Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10127
Título: Prevalência de síndrome metabólica e fatores associados : um estudo de base populacional em Vitória/ES
Autor(es): Salaroli, Luciane Bresciani
Orientador: Molina, Maria del Carmen Bisi
Data do documento: 26-Abr-2007
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: A Síndrome Metabólica (SM) é um transtorno complexo, representado pela agregação de fatores de risco cardiovascular. Com objetivo de estimar a prevalência de SM e identificar os fatores associados à sua determinação no município de Vitória/ES, foi realizado estudo a partir do banco de dados do Projeto MOMICA/OMS/Vitória, conduzido em 1999/00.Foram analisados dados socioeconômicos, bioquímicos, antropométricos, hemodinâmicos e dietéticos de 1.663 participantes do projeto na faixa etária de 25 a 64 anos de idade. Para o diagnóstico da SM foi utilizado o critério do NCEP ATP III e toda a coleta de dados foi realizada de acordo com os protocolos recomendados para cada procedimento. A prevalência estimada na população de Vitória foi de 26,9 % (IC 95%: 26,6-27,1), não havendo diferença significativa entre os sexos. Na faixa etária de 25 a 34 anos, a prevalência de SM foi 15,7%, alcançando 48,4% entre indivíduos de 55 a 64 anos. Verificou-se um aumento progressivo da prevalência de SM em mulheres do maior para o menor nível socioeconômico. Com relação aos parâmetros para o diagnóstico da SM, os mais freqüentes entre homens foram: hipertensão, hipertrigliceridemia, baixo HDL-colesterol, hiperglicemia e obesidade abdominal. Nas mulheres, hipertensão aparece em primeiro lugar, seguida do baixo HDL-colesterol, obesidade abdominal, hipertrigliceridemia e hiperglicemia. A concentração elevada de ácido úrico foi identificada como a variável preditora de maior contribuição para o desfecho estudado, seguida do Índice de Massa Corporal (IMC) e da idade, porém entre as mulheres a classe socioeconômica apareceu como primeira variável preditora. O consumo de cálcio, bem como o percentual de dietas adequadas foi menor no grupo de indivíduos com SM. Conclui-se que a prevalência de SM é elevada, inclusive nos mais jovens, com grande contribuição da hipertensão para o seu diagnóstico. Importante contribuição da classe socioeconômica para o desenvolvimento da SM foi encontrada entre as mulheres estudadas em Vitória. Ações para controle dos fatores de risco devem ser promovidas, visando reduzir o impacto na incidência de diabetes e das doenças cardiovasculares em indivíduos jovens.
Metabolic Syndrome (MS) can be defined as a complex disorder represented by a number of cardiovascular risk factors. This research aims at researching its prevalence and identifying its associated problems in Vitoria/ES, the data were collected from the project MONICA/WHO/Vitoria, which was carried out from 1999 to 2000. Socioeconomic, biochemical, anthropometric and hemodynamic parameters were collected among 1.663 individuals aged 25 to 64. The criteria used in diagnosing MS were the NCEP-ATP III and data collection were made according to appropriate parameters recommended for each procedure. Expected prevalence in Vitoria was of 26,9% (IC 95%: 26,6-27,1). Gender- related differences were insignificant. In the 25 to 34 age group, MS prevalence was of 15,7% and reached 48,4% among the 55-64 age group. There was a progressive increase of MS in women with higher socioeconomic level, when compared to women who belong to lower classes. The most frequent parameters observed in the subgroup of man were hypertension, hypertriglyceridemia, low HDL cholesterol levels, hyperglycemia and abdominal obesity. In the subgroup of women, hypertension was the most frequent symptom, followed by low HDL-c levels, abdominal obesity, hypertriglyceridemia and hyperglycemia. A high concentration of uric acid was identified as the variable predictor that contributed most for MS outcome, followed by body mass index (BMI) and age. However, in women, socioeconomic level was the first variable predictor. Calcium intake, as well as the percentage of appropriate diets, was lower in individuals with MS. It is possible to conclude that MS prevalence is also high in young individuals and that high blood pressure helps diagnosing it. Socioeconomic level was a crucial point related to MS incidence in women. It is important to control risk factors in a way to reduce diabetes incidence and cardiovascular illnesses in young people.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10127
Aparece nas coleções:PPGASC - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_2523_2004_Luciane Bresciani Salaroli.pdf25.23 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.