Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3701
Título: Aspectos argumentativos e polifônicos do operador discursivo ainda
Autor(es): Costa, Ilioni Augusta da
Orientador: Carvalho, José Augusto
Data do documento: 21-Fev-2008
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: Esta pesquisa tem como proposta a análise e descrição de enunciados-título do jornal Folha de S. Paulo, anos 2006-2007, constituídos pelo operador argumentativo ainda. Por meio de uma descrição lingüística de perspectiva estruturalista, este estudo se fundamenta na teoria da Semântica Argumentativa (ou Semântica da Enunciação), cujo precursor é Oswald Ducrot, para o qual a função precípua da língua é a argumentação. A língua, nesse sentido, é concebida como um jogo de vozes, com as quais o locutor ou concorda, ou se identifica, ou das quais discorda. Apresenta-se o tratamento dado pela NGB e, por extensão, pelas Gramáticas Tradicionais (GTs) ao morfema ainda – classificado morfologicamente como advérbio, e considerado sintaticamente como termo meramente acessório, e analisa-se esse mesmo morfema, do ponto de vista da Teoria da Argumentação na Língua (TAL), como operador discursivo, marca lingüística que se apresenta como uma estratégia de que o locutor lança mão, a fim de conseguir a adesão de seu interlocutor às suas idéias. Objetiva-se demonstrar que, embora tradicionalmente relegado a uma condição marginal pelas gramáticas tradicionais, nos estudos da linguagem esse operador é recuperado pela Semântica Argumentativa, que o reconhece como possuidor de grande força argumentativa, cuja função, nos enunciados, é fundamental na construção dos sentidos.
The research aims at analyzing and describing headlines of the Folha de S. Paulo newspaper, 2006-2007, constituted by the argumentative operator still. Through a linguistic description of a structural perspective, the study is based on the Argumentative Semantics theory (or Enunciation Semantics), having Oswald Ducrot as precursory, which principal function of the language is the argumentation. The language, in this way, is conceived as a game of voices that the announcer either agrees or identifies with or disagrees. The treatment given by NGB is presented and, at length, by the Traditional Grammars (GTs) related to the morpheme still – morphologically classified as adverb, and syntactically considered as an accessory term, and such morpheme is analyzed, from the Theory of Argumentation in the Language (TAL), as discursive operator, linguistic mark that is presented as a strategy which the announcer seizes upon, aiming at the interlocutor adhesion to the announcer’s ideas. The research goal is showing that, although traditionally relegated to a marginal condition by traditional grammars, in studies of the language that operator is recovered by the Argumentative Semantics that acknowledges it as a possessor of great argumentative power, which function in the headlines is fundamental in the construction of senses.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3701
Aparece nas coleções:PPGEL - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_3101_Dissertação - Ilione Costa.pdf609.48 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.