Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9991
Título: RESPOSTAS DA COMUNIDADE DE ALGAS PERIFERICAS SOB DIFERENTES INTENSIDADES DE LUZ NA LAGOA DA UFES (VITORIA-ES)
Autor(es): COSTA, A. G.
Orientador: FERNANDES, V. O.
Coorientador: FALQUETO, A. R.
Palavras-chave: Palavras-chave: Algas perifíticas
Lagoa da UFES
Luz
Suces
Data do documento: 24-Fev-2011
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: COSTA, A. G., RESPOSTAS DA COMUNIDADE DE ALGAS PERIFERICAS SOB DIFERENTES INTENSIDADES DE LUZ NA LAGOA DA UFES (VITORIA-ES)
Resumo: RESUMO Este estudo visou avaliar as respostas da comunidade de algas perifíticas sob diferentes intensidades de luz no decorrer da sucessão em uma lagoa artificial tropical rasa (lagoa da UFES, Vitória). Uma estrutura experimental, contendo lâminas de vidro como substrato, foi implantada na região limnética da lagoa, onde três tratamentos foram estabelecidos: 100% da radiação incidente; 30% de sombreamento e 50% de sombreamento. Foram realizadas sete amostragens, com intervalos de dois a sete dias, durante 29 dias de colonização. Determinaram-se: temperatura (ar/água), sólidos totais suspensos, turbidez, pH, alcalinidade, profundidade, transparência, zona eufótica, oxigênio dissolvido, condutividade elétrica, salinidade, clorofila a da água, nitrogênio amoniacal, nitrito, nitrato, ortofosfato, fósforo total e ortossilicato. Os dados climatológicos (pluviosidade, temperatura do ar, radiação solar e velocidade do vento) foram obtidos na estação meteorológica do Incaper. In situ também foi determinada a porcentagem da radiação incidente na subsuperfície dágua para cada tratamento. Avaliaram-se os seguintes atributos da comunidade: riqueza de táxons, densidade, abundância, dominância, diversidade específica, eqüitabilidade, massa seca, massa seca livre de cinzas, cinzas, concentração das clorofilas a, b, carotenóides, feopigmentos e razão clorofila a:feopigmentos. Com base na biomassa perifítica, foram aplicados os índices de Lakatos e o índice autotrófico. Foram registrados 54 táxons de algas com predomínio qualitativo de clorofíceas, cianobactérias e diatomáceas. O padrão de sucessão da comunidade quanto à riqueza, densidade e biomassa foi semelhante entre os tratamentos, sendo determinado, principalmente, pelos processos autogênicos. Entretanto, maiores índices pluviométricos e concentrações de nutrientes favoreceram o aumento de biomassa e densidade nos estágios finais, quando as diferenças entre os tratamentos foram mais evidentes. A riqueza e a densidade total foram menores sob baixas intensidades luminosas. Por outro lado a diversidade e equitabilidade não apresentaram respostas sensíveis. As clorofíceas apresentaram maior contribuição nos estágios iniciais de sucessão, sendo substituídas pelas diatomáceas nas fases intermediárias e pelas cianobactérias nos estágios finais. Apesar da semelhança no padrão sucessional entre tratamentos, clorofíceas (representadas principalmente por Tetraedron minimum) e diatomáceas (representadas principalmente por Nitzchia palea) apresentaram nítida redução na densidade sob menores intensidades luminosas. Em nível de Classe, as cianobactérias não apresentaram preferência diante das diferentes condições de luz. Porém, em nível específico, Merismopedia insignis e Heteroleibleinia sp. se desenvolveram melhor sob menores intensidades luminosas. As concentrações de pigmentos fotossintetizantes apresentaram respostas sensíveis, aumentando com o maior sombreamento imposto pelos tratamentos (fotoaclimatação). A massa seca, as cinzas e os índices biológicos não variaram significativamente entre tratamentos. Exceção fez-se ao índice autotrófico e ao de Lakatos baseado em clorofila a, que foram sensíveis nas fases finais da sucessão. A massa seca livre de cinzas, assim como a densidade, respondeu de forma inversa aos pigmentos, indicando redução na produção de biomassa sob condições de maior sombreamento. Os resultados evidenciaram que o perifíton da lagoa da UFES apresenta respostas sensíveis às diferentes intensidades de luz, contribuindo para o conhecimento da função desta variável como fator controlador da comunidade em sistemas lênticos tropicais.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9991
Aparece nas coleções:PPGBV - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_5187_DISSERTAÇÃO FINAL - ADRIANO.pdf2.14 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.