Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/11175
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorSalaroli, Luciane Bresciani-
dc.date.accessioned2019-05-25T02:01:35Z-
dc.date.available2019-05-24-
dc.date.available2019-05-25T02:01:35Z-
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/11175-
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.subjectAgrotóxicospor
dc.subjectSistemas de informaçãopor
dc.subjectProdutos químicos agrícolaspor
dc.subjectPesticideeng
dc.subjectPoisoningeng
dc.subjectInformation systemseng
dc.titleIntoxicações exógenas por agrotóxicos : uma análise de registros ocorridos no Espírito Santopor
dc.typemasterThesisen
dc.subject.udc614-
dc.subject.br-rjbnIntoxicaçãopor
dc.subject.br-rjbnPesticidaspor
dc.subject.br-rjbnProdutos agrícolaspor
dcterms.abstractO uso de substâncias como praguicidas ocorre desde o período pré-industrial. Com o término da Segunda Guerra Mundial e necessidade de escoamento das substâncias usadas como armas químicas, surgiram os agrotóxicos. Com seu uso incentivado pela Revolução Verde, a utilização desses produtos vem aumentando mundialmente e principalmente nos países em desenvolvimento. O Brasil é atualmente o maior consumidor mundial de agrotóxicos e o número crescente dos casos de intoxicação vem chamando a atenção para esse agravo. Atualmente o Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) recebe as notificações das intoxicações exógenas por agrotóxicos de forma compulsória. Dados do Ministério da Saúde do Brasil mostraram um aumento acentuado do número de intoxicações por agrotóxicos no Espírito Santo entre os anos de 2007 e 2013. Neste estudo o objetivo foi descrever os casos confirmados de intoxicações exógenas por agrotóxicos no Estado do Espírito Santo entre 2007 a 2016. Foram feitas análises descritivas das variáveis socioeconômicas e relacionadas à exposição para todo o território e para as áreas urbanas e rurais. Foram realizadas regressão linear e quadrática para análise de tendência temporal e distribuição das taxas médias de incidência dos casos confirmados de forma decenal e quinquenal. Os resultados mostraram aumento na taxa de incidência, do número de notificações, casos confirmados e óbitos por intoxicação exógena por agrotóxicos no estado do Espírito Santo na série histórica. A população estudada foi composta predominantemente por indivíduos do sexo masculino (n=2457; 63,7%), na faixa etária de 20 a 29 anos (n=936; 24,3%) e 30 a 39 anos (n=903; 23,4%), de cor branca (n=1465; 46,6%), com ensino fundamental incompleto (n=1176; 54,6%) e que trabalha informalmente (n=1166; 46,3%). O número de casos notificados (n=2457; 20,0%) e casos confirmados (n=1620; 65,9%), além da taxa de letalidade (n=63; 0,9) e taxa de incidência (0,09) relacionadas às intoxicações por agrotóxicos é maior entre os homens do que entre as mulheres. A intoxicação intencional com motivação suicida é maior no sexo masculino. A classe química de agrotóxicos mais envolvida nos casos notificados estudados foram os inseticidas, seguidos dos acaricidas e herbicidas. Sendo que os raticidas foram responsáveis por 39% das intoxicações na área urbana e os agrotóxicos de uso agrícola por 85% na área rural. Os mapas coropléticos mostraram a importância da notificação compulsória para aproximação das notificações confirmadas aos casos ocorridos. O estudo mostrou qual o perfil da população atingida por esse agravo e quais municípios são mais afetados pelas intoxicações por agrotóxicos. A proporção dos casos quando relacionados a área urbana ou rural mostrou porcentagens semelhantes nas áreas urbana e rural (51,8% e 48,2% respectivamente), entretanto, a incidência na área rural é 4,7 vezes maior que a urbana (200,9 e 43,1 por 100.000hab respectivamente). Os casos na zona urbana ocorrem em indivíduos com mais anos de estudo e em ambos os sexos. Na zona rural, a baixa escolaridade é mais frequente. A tendência de aumento nas intoxicações exógenas por agrotóxicos no Espírito Santo, as diferenças encontradas nas características sociodemográficas e relacionadas à exposição e trabalho nas áreas urbanas e rurais mostram a gravidade das intoxicações exógenas por agrotóxicos. Essa caracterização é importante para estruturar políticas públicas e ações que combatam esse agravo.por
dcterms.abstractThe use of substances as pesticides occurs from the pre-industrial period. With the end of World War II and the emergence of mechanisms as chemical weapons, pesticides arose. With its use encouraged by the Green Revolution, the use of the products has become worldwide and especially in developing countries. Brazil is the world's largest consumer of pesticides and the highest number of cases of intoxication has been drawing attention to this problem. At present, the SINAN (National Aggravated Diseases Information System) receives the following information: exogenous by agrochemicals in a compulsory manner. Data from the Ministry of Health on the year 2007 and 2013. In this study, the confirmed cases of exogenous poisoning by pesticides in the State of Espirito Santo between 2007 and 2016. Descriptive analyzes of the socioeconomic and exposure-related parameters were done for the whole territory and for urban and rural areas. Linear and quadratic regression for analysis of temporal trend and communication of confirmed cases of decennial and quinquennial form. The criteria for participation in the analysis rate, the number of data, the confirmed and obvious cases of exogenous intoxication by pesticides in the state of Espírito Santo in the historical series. The study studied was predominantly male (n = 2457, 63.7%), in the age group 20-29 years (n = 936, 24.3%), and 30-39 years (n = 903; (N = 1166, 46.6%) and informal workers (n = 1166, 46.3%). The number of cases reported (n = 2457, 20.0%), confirmed cases (n = 1620, 65.9%), case fatality rate (n = 63, 0.9) and incidence rate Poisoning by agrochemicals is greater among men than among women. Intentional poisoning with suicidal motivation is greater in males. The chemical class of pesticides most involved in reported cases were insecticides, followed by acaricides and herbicides. The raticidal rates were 39% of the poisonings in the urban area and the pesticides of agricultural use by 85% in the rural area. Coropléticos maps were submitted to compulsory notification to approach the confirmed interviews to the cases that occurred. The study compared the profile of the population affected by the disease and the municipality is most affected by pesticide poisonings. An analysis of cases when linked to an urban or rural area with a proportion of urban and rural areas (51.8% and 48.2%), is, however, a rural area of 4.7 times larger than urban areas (200.9 and 43.1 per 100,000 ha respectively). The cases in urban session are in with the oldest years of study and in both sexes. In rural areas, low schooling is more frequent. The trend of increase in exogenous intoxications by pesticides in Espírito Santo, as the differences in socio-demographic characteristics and related to exposure and work in urban and rural areas show a seriousness of exogenous intoxications by pesticides in our state. This is it for personal activities for actions and actions that combat this aggravation.eng
dcterms.creatorCarvalho, Karla Patrício-
dcterms.formatTextpor
dcterms.issued2019-03-29-
dcterms.languageporpor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Saúde Coletivapor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.subject.cnpqSaúde Coletiva-
dc.publisher.courseMestrado em Saúde Coletivapor
dc.contributor.refereeScherer, Rodrigo-
dc.contributor.refereeSantos Neto, Edson Theodoro dos-
dc.contributor.advisor-coZandonade, Eliana-
Aparece nas coleções:PPGASC - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_13319_kARLA PATRICIO.pdf
  Restricted Access
3.38 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir    Solictar uma cópia


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.