Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/11134
Título: O extrato etanólico da planta medicinal Combretum leprosum previne déficits cognitivos em um modelo murino de isquemia cerebral global
Autor(es): Ferreira, Glenda Gomes
Orientador: Silva, Cristina Martins e
Coorientador: Pires, Rita Gomes Wanderley
Data do documento: 3-Mai-2019
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: O acidente vascular encefálico (AVE) está descrito entre as maiores causas de morte no mundo de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). O AVE é subdividido em isquêmico (AVEi) e hemorrágico (AVEh), sendo o primeiro mais prevalente. A interrupção de sangue em uma determinada região do cérebro no AVEi cria duas regiões distintas no tecido: o ―núcleo isquêmico‖ e a ―penumbra isquêmica‖. As células do núcleo isquêmico morrem primariamente por necrose pela falta direta de suprimentos básicos para a sobrevivência celular, enquanto as células da região de penumbra morrem por apoptose, sendo essa região factível de intervenção. O principal tratamento farmacológico disponível hoje envolve o uso do medicamento Alteplase, um trombolítico cuja utilização é extremamente restrita. Nesse sentido, novas abordagens são necessárias a fim de ampliar o espectro terapêutico, além de reduzir os efeitos colaterais. E é nessa perspectiva que as plantas medicinais da flora brasileira são uma potente fonte para o desenvolvimento de novos medicamentos para o tratamento do AVEi. De todo o exposto acima, nosso trabalho avaliou o possível efeito do tratamento com o extrato etanólico da planta medicina lCombretum leprosum (EECL) em prevenir os danos celulares e cognitivos causados por AVEi em camundongos. Para isto, utilizamos camundongos machos da espécie Mus musculus e linhagem Swiss, 8-10 semanas (CEUA 53/2017 – UFES), os quais foram submetidos a um modelo de isquemia global/reperfusão (BCCAo) e tratados oralmente com EECL na dose de 100mg/kg. Os animais foram divididos em quatro grupos experimentais: sham veículo (salina+tween20) (SV), sham extrato (salina+tween 20 + EECL) (SE), isquemia veiculo (IV) e isquemia extrato (IE). Após recuperação anestésica, os animais receberam duas doses de EECL ou veículo com intervalo de 3 horas entre as doses e esse regime foi repetido 24hs depois. Posteriormente, a dose passou a ser única até o final dos experimentos. A quantificação da área de infarto demonstrou uma redução da área isquêmica em de 33%. O tratamento também demonstrou uma diminuição significativa nos déficits cognitivos relacionados a memória espacial e de reconhecimento de objeto. A melhora encontrada no tratamento do AVEi está possivelmente relacionada ao aumento de células imunopositivas para o marcador neuronal NeuN no ensaio Imunofluorescência em animais do grupo IE, bem como a diminuição da expressão do marcador de astrócitos ativados GFAP nesse mesmo grupo. Dessa forma, nosso estudo traz evidências promissoras da utilização do EECL no tratamento do AVEi.
Stroke (AVE) is described as one of the main causes of death according to the World Health Organization (WHO). The AVE is subdivided into ischemic (AVEi) and hemorrhagic (AVEh), the first being more prevalent. The interruption of blood in a particular region of the brain in the AVEi creates two distinct regions in the tissue: the "ischemic nucleus" and the "ischemic penumbra". The cells of the ischemic nucleus are first affected from necrosis due to the direct lack of basic supplies for the cell survival, while cells in the penumbra region die from apoptosis, being this region feasible of intervention. Currently, the main pharmacological therapeutic approach involves the use of Alteplase, a thrombolytic drug that is extremely restricted. Thus, new approaches are needed to therapeutic spectrum, in addition to reducing the side effects. To this end, medicinal plants of the Brazilian flora are a powerful source for the development of medicines for the treatment of stroke. Given the above, our work evaluated the possible effect of the treatment with the ethanolic extract of the medicine plant Combretum leprosum (EECL) in preventing cellular and cognitive damage caused by AVEi in mice. Herein, in the present study, we used male mice of the Mus species musculus and Swiss lineage, 8-10 weeks (CEUA 53/2017 - UFES), which were submitted to a global ischemia / reperfusion (BCCAo) model and treated orally with EECL at the dose of 100mg / kg. The animals were randomly divided into four experimental groups: vehicle sham (saline + tween20) (SV), sham extract (saline + tween 20 + EECL) (SE), vehicle ischemia (IV) and ischemia extract (IE). After anesthesia recovery, the animals received two doses of EECL or vehicle at intervals of 3 hours between doses and this regimen was repeated 24 hours later. Subsequently, the dose became unique until the end of the experiments. The quantification of the infarct area showed a reduction of the ischemic area by 33%. Additionally, our data shows that the treatment decrease the cognitive deficits related to spatial memory and object recognition. The improvement found in the treatment of AVEi is possibly related to the increase of cells immunopositive for the neuronal marker NeuN in the Immunofluorescence assay in animals of the IE group, as well as the decrease of the expression of the marker of activated astrocytes GFAP in the same group. Overall, this report provides promising evidence of the potencial use of EECL in the treatment of stroke.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/11134
Aparece nas coleções:PPGBF - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_13224_Dissertação Preliminar - Glenda Gomes Ferreira.pdf1.07 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.