Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5289
Título: Prolongamento do intervalo QT associado à magnésio baixo em alcoolistas crônicos
Autor(es): Moulin, Stephanie Rezende Alvarenga
Orientador: Gomes, Maria da Penha Zago
Coorientador: Mill, José Geraldo
Data do documento: 9-Dez-2014
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: INTRODUÇÃO: O alcoolismo é uma dependência à droga psicoativa de alta prevalência em todo o mundo. Já foi descrito que o álcool associa-se a distúrbios elétricos cardíacos como prolongamento do intervalo QT. O QT longo, uma alteração incomum entre indivíduos saudáveis (0,0017-0,31%), pode desencadear taquiarritmias e morte súbita e poderia ser causado diretamente pelo álcool e pela hipomagnesemia desencadeada por ele. MÉTODOS e RESULTADOS: Estudo de associação entre as alterações eletrocardiográficas, clínicas e laboratoriais em alcoolistas ativos comparados a alcoolistas abstinentes há mais de 7 dias e indivíduos não-alcoolistas. Foram avaliados 166 alcoolistas (62 alcoolistas ativos e 104 alcoolistas abstinentes) e 45 não-alcoolistas. Houve maior ocorrência de QT longo entre os alcoolistas ativos do que entre os alcoolistas abstinentes (16% vs. 2% OR 9,81 p = 0,011). Nos não-alcoolistas não foi encontrado alteração do intervalo QT. A frequência cardíaca foi maior entre os alcoolistas ativos, assim como maior a presença de taquicardia neste grupo. Os demais parâmetros do eletrocardiograma tiveram frequências semelhantes entre os grupos. A presença de hipomagnesemia também foi maior entre os alcoolistas ativos (26%) do que entre abstinentes (10% OR 3,11 p = 0,013) e não-alcoolistas (5% OR 6,30 p = 0,022). Os níveis de magnésio sérico mostraram uma relação inversamente proporcional a duração do intervalo QT corrigido entre os alcoolistas ativos (β = - 35,1 ms / p = 0,005). A dosagem de potássio e cálcio foram semelhantes entre os grupos. A presença de hipocalcemia se mostrou significativamente mais frequente entre aqueles com QT longo, porém quando feita a análise de correlação entre cálcio e intervalo QT para os alcoolistas ativos, não houve significância estatística (p = 0,238). CONCLUSÃO: Houve maior associação de QT longo e hipomagnesemia nos alcoolistas crônicos ativos. O magnésio baixo foi preditor de prolongamento do intervalo QT. A dosagem de íons e a realização de eletrocardiograma são exames importantes para diagnóstico precoce de alterações que podem desencadear arritmias fatais em alcoolistas crônicos e devem ser solicitados de rotina no atendimento da Síndrome de Abstinência Alcóolica.
BACKGROUND: Alcoholism is a high prevalence addiction worldwide. Abusive alcohol intake is associated with cardiac arrhythmias. Chronically, it seems that alcohol is associated with cardiac electrical disorders such as prolongation of the QT interval, an unusual change between healthy subjects (0.0017 to 0.31%), which may lead to tachyarrhythmias and sudden death. QT prolongation can be associated to alcohol intake and hypomagnesaemia. METHODS and RESULTS: We compared the electrocardiographic changes and plasma magnesium in active alcoholics (n=62), more than 7 days abstinent alcoholics (n=104) and non-alcoholics (n=45) attending to a outpatient clinic. There was a higher prevalence of long QT in active alcoholics than in abstinent alcoholics (16% vs. 2% OR=9.81 p=0.011), and no abnormalities in non-alcoholics. Heart rate was higher among active alcoholics, as well as the greater the presence of tachycardia in this group. The other ECG parameters were similar frequencies between the groups. Hypomagnesaemia was also more frequent in active alcoholics (26%) than in abstinent alcoholics (10% OR=3.11 p=0.013) and non-alcoholics (5% OR=6.30 p=0.022). Serum magnesium levels showed an inverse relationship (r=0.39; p<0.005) to duration of the corrected QT interval in active alcoholics (Beta = -35.1 ± 11.6 ms/(mg/dL) but not in the other two groups. Potassium and Calcium dosages were similar between groups. The presence of hypocalcemia was significantly more common among those with long QT, but when done the analysis of correlation between calcium and QT interval for active alcoholics, there was no statistical significance (p = 0.238). CONCLUSION: There was a higher association of long QT and hypomagnesaemia in active chronic alcoholics. Low magnesium was predictor of QT interval prolongation. The dosage of ions and performing electrocardiogram are important tests for early diagnosis of changes that can trigger life-threatening arrhythmias in chronic alcoholics and should be routinely required in the care of Alcohol Withdrawal Syndrome.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5289
Aparece nas coleções:PPGMED - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_8362_Dissertacao.Stephanie20150814-182536.pdf2.17 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.