Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/2338
Título: Imprensa e impressos para a civilidade da infância: representações e apropriações (Vitória na segunda metade do século XIX)
Autor(es): Rocha, Luciane Paraiso
Orientador: Leite, Juçara Luzia
Palavras-chave: História do Espírito Santo
Imprensa e educação
Data do documento: 28-Set-2012
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: A dissertação, desenvolvida no âmbito do PPGE/UFES, estuda as representações sobre a infância que circularam nos jornais capixabas publicados em Vitória entre os anos de 1849 e 1869 e as representações para a infância que circularam em impressos com a intenção de educar e instruir, como alguns compêndios. Partimos do pressuposto que a infância é uma construção histórico-social-cultural e elaboramos a seguinte questão norteadora: as representações sobre a infância e para a infância que permeavam os textos dos intelectuais capixabas estavam enlaçadas a que interesses políticos, econômicos e sociais? Tivemos como hipótese que a presença de representações sobre e para a infância nos textos dos intelectuais capixabas (impressos e imprensa) estava permeada por apropriações de textos nacionais e internacionais, resultantes da circulação dessas representações. Concluímos que os textos estudados revelam o direcionamento da circulação de representações e suas apropriações, com o objetivo de formar futuros adultos e cidadãos imersos em uma dada leitura de civilidade. Nossas principais fontes foram os jornais Correio da Victoria, A Regeneração, O Tempo e o Jornal da Victoria e os impressos Compendio da Grammatica Portugueza para uso das escolas primarias (Luis da Silva Alves de Azambuja Suzano), História de Simão de Nantua ou o mercador de feiras (Laurent de Jussieu) e Thesouro de meninos(Pedro Blanchard). Fundamentamo-nos no esquema conceitual de Roger Chartier e nas noções de civilidade de Elias e intelectuais de Sirinelli. A pesquisa contou com bolsa da FAPES
The dissertation, developed under the PPGE/UFES, studies the representations of childhood that circulated in the capixabas newspapers, published in Victoria between the years 1849 and 1869, and the representations for childhood, circulated in print with the intent to educate and instruct, as some compendiums. We start from presumption that childhood is a social-historical-cultural construction and we elaborated the following question: representations of childhood and for the childhood that permeated the texts of capixabas intellectuals were entwined that political, economic and social? We hypothesized that the presence of representations of childhood in the texts of capixabas intellectuals (printed and press) was permeated by national and international text appropriating, resulting from the circulation of these representations. We conclude that the studied texts show the direction of movement of its representations and appropriations, with the goal of to form future adults and immersed citizens in a given reading of civility. Our principal sources were Correio da Victoria, A Regeneração, O Tempo e o Jornal da Victoria newspapers e Compendio da Grammatica Portugueza para uso das escolas primarias (Luis da Silva Alves de Azambuja Suzano), História de Simão de Nantua ou o mercador de feiras (Laurent de Jussieu) e Thesouro de meninos (Pedro Blanchard) compendiums. We based our research on the conceptual scheme of Roger Chartier, the Elias civility notions and Sirinelli intelectual notions. This research was sponsored by FAPES.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/2338
Aparece nas coleções:PPGE - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_6265_LUCIANE PARAISO ROCHA.pdf33.34 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.