Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/11214
Título: Inclusão escolar e direito à educação de crianças público alvo da educação especial na educação infantil : o que dizem os professores especializados
Autor(es): Hernandez-Piloto, Sumika Soares de Freitas
Orientador: Victor, Sonia Lopes
Data do documento: 30-Jan-2018
Citação: HERNANDEZ-PILOTO, Sumika Soares de Freitas. Inclusão escolar e direito à educação de crianças público alvo da educação especial na educação infantil: o que dizem os professores especializados. 2018. 220 f. Tese (Doutorado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Espírito Santo, Centro de Educação, Vitória, 2018.
Resumo: Este trabalho analisa os conceitos de inclusão escolar e de direito à educação de crianças público-alvo de educação especial na educação infantil, presentes no debate de diversas temáticas evidenciadas nos discursos de professores de educação especial, de um município que conseguiu atender a meta de acesso dessas crianças nessa modalidade de ensino nas creches e pré-escolas. Para tanto, realiza um estudo exploratório com professoras especializadas, atuantes nas instituições de educação infantil, e gestores(as) de educação infantil, educação especial e de formação, que atuam no âmbito do Sistema Municipal de Educação de Vitória/ES. Com base em uma abordagem qualitativa, o estudo exploratório envolve análises documental e bibliográfica, a realização de grupo focal com professoras de educação especial e a aplicação de entrevista semiestruturada aos participantes como instrumento para a investigação do tema. De certo modo, as narrativas apontam a necessidade de avanço na concepção do direito à qualidade da educação especial, porém, sobre educação especial na perspectiva de uma educação inclusiva, emancipadora e libertadora, observa-se que necessitam de aprofundamento para uma formação que potencialize a articulação entre as concepções específicas e, de forma geral, sobre educação, direito à educação e à inclusão escolar. Ainda que o município de Vitória/ES avance na meta de acesso de quase 100% de crianças nas instituições de educação infantil públicas, com aumento de matrículas na educação especial e investimentos em política de formação de professores de educação especial, as professoras relatam dificuldade no entendimento, tanto delas quanto dos demais professores e profissionais na escola, sobre o trabalho docente a ser desenvolvido, suas atribuições e as dificuldades na oferta e execução dos serviços de apoio. Existem intensos investimentos do município, nos processos de formação continuada, porém desenvolvida, na sua maioria nos cursos com os professores especializados. Nesse sentido, consideramos que os processos formativos necessitam ser ampliados a todos(as) os(as) profissionais da instituição de educação infantil, que trabalham na perspectiva da inclusão de crianças indicadas à educação especial. Ainda é preciso intensificar a luta pelo reconhecimento desse direito das crianças pequenas público alvo da educação especial na educação infantil. Outro destaque evidenciado pela pesquisa foi de que cerca de 70% das professoras participantes apresentaram um ecletismo teórico-metodológico ao relatar suas concepções a respeito do desenvolvimento infantil de crianças público da educação especial. Esse dado pode conduzir à fragilidade da concepção de direito à educação e à inclusão escolar dessas crianças, ao enfatizarem mais causas orgânicas em detrimento das culturais para o desenvolvimento infantil desse grupo. Nessa direção, concluímos que as normativas municipais das políticas de educação especial e infantil necessitam se ocupar dos processos formativos dos profissionais, considerando os avanços apresentados em relação às concepções de direito à educação e à inclusão escolar de crianças público da educação especial nas instituições municipais de educação infantil e a necessidade de que esses processos possam corresponder a esses avanços.
but also from the part of other professionals in schools. There are huge investments of the municipality, in the process of continuous training, but developed with the specialized teachers. This way, we consider that the formative processes need to expand to all professionals of the institution of preschool which work in the perspective of inclusion for children of special education. We still need to intensify the fight for the recognition of the right of these children who are the target audience of the special education. Another point which is discovered with the research is that about 70% of the teachers who participate of the study show an eclectic theory-methodological approach when they tell their conceptions regarding children development of special education. This data can reveal the fragility of the conception of the right to education and of the inclusion in school of these children, when emphasizing more organic causes rather than cultural ones to de development of this group. Thus, we conclude that the municipality norms of special education policies need to observe more closely of the formative processes of the professionals, considering the advances displayed related to the conceptions of the right to education and the inclusion in school of children of special education in the nursery schools of the municipality and the need that these processes can correspond to these advances.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/11214
Aparece nas coleções:PPGE - Teses de doutorado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_12832_Versão final tese Sumika (1).pdf1.98 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.