Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10131
Título: Análise espaço-temporal da mortalidade por esclerose múltipla no Brasil
Autor(es): Oliveira, Letícia Chagas de
Orientador: Oliveira, Elizabete Regina Araújo de
Data do documento: 12-Mai-2016
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: A esclerose múltipla é uma doença inflamatória neurológica, crônica, do sistema nervoso central. É desencadeada por fatores ambientais em indivíduos geneticamente suscetíveis, a qual acomete principalmente adultos jovens, na faixa etária dos 20 aos 40 anos. Objetivos: Descrever o perfil epidemiológico da população de óbitos por esclerose múltipla com ano de óbito entre 2000 a 2012, segundo sexo, faixa etária, escolaridade e estado civil nas 5 regiões brasileiras; Analisar a tendência da mortalidade por esclerose múltipla no Brasil, segundo local de residência, sexo e faixa etária no período de 1980 a 2013;Realizar uma análise espacial dos casos de óbitos por esclerose múltipla notificados no Brasil segundo o local de residência, no período de 2009 a 2013. Metodologia: estudo ecológico misto de dados secundários de saúde, com enfoque em três etapas: descritiva, análise espacial e análise temporal (tendência) dos dados. Foram estudados todos os óbitos por esclerose múltipla no Brasil notificados no SIS/DATASUS, CID9 categoria 340 para os anos de 1980 a 1995 e CID10 categoria G-35 para os anos de 1996 a 2013, com um total de 4016 casos. Para análise de dados da tendência utilizou-se regressão linear simples e múltipla, teste Z com intervalo de significância de 95% e o programa STATA versão 12; para a análise espacial foram utilizados o índice de Moran Local e Global para identificação das áreas de risco deste agravo segundo os Estados. O software utilizado foi o Terraview 4.2.0. Resultados: Dos 4016 óbitos observados de 2000 a 2012 59,8% (2.402) foram do sexo feminino, 67,9% (2.728) de cor branca e 44,6% (1.792) eram casados. A tendência de morte se mostrou crescente em todas as dimensões analisadas. A análise espacial mostrou um padrão de distribuição espacial se concentrando na região sul e sudeste do Brasil. Considerações Finais: o perfil de óbitos por esclerose múltipla no Brasil segue o padrão do perfil de outros países, porém sua mortalidade crescente vai de encontro a dos países desenvolvidos, seu padrão espacial sugere, assim como em outros estudos, a mediação de um importante fator ambiental que é a incidência de luz solar, porém no Brasil temos poucos estudos sobre a temática.
Multiple sclerosis is a neurological inflammatory disease, chronic of central nervous system. It is triggered by environmental factors in genetically susceptible individuals, which affects mostly young adults, aged 20 to 40 years. Objectives: To describe the epidemiological profile of the population of deaths from multiple sclerosis, with death year between 2000 to 2012, according sex, age, education and marital status in the 05 regions of Brazil. To analyze trends in mortality from multiple sclerosis in Brazil, according to place of residence, sex and age from 1980 to 2013. Perform a spatial analysis of cases of multiple sclerosis deaths reported in Brazil by place of residence, from 2009 to 2013. Methodology: mixed ecological study of secondary health data, focusing on three steps: descriptive, spatial analysis and temporal analysis (trend) of the data. They studied all deaths caused by multiple sclerosis in Brazil notified in the SIS / DATASUS, ICD9 category 340 for the years 1980 to 1995 and ICD10 category G-35 for the years 1996-2013, with 4,016 cases. For trend data analysis were used simple and multiple linear regression, Z test with 95% meaningfulness interval and STATA program version 12; for spatial analysis were used the Moran index Local and Global for identification of risk areas of this grievance according to the States. The software used was Terraview 4.2.0. Results: Of the 4016 deaths observed from 2000 to 2012 59.8% (2,402) were female, 67.9% (2,728) were white and 44.6% (1,792) were married. The tendency of death increased in all analyzed dimensions. The spatial analysis showed a pattern of spatial distribution focusing in the area south and southeast of Brazil. Final considerations: the deaths profile for multiple sclerosis in Brazil follows the pattern profile from other countries, but its increasing mortality goes against the developed countries, their spatial pattern suggests, as in other studies, the mediation of an important environment factor, that is the incidence of sunlight, but in Brazil there are few studies on the subject.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10131
Aparece nas coleções:PPGASC - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_9915_2014_Leticia Chagas.pdf786.53 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.