Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6932
Título: "Ocorrência de Ehrlichia spp., Anaplasma spp., Babesia spp., Hepatozoon spp. e Rickettsia spp. em cães domiciliados em seis municípios do Estado do Espírito Santo, Brasil"
Autor(es): Vieira, Fernanda de Toledo
Orientador: Dietze, Reynaldo
Data do documento: 20-Jul-2017
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: Doenças transmitidas por carrapatos representam importante causa de morbidade e mortalidade em cães (Canis lupus familiaris) em todo o mundo, tendo o Rhipicephalus sanguineus sensu lato (s.l.) como vetor de vários agentes. É muito importante conhecer a prevalência destas doenças, seus vetores e hospedeiros com o objetivo de controlar e prevenilas em determinada região. Doenças transmitidas por carrapatos apresentam importância tanto para a Medicina Veterinária quanto para a Saúde Pública. Este trabalho tem como objetivo identificar e quantificar o percentual de infecção para Rickettsia spp., Ehrlichia spp., Babesia spp. e Hepatozoon spp. em cães domiciliados e identificar os carrapatos coletados nestes animais nos municípios de Santa Teresa, Colatina, Alegre, Vila Velha, Vitória e Serra. Participaram deste estudo 378 cães, 226 fêmeas e 152 machos, de diversas raças e idades (média de 4,1 anos) com ectoparasitismo (carrapatos) ou histórico de parasitismo recente (até 30 dias). Dos 378 cães examinados, 157 (41,53%) apresentavam carrapatos no momento da consulta os quais foram identificados como R. sanguineus s.l. em 154 animais (98,1%), Amblyomma ovale em um animal (0,63%) e Amblyomma sculptum em 2 animais (1,27%). Todos os animais examinados tiveram sangue total coletados para a realização de exames moleculares: PCR Real Time para Ehrlichia canis, PCR para Babesia spp., PCR para Hepatozoon spp. e PCR para Anaplasmataceae. No PCR Real Time específica para E. canis, 28 animais (7,4%) foram positivos. Para Anaplasmataceae, 34 animais (9%) foram positivos, dos quais 10 geraram sequências de DNA com 100% de similaridade com Ehrlichia canis e as outras 24 amostras geraram um fragmento com 100% de similaridade com Anaplasma platys. No PCR para Babesia spp., 5 animais (1,3%) foram positivos, gerando sequências de DNA 100% idênticas com Babesia vogeli. Por fim, 39 animais (10,31%) foram positivos na PCR para Hepatozoon spp., gerando sequências 100% idênticas a Hepatozoon canis. Observou-se co-infecção com 2 ou 3 agentes em 22 animais (5,8%). Dos 378 cães do estudo, 312 tiveram amostras de soro sanguíneo coletados para a realização de exames sorológicos: reação de imunofluorescência indireta (RIFI) para E. canis, com reação positiva em 71 animais (22,75%) e para cinco espécies de Rickettsia (R. rickettsii, R. parkeri, R. amblyommatis, R. rhipicephali e R. bellii). Dos soros analisados por RIFI,16 animais (5,13%) apresentaram títulos ≥ 64 para pelo menos uma espécie de Rickettsia das cinco testadas, sendo que 5 (1,6%) destes apresentaram títulos ≥ 64 para R. rickettsii. Estes resultados indicam que alguns dos municípios estudados apresentam agentes transmitidos por carrapatos circulando na população canina, tais como E. canis, A. platys, B. vogeli, H. canis, e possivelmente Rickettsia sp. do grupo da febre maculosa.
Tick-borne diseases are an important cause of morbidity and mortality in dogs (Canis lupus familiaris) worldwide, with the tick Rhipicephalus sanguineus sensu lato (s.l.) as a vector of various agents. It is very important to know the prevalence of these diseases, their vectors and hosts in order to control and prevent them in the given region. Tick-borne diseases have importance for both veterinary medicine and for public health. This work aims to identify and quantify the percentage of infection by Rickettsia spp., Ehrlichia spp., Babesia spp. and Hepatozoon spp. in pet dogs and identify ticks collected on these animals in the municipalities of Santa Teresa, Colatina, Alegre, Vila Velha, Vitória and Serra. The study included 378 dogs, 226 females and 152 males, of various breeds and ages (mean 4.1 years) with ectoparasites (ticks) or parasitism recent history (30 days). Of the 378 dogs examined, 157 (41.53%) had ticks at the time of consultation, which were identified as R. sanguineus s.l. in 154 animals (98.1%), Amblyomma ovale in one animal (0.63%) and Amblyomma sculptum in 2 animals (1.27%). All animals were examined and whole blood were collected and processed by molecular tests: Real Time PCR for Ehrlichia canis, and conventional PCR protocols for Babesia spp., Hepatozoon spp., and for Anaplasmataceae. In the Real Time PCR specific for E. canis, 28 animals (7.4%) were positive. For Anaplasmataceae, 34 animals (9%) were positive, of which 10 generate DNA sequences with 100% similarity with Ehrlichia canis and the other 24 samples generated fragments 100% identical to Anaplasma platys. In the PCR for Babesia spp., 5 animals (1.3%) were positive, producing DNA sequences 100% identical to Babesia vogeli. Finally, 39 animals (10.31%) were positive by PCR for Hepatozoon spp., producing sequences 100% identical to Hepatozoon canis. It was observed coinfection with 2 or 3 agents in 22 animals (5.8%). Of the 378 dogs in the study, 312 had serum samples collected for serological tests: indirect immunofluorescence assay (IFA) for E. canis, with positive reaction in 71 animals (22,75%) and five species of Rickettsia (R. rickettsii, R. parkeri, R. amblyommatis, R. rhipicephali and R. bellii). Among the sera analyzed by IFA, 16 animals (5.13%) had titers ≥ 64 for at least one species of Rickettsia of the five tested, and 5 (1.6%) of those had titers ≥ 64 for R. rickettsii. These results indicate that some of the studied municipalities have agents transmitted by ticks circulating in the canine population, such as E. canis, A. platys, B. vogeli, H. canis, and possibly spotted fever group rickettsiae.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6932
Aparece nas coleções:PPGDI - Teses de doutorado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_11560_Tese Doutorado Fernanda de Toledo Vieira com correcoes formatada em 27112017.pdf1.2 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.