Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10871
Título: OS MODOS DE CUIDADOS COM A VIDA QUE CIRCULAM NAS RUAS: AS RE(EXISTÊNCIAS) PRESENTES
Autor(es): FERRARI, J. B.
Orientador: LEAO, A.
Data do documento: 7-Dez-2018
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: FERRARI, J. B., OS MODOS DE CUIDADOS COM A VIDA QUE CIRCULAM NAS RUAS: AS RE(EXISTÊNCIAS) PRESENTES
Resumo: O presente trabalho tem por objetivo aproximar-se dos modos de cuidado com a vida, que circula nas ruas. Para tanto, buscou-se dialogar diretamente, com pessoas que vivem em situação de rua no Município de Vitória/ES, sobre os cuidados que os envolvem, a fim de ouvir a perspectiva dos próprios populares e não a partir do saber dos profissionais e serviços especializados. A dissertação foi estruturada em cinco principais capítulos. No primeiro, traçaram-se as premissas teóricas referentes ao cuidado, evidenciando a tênue linha entre cuidado e controle. No segundo, buscaramse os efeitos causados pelo capitalismo globalizado nos dias atuais, produzindo desigualdade e marginalização de uma parcela muito específica da população, interferindo no modo como o cuidado é construído. No terceiro, explicou-se a utilização do método da pesquisa-intervenção, pelo qual a pesquisadora busca transformar para conhecer, pretendendo falar com e não a partir de. Assim, no primeiro momento, foram procurados grupos voluntários, que têm contato com a população de rua no Município de Vitória/ES; no segundo momento, estabelecido contato com a população de rua por meio desses encontros, buscou-se conversar diretamente, com essas pessoas a respeito do cuidado com a vida. No quarto, de posse dos dados colhidos, foram descritas e problematizadas situações de cuidado com a vida narradas pela população de rua, notadamente em relação à alimentação, higiene pessoal, clima-tempo, descanso, saúde, violência de gênero, trabalho e renda, companheiros de rua, segurança, uso de drogas e redes de atendimento especializadas. Por fim, no quinto, discorreu-se a respeito das reflexões dos próprios populares de rua sobre como gostariam de ser cuidados. O trabalho permitiu afirmar que existem cuidados com a vida na rua e que esses são numerosos e mutantes; porém, de maneira geral, não são oriundos dos serviços especializados. A pesquisa também evidenciou que as políticas públicas devem levar em consideração o saber construído pela população de rua, pois são sujeitos dotados de autonomia e capacidade crítica para dizerem sobre o cuidado com a vida a que aspiram. Palavras-chaves: População de Rua. Cuidado. Políticas Públicas. Pesquisaintervenção. Psicologia.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10871
Aparece nas coleções:PPGPSI - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_12741_Jéssica Barcelos Ferrari20190205-142325.pdf2.27 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.