Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8331
Título: Glomerulopatias no Hospital Universitário Cassiano Antônio de Moraes: revisão do banco de dados de biópsias renais
Autor(es): NASERI, A. P.
Data do documento: 10-Out-2016
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: NASERI, A. P., Glomerulopatias no Hospital Universitário Cassiano Antônio de Moraes: revisão do banco de dados de biópsias renais
Resumo: Introdução: Asglomerulopatias (Gp) correspondem à terceira principal causa de progressão para doença renal crônica no mundo. Há uma grande variedade de tipos histológicos, e cada um deles apresenta características próprias e tratamento específico de acordo com a sua patogênese. Podem ser primárias ou secundárias. Objetivos: Identificaros tipos mais prevalentes de Gp em um hospital de referência no Espirito Santo (ES), as principais indicações clínicas para realização das BxR e a adequação da amostra de córtex renal; conhecer os dados epidemiológicos (idade, gênero, cor da pele) e laboratoriais (proteinúria/24horas, creatinina sérica, taxa de filtração glomerular e albumina sérica) gerais das Gp em um hospital referência. Método: Estudo transversal e retrospectivo de revisão de laudos histopatológicos de Gp arquivados no registro eletrônico do Serviço de Anatomia Patológica do HUCAM da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e análise dos respectivos prontuários médicos arquivados no Serviço de Arquivo Médico e Estatístico (SAME) do HUCAM/UFES no período de janeiro de 2008 a dezembro de 2015. Resultados: Foram revisados 415 laudos histopatológicos. As Gp primárias corresponderam a 215 casos (51,8%). As Gp secundárias corresponderam a 190 casos (45,78%).As Gp crônicas (sem outras especificações) corresponderam 10 casos (2,4%). A GESF foi a Gp primária mais frequente (108/26%), seguida por GpM(40/9,6%), GpMP (34/8,19%), GpLM(14/3,37%), NIgA (13/3,13%), GnDA (3/0,72%), glomerulopatiacrescêntica GpCr (2/0,48%) e a glomerulopatia proliferativa mesangial não IgA GpPM (1/0,24%). A NL foi a Gp secundária mais frequente, com 174 casos (41,9%), seguida por nefrite lúpus like (10 casos/2,4%), nefropatia diabética (4/0,96%), amiloidose (2/0,48%).As indicações de BxR por suspeita de Gp foram principalmente SNO (52,5%) e NL (21,6%). A mediana do número de glomérulos no córtex renal foi de 10 glomérulos.As Gp, de uma maneira geral predominaram no gênero feminino (62,27%), em pardos (46%) e nas 3ª (25,9%) e 4ª(22,27%) décadas de vida. A mediana de proteinúria de 24hs foi de 3500mg/24hs, a de creatinina foi de 1,1mg/dL e a TFG foi de 80ml/min/m², com albumina sérica de 2,34mg/dL. Conclusão: A NL foi a Gp mais frequente seguida por GESFprimária. A principal indicação clínica para BxR foi SNO. As amostras do córtex renal estavam adequadas para avaliação histopatológica. As Gp predominaram em indivíduos pardos, do gênero feminino, entre a 3ª e 4ª décadas de vida, com proteinúrianefrótica e com discreta alteração da função renal.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8331
Aparece nas coleções:PPGMED - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_10335_DISSERTAÇÃO_MESTRADO_ALICE_PIGNATON_NASERI.PDF74 BAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.