Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10812
Título: Caracterização molecular de Anadenanthera colubrina (vell.) brenan. em fragmentos de Floresta Atlântica
Autor(es): SILVA, K. D. A.
Orientador: CALDEIRA, M.V.W.
Data do documento: 28-Set-2018
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: SILVA, K. D. A., Caracterização molecular de Anadenanthera colubrina (vell.) brenan. em fragmentos de Floresta Atlântica
Resumo: A fragmentação das áreas de vegetação nativa remanescentes e a crescente ação antrópica estão entre as principais ameaças para a conservação da biodiversidade e consequente redução da diversidade genética. Neste sentido, obtenção de informações que revelem os níveis de diversidade genética, bem como os processos que a mantém, tornam-se necessárias quando se deseja praticar medidas conservacionistas. O uso de marcadores moleculares para o conhecimento da variabilidade genética em nível de DNA torna-se ferramenta de destaque para tais estudos. Dentre as espécies arbóreas que ocorrem na Floresta Atlântica, destaca-se a Anadenanthera colubrina (Vell.) Brenan., por apresentar características relevantes de interesse econômico e em processos de recuperação de áreas degradadas. Assim, o presente estudo objetivou caracterizar a diversidade genética dentro e entre populações de Anadenanthera colubrina (Vell.) Brenan., amostradas em quatro fragmentos de Floresta Atlântica no sul do estado do Espírito Santo - ES utilizando marcadores moleculares Inter Single Sequence Repeats (ISSR). Amostras de DNA de 120 indivíduos foram analisadas utilizando doze primers ISSR, gerando 241 fragmentos, dos quais, 196 foram polimórficos (81,32%). Obteve-se como resultados, o conteúdo de informação polimórfica (PIC), com média 0,32, caracterizando os marcadores como informativos. O número ótimo de locus foi de 176. A diversidade genética intrapopulacional fundamentada no índice de Nei (H) e índice de Shannon (I) é média se considerarmos as populações separadamente (H = 0,211 a 0,272 e I = 0,320 a 0,410), e alta para a espécie considerando todos os locais (H = 0,363 e I= 0,535). Constata-se através da análise de variância molecular (AMOVA) que existe diversidade genética entre e dentro das populações dos fragmentos estudados, sendo que a maior parte da variação genética (73,64%) é encontrada dentro dos grupos. Também foi constatada alta diferenciação genética entre as populações (ΦST = 0,26), com pequenas taxas de fluxo gênico (Nm = 1,88), próximo do valor considerado limite para isolamento genético. Tais resultados confirmados pela abordagem bayesiana realizada pelo software STRUCTURE. Os dados obtidos permitiram identificar indivíduos adultos de A. colubrina nas áreas de estudo com potencial para serem utilizadas como matrizes em coleta de sementes, visto que apresentam significativa diversidade genética.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10812
Aparece nas coleções:PPGGM - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_12856_Dissertação Final Karla Daniele Araujo da Silva.pdf2.04 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.