capital, a ordem e o engrossamento nos primeiros três mandatos de governo republicano no Espírito Santo, utilizou-se como referencial teórico parte da literatura indicada por Graciano Neves em seu livro, especialmente Augusto Comte e Karl Marx. Como fontes utilizou-se as mensagens de governo do período, e jornais da época, abrangendo também períodos anteriores e posteriores ao recorte temporal adotado na análise. A metodologia utilizada é de base histórica indiciária (GINZBURG, 2002), levando ao rastreamento e mapeamento de pistas que possibilitarão inúmeras possibilidades de verificações de diversos planos de análise, e pode ser sintetizado como um conjunto de princípios e procedimentos que contêm a proposta de um método heurístico centrado no detalhe, nos dados marginais, nos resíduos tomados enquanto pistas, indícios, sinais, vestígios ou sintoma. Concluiu-se que a dinâmica do engrossamento foi constante nos relacionamentos políticos, refletindo em grande parte o equilíbrio de forças narrado na Doutrina, porém insuficiente para evitar tomadas de poder e traições, especialmente nos períodos em que o capital se viu ameaçado e autorizou uma mudança de liderança nas forças políticas. Ficou patente que a ordem social foi edificada a partir de decisões políticas que tiveram como intenção inicial a multiplicação do capital, de quem o Estado ficou refém. Viu-se que a mudança de líderes não foi revolucionária, mas deu-se pela troca de atores de dentro de um mesmo grupo político, demonstrando a tendência, descrita por Graciano Neves, de busca pela manutenção da ordem pelo capital.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9306
Appears in Collections:PPGHIS - Teses de doutorado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_8063_Tese Clarkson - VERSÃO FINAL ENTREGUE APÓS AJUSTES.pdf2.59 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.