Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7176
Título: Respostas cardiorrespiratórias ao treinamento e destreinamento com kettlebell em mulheres jovens
Autor(es): Zimerer, Carla
Orientador: Perez, Anselmo José
Data do documento: 20-Mar-2017
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: O consumo máximo de oxigênio ( O2máx) é um parâmetro chave da aptidão cardiorrespiratória. Melhoras nesse paramêtro a partir do treinamento kettlebell (KTB) podem ser obtidas com a especificidade das respostas cardiovasculares e metabólicas geradas a partir da manipulação de variáveis, tais como a frequência, a duração e a intensidade do treinamento. Contudo, os estudos encontrados acerca dos efeitos do treinamento KTB na aptidão cardiorrespiratória são poucos, dificultando a discussão acerca de quais modelos desse tipo de treinamento são mais eficazes para promover o aumento do O2máx. Além disso, relatos acerca dos efeitos do destreinamento e da progressão individualizada de intensidade, relacionados ao KTB, não foram encontrados. O objetivo do presente estudo foi avaliar os efeitos do treinamento KTB (10 semanas) e do destreinamento (4 semanas) na aptidão cardiorrespiratória de 15 mulheres jovens. Para tal, os valores do O2máx foram obtidos em três momentos: antes do treinamento (PRE), após o treinamento (PÓS) e após o destreinamento (DES). O treinamento KTB foi realizado em três dias da semana e a progressão de carga das sessões foi prescrita de maneira individualizada. Foi encontrado um aumento significativo no O2máx (8,1%) em decorrência do treinamento KTB. Não foram encontradas diferenças significativas no O2máx quando comparados os momentos PRÉ e DES. Em conclusão, foi possível notar que 10 semanas de treinamento KTB de alta intensidade foram eficazes para promover aumento significativo no consumo máximo de oxigênio de mulheres jovens. O efeito decorrente desse aumento, contudo, foi anulado após o período de destreinamento de curto prazo (4 semanas).
The maximum oxygen consumption ( O2max) is a key parameter of cardiorespiratory fitness. Improvements in this parameter from the kettlebell training (KTB) can be obtained with the specificity of the cardiovascular and metabolic responses generated from the manipulation of variables, such as frequency, duration and training intensity. However, few studies investigated the effect of KTB training on cardiorespiratory fitness and based on these studies, it is difficult to discuss which type of training models are most effective to increase the O2max. In addition, it’s not known the effects of detraining and individualized prescription intensity models related to KTB. For this purpose, O2max values were obtained in three moments: before training (PRE), after training (POS) and after detraining (DES). Based on these assumptions, the aim of this study was to evaluate the effects of KTB training (10 weeks) and detraining (4 weeks) on the cardiopulmonary fitness in 15 young women. The KTB training was performed on three days of the week and the intensity of the sessions was prescribed individually. A significant increase in maximal oxygen consumption (8.1%) was found as a result of KTB training. No significant differences were found in O2max when the PRE and DES moments were compared. In conclusion, it was found that 10 weeks of high intensity KTB training were effective in promoting significant increase in maximal oxygen uptake in young women. The effect of this increase, however, was reversed after the shortterm detraining period (4 weeks).
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7176
Aparece nas coleções:PPGEF - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_10820_Carla Zimerer_Dissertação.pdf1.15 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.