Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/11296
Título: Afetividade e cognição no uso de redes sociais digitais por idosos
Autor(es): De Marchi, Barbara Frigini
Orientador: Rossetti, Claudia Broetto
Data do documento: 29-Mar-2019
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: Vivemos em uma sociedade conectada em rede pela internet, que é, simultaneamente, uma sociedade cada vez mais envelhecida. Juntos, esses fatores contribuem para que o número de idosos usuários de redes sociais digitais (RSD) aumente significativamente. Desse modo, essa dissertação se propôs a investigar aspectos afetivos e cognitivos envolvidos na utilização dessas redes pelo público mais velho. Foram entrevistadas 26 pessoas, divididas de forma homogênea quanto ao sexo, com idades entre 65 e 74 anos, com no mínimo ensino fundamental completo, que possuíssem smartphones ou computadores e, ainda, tivessem e acessassem RSD. A amostra se deu por conveniência, com base no método bola-de-neve. Os dados foram coletados por meio da realização de entrevistas individuais, a partir de dois roteiros semiestruturados, tendo por referência o método clínico piagetiano. A análise dos dados ocorreu com base na análise de conteúdo, priorizando-se a leitura qualitativa. Os resultados indicaram que os idosos, apesar de não pertencerem a uma geração nativa das tecnologias, estão ativos e participativos em diversas RSD, demonstrando preocuparem-se em acompanhar as evoluções tecnológicas e, assim, sentirem-se pertencentes ao contexto social atual. O WhatsApp apareceu com destaque dentre as RSD citadas, sendo tanto a que mais utilizam como a que preferem. Sobre as ações que desenvolvem, os entrevistados indicaram a troca de mensagens e arquivos multimídias, leitura de notícias, trabalho e felicitações a aniversariantes. Verificou-se que o elemento que mais os motiva a ter e acessar as RSD é a comunicação, e que o uso delas pode favorecer relações sociais e afetivas, contribuindo para um envelhecimento mais positivo. Os participantes demonstraram também formar novos laços afetivos e diminuir o sentimento de solidão por meio dessas redes, ampliando seus relacionamentos e a comunicação interpessoal. Esse estudo propiciou, portanto, a compreensão de que o uso de RSD tem potencial para mobilização de aspectos afetivos e cognitivos em idosos e para promoção de desenvolvimento na medida em que atuam como fonte de desequilíbrios ao contrário dos antigos paradigmas da Psicologia, que encaravam a velhice como um período exclusivamente de perdas. Espera-se com esse trabalho contribuir para outras investigações com foco na velhice e nas novas tecnologias a partir da perspectiva da Psicologia do Desenvolvimento. Almeja-se, ainda, que os dados possam servir de subsídios para produções acadêmicas futuras, bem como a políticas públicas.
We live in a society networked through the internet, which is simultaneously an increasingly aging society. Together, these factors contribute to causing the number of elderly users of digital social networks (DSN) to increase significantly. Thus, this dissertation proposes to investigate affective and cognitive aspects involved in the use of these networks by older audiences. We interviewed 26 people, who were homogeneously divided into sex; were aged between 65 and 74 years old; had finished at least elementary education; had smartphones or computers; and also had access to DSNs. The sample was given for convenience, based on the snowball method. Data were collected through individual interviews, based on two semistructured scripts, which were in turn guided by the Piagetian clinical method. Data analysis was based on content analysis, prioritizing the qualitative reading. The results indicated that the elderly, even though not belonging to a native generation of these technologies, are active and participative in several DSNs, which shows that they are concerned about keeping up with technological evolutions and, therefore, feel that they belong to the current social context. WhatsApp appeared prominently among the DSNs mentioned, being both the most used and preferred. Regarding the actions they perform, respondents listed exchanging text messages and multimedia files; reading news; working; and wishing happy birthday. We verified that the element that motivates them the most to access DSNs is communication, and that digital network use can favor social and affective relations, contributing to a more positive aging. Participants also showed that they have made new affective bonds and diminished the feeling of loneliness through these networks, broadening their relationships and interpersonal communication. This study, therefore, provided an understanding that the use of DSNs can potentially mobilize affective and cognitive aspects among the elderly, and promote development as networks act as a source of imbalances, unlike the old paradigms of Psychology, which saw old age solely as a period of losses. We hope that this study will contribute to other investigations focusing on old age and new technologies from the perspective of Developmental Psychology. We also hope that the data can serve as a subsidy for future academic productions, as well as for public policies.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/11296
Aparece nas coleções:PPGP - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_11543_Dissertação - Barbara - Versão final com capa dura 02.pdf1.9 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.