Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9005
Título: O trabalho dos psicólogos do Tribunal de Justiça do Espírito Santo do ponto de vista da atividade
Autor(es): Buscaroli, Magno Wesley
Orientador: Almeida, Ueberson Ribeiro
Coorientador: Gomes, Rafael da Silveira
Data do documento: 5-Dez-2016
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: Esta pesquisa teve como objetivo colocar em análise a atividade dos psicólogos que atuam nas Centrais de Apoio Multidisciplinar do Tribunal de Justiça do Espírito Santo. Este estudo prestou-se também a acompanhar as estratégias e ações protagonísticas que esses trabalhadores estão implementando e compartilhando entre si, reformulando a organização do trabalho nas Centrais e no próprio Tribunal. Daí o porquê de fazermos essa pesquisa do ponto de vista da atividade. Os principais intercessores teóricos convocados a fomentarem as análises foram Yves Clot e Christophe Dejours, assim como as contribuições de Michael Foucault. Como estratégia metodológica para a produção de dados, optamos por uma postura baseada na cartografia, onde tentamos acompanhar processos, movimentos e intensidades dos sujeitos. Para isso, foram realizadas 04 entrevistas com psicólogos das Centrais de Cariacica, Serra, Vila Velha e Vitória, gravadas e posteriormente transcritas. Essas entrevistas foram possibilitadas a partir de um roteiro que teve como funcionalidade, variar a conversa com as profissionais sobre tópicos mais estruturais que versavam sobre o serviço, seu cotidiano e práticas desenvolvidas. O roteiro abordou assuntos relativos a finalidade da Central de Apoio Multidisciplinar, a questão da autonomia dos trabalhadores para organizar suas ações no trabalho, sobre espaços de construção e compartilhamento de saberes e estratégias de trabalho, entre outras questões. Percebeu-se a partir das análises, que os psicólogos que atuam nas Centrais acrescentam algo de si às prescrições, criam espaços de discussão e de compartilhamento de estratégias de trabalho, voltam suas atenções ao cuidado com a vida e esmeram-se em desenvolver um trabalho bem-feito.
This research aimed to analyze the work of psychologists that act in the Centrals of Multidisciplinary Support of The Supreme State Court of Espirito Santo. It also fallowed the strategies and actions that these workers are implementing and sharing among them, and consequently altering the work in the Centrals and in The Supreme Court. That is the reason why it started form the point of view of work. The main theoretical intercessors summoned to foster the analysis were: Yves Clot and Christophe Dejours, as well as contributions from Michael Foucault. As far as methodology is concerned, we opted for an approach based on cartography, in which we try to follow the subjects' processes, movements and intensities. In order to achieve the goals, 4 psychologists from the Centrals of Cariacica, Serra, Vila Velha and Vitoria were interviewed. They were recorded and transcribed afterwards. The interviews were based on a script which target to vary the conversations with the professionals focusing on topics that were more structural to build the service and the practice developed on a daily basis. The script combined issues related to the final objectives of the Centrals of Multidisciplinary Support, to the workers autonomy to organize their actions, to the places where the workers build and share knowledge and work strategies, among other issues. It was perceived from the analysis that the psychlogists that work in the Centrals add something from themselves to their prescriptions, they build rooms for discussion and sharing of the work strategies. Their focus is life care and the attempt to develop a good job.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9005
Aparece nas coleções:PPGPSI - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_10541_Magno.pdf615.59 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.