Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/4136
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorRamos, R.
dc.date.accessioned2016-08-29T15:32:51Z-
dc.date.available2016-07-11
dc.date.available2016-08-29T15:32:51Z-
dc.identifier.citationSALGADO, A. L., Análise Experimental da Variabilidade Induzida Por Acidentes de Linha na Medição de Vazão Ultrassônica Por Tempo de Trânsitopor
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/4136-
dc.format.mediumtexten
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.titleAnálise Experimental da Variabilidade Induzida Por Acidentes de Linha na Medição de Vazão Ultrassônica Por Tempo de Trânsitopor
dc.typemasterThesisen
dcterms.abstractEste trabalho se dedica à medição de vazão com a pretensão de se lidar com as peculiaridades relacionadas ao assunto, analisando experimentalmente os efeitos de acidentes de linha na variabilidade da medição de vazão por ultrassom, acidentes estes, comumente encontrados em instalações industriais. Para isso, avaliou-se a influência de quatro tipos de acidentes, posicionados a diferentes distâncias em relação ao medidor por ultra-som por tempo de trânsito. Variou-se, também, a vazão. Foi utilizado um túnel de vento operando em ar atmosférico, induzido por um compressor. Os resultados demonstram o quão peculiar é a medição de vazão e o quanto deve ser estudado o assunto, pois foram observados comportamentos que diferem das observações mais inadvertidas e leigas sobre o assunto. Por exemplo, apesar do controle do escoamento induzido, observado no pequeno valor do desvio entre as médias dos dados coletados e a média geral (desvio máximo de 2%), observou-se, após vários testes, que os dados coletados na presença de um dos acidentes (duas curvas de 90° em planos ortogonais) apresentaram um comportamento diferente dos demais acidentes. Neste caso, o desvio padrão se mostrou maior para o caso onde a distância entre o medidor e o acidente se encontrava no seu maior comprimento, divergindo das recomendações de fabricantes e das normas, que determinam uma distância mínima a partir da qual a qualidade da medição pode ser considerada boa. Logo, as medições também estão sujeitas à dinâmica do escoamento, não podendo assim, garantir a qualidade da medição. O ideal seria a determinação do ponto onde ocorre a menor variabilidade ou uma variabilidade menor que à proposta pelo fabricante. Palavras-chave: medição de vazão, medição ultrassônica, incerteza, tempo de trânsito.por
dcterms.creatorSALGADO, A. L.
dcterms.issued2009-12-16
dcterms.subjectmedição de vazãopor
dcterms.subjectmedição ultrassônicapor
dcterms.subjectincertezapor
dcterms.subjecttempo depor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Engenharia Mecânicapor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.publisher.courseMestrado em Engenharia Mecânicapor
dc.contributor.refereeMattos, M. C.
dc.contributor.refereeLOUREIRO, B. V.
dc.contributor.refereeQUARESMA, J. N. N.
Aparece nas coleções:PPGEM - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_4069_Dissertação Alex Luz Salgado.pdf2.37 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.