Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3463
Título: Religião, identidade e estigmatização : Agostinho e os pagãos na obra De Civitate Dei
Autor(es): Coelho, Fabiano de Souza
Orientador: Feldman, Sérgio Alberto
Data do documento: 6-Abr-2011
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: Em 24 de agosto de 410 d.C., a cidade de Roma foi saqueada, por três dias e três noites, pelos visigodos comandados por Alarico. Tal episódio contribuiu para que os pagãos questionassem a nova ordem política e religiosa vigente no Império Romano a tempora christiana. Naquele tempo, Agostinho (354-430 d.C.), bispo da cidade de Hipona, norte da África romana, foi um dos principais personagens do debate entre cristãos e pagãos, além de também ter sido um dos maiores personagens da história da Igreja cristã e da humanidade. Este acontecimento em Roma levou o bispo Agostinho de Hipona a elaborar sua réplica aos pagãos uma apologia ao Cristianismo feita por meio dos XXII Livros da De Civitate Dei. A réplica foi dirigida aos aristocratas pagãos defensores do mos maiorum, em especial, àqueles que faziam parte do círculo intelectual liderado por Volusiano, cônsul de Cartago, e que resistiram à difusão da nova organização religiosa no Império Romano. Tendo como documentação primária a obra A Cidade de Deus, apresentaremos na presente dissertação a análise dos discursos do bispo Agostinho de Hipona, os quais redimensionaram a estrutura identitária cristã e, consequentemente, sintetizaram o processo social de estigmatização e exclusão dos pagãos.
The city of Rome was sacked on August 24 th , 410 A.D. by the Visigoths under Alaric’s command. The attack lasted three days and three nights. This episode led pagans to argue about the new political and religious order then adopted in the Roman Empire – the tempora christiana. At that time, Augustine (354-430 A.D.), who was Bishop of the city of Hippo (north of the Roman Africa), was one of the most important figures of the dispute between Christians and Pagans, as well as one of the most remarkable characters in the History of the Christian Church and of mankind. The sack of Rome led Bishop Augustine of Hippo write his replies to Pagans – an apology to Christianity – throughout the XXII Books of the De Civitate Dei. This response was presented to the aristocratic pagans that defended the mos maiorum, especially those participating in the intellectual circle guided by Volusiano, consul of Carthage, and those who opposed to the spread of the new religious organization within the Roman Empire. Taking the piece The City of God as primary documentation, this research paper will present an analysis of Bishop Augustine of Hippo’s speech, which redefined the Christian identifying structure, and as a consequence, summarized the social process of pagans’ distinction and exclusion.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/3463
Aparece nas coleções:PPGHIS - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_4646_Fabiano_de_Souza_Coelho.pdf783.65 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.