Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7697
Título: Propagação vegetativa de Inga edulis Mart. por estaquia e miniestaquia
Título(s) alternativo(s): Vegetative propagation of Inga edulis Mart. by cutting and minicutting.
Autor(es): Berude, Marciana Christo
Orientador: Gonçalves, Elzimar de Oliveira
Coorientador: Alexandre, Rodrigo Sobreira
Palavras-chave: Plantas - Propagação
Árvores - Mudas
Data do documento: 26-Fev-2018
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: BERUDE, Marciana Christo. Propagação vegetativa de Inga edulis Mart. por estaquia e miniestaquia. 2018. 58 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais) – Universidade Federal do Espírito Santo, Jerônimo Monteiro, 2018.
Resumo: As técnicas de propagação vegetativa, como a estaquia e a miniestaquia, constituem uma alternativa de superação das dificuldades na propagação sexuada. Em especial, de espécies que apresentam características peculiares, como o Inga edulis, de produção de sementes recalcitrantes. Desta forma objetivou-se com esta pesquisa analisar o potencial da estaquia e da miniestaquia caulinar e foliar como método de propagação vegetativa para Inga edulis sob influência de diferentes concentrações de hormônio de crescimento AIB (ácido indol-3-butírico). O material vegetativo utilizado na pesquisa foi coletado de plantas adultas, presentes no arboreto da área experimental do Departamento de Ciências Florestais e da Madeira (DCFM), no município de Jerônimo Monteiro - ES, e de plantas juvenis do minijardim clonal formado na mesma área. O experimento foi realizado em delineamento inteiramente casualizado, testando-se diferentes concentrações de AIB. No experimento de matrizes adultas testou-se estacas foliares e caulinares de matrizes adultas, utilizando sete concentrações de AIB (0, 1000, 2000, 4000, 8000, 16000 e 32000 mg Kg-1), sendo cinco repetições para as estacas foliares, e quatro para as caulinares, e, em ambos, cada unidade experimental foi formada por dez estacas. No experimento de matrizes juvenis testou-se miniestacas foliares e caulinares utilizando cinco concentrações de AIB (0, 1000, 2000, 4000 e 8000 mg Kg-1), com cinco repetições e cada unidade experimental continha oito estacas. O estaqueamento foi realizado em tubetes de 55 cm3 preenchidos com vermiculita expandida. Após 45 dias em casa de vegetação foi analisada a porcentagem de estacas e miniestacas vivas, com calo e enraizadas. Nas miniestacas foliares e caulinares de matrizes juvenis foi analisado também o número de raízes, o comprimento da maior raiz, a massa seca da parte aérea, massa seca de raízes e a massa seca total. As raízes das miniestacas caulinares foram guardadas e posteriormente digitalizadas em um scanner. As imagens foram submetidas ao programa SAFIRA para quantificação da área superficial, e diâmetro das raízes. Os resultados indicam que as estacas foliares e caulinares de matrizes adultas apresentaram baixo percentual de estacas enraizadas, com calo e de sobrevivência. Verificou-se que estes experimentos não apresentaram diferenças estatisticamente significativas para as variáveis analisadas em função das doses de AIB. As miniestacas caulinares e foliares de matrizes juvenis apresentaram 100% de sobrevivência, e percentuais de enraizamento acima de 70 e 85% respectivamente. Não houve efeito significativo para as variáveis analisadas nos tratamentos das miniestacas foliares. Nas miniestacas caulinares verificou-se que as diferentes concentrações de AIB não tiveram efeito significativo sobre o enraizamento, calosidade, sobrevivência, MSPA, MSR, MST e comprimento das raízes. A área superficial, o diâmetro e número de raízes foram significativamente influenciados pela adição da auxina. Constatou-se que a adição de 8000 mg Kg-1 AIB em miniestacas favorece raízes mais vigorosas e o enraizamento de miniestacas de Inga edulis pode ocorrer sem a utilização do AIB.
Vegetative propagation techniques, such as cuttings and minicutting, constitute an alternative to overcome difficulties in the sexual propagation. In particular, of species that present peculiar characteristics, like the Inga edulis, of production of recalcitrant seeds. In this way, the objective of this research was to analyze the potential of cuttings and leaf and minicutting as a method of vegetative propagation for Inga edulis and the influence of different concentrations of IBA(indol-3-butyric acid). The vegetative material used in the research was collected from adult plants, present in the arboretum of the experimental area of the Department of Forest and Wood Sciences (DCFM), in the municipality of Jerônimo Monteiro, and juvenile plants of the clonal mini garden formed in the same area. The experiment was carried out in a completely randomized design, with different concentrations of IBA being tested. In the experiment we tested leaf and stem cuttings of adult matrices using seven concentrations of IBA (0, 1000, 2000, 4000, 8000, 16000 and 32000 mg Kg-1 ), five replications for leaf cuttings and four replications for stem cuttings, and in both, each experimental unit was formed by ten stakes. In the experiment of juvenile matrices, it tested leaf and stem minicuttings using five concentrations of IBA (0, 1000, 2000, 4000 and 8000 mg Kg -1 ), with five replicates and each experimental unit containing eight minicuttings. The staking was carried out in 55 cm3 filled with expanded vermiculite. After 45 days in greenhouse the percentage of cuttings and minicuts were analyzed, with callus and rooted. The number of roots, root length, dry shoot mass, root dry mass and total dry mass were also analyzed in leaf and stem minicuttings of juvenile matrices. The roots of the minicuttings were stored and later scanned in a scanner. The images were submitted to the SAFIRA program for surface area quantification and root diameter. The roots of the minicuttings were stored and later scanned in a scanner. The images were submitted to the SAFIRA program for surface area quantification and root diameter. The results indicate that the leaf and stem cuttings of adult matrices presented a low percentage of rooted cuttings, with callus and survival. It was verified that these experiments did not present statistically significant differences for the analyzed variables as a function of the IBA doses. The leaf and shoot minicuttings of juvenile matrices presented 100% survival, and rooting percentages above 70 and 85%, respectively. There was no significant effect for the variables analyzed in the leaf minicuttings treatments. It was observed that the different concentrations of IBA had no significant effect on rooting, callosity, survival, MSPA, MSR, MST and root length. The surface area, diameter and number of roots were significantly influenced by the addition of auxin. It was observed that the addition of 8000 mg Kg-1 AIB in minicuttings favors more vigorous roots and the rooting of minicuttings of Inga edulis can occur without the use of IBA.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7697
Aparece nas coleções:PPGCF - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
MarcianaChristoBerude-2018-trabalho.pdf2.21 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.