Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7238
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorMello, André da Silva-
dc.date.accessioned2018-08-01T21:36:25Z-
dc.date.available2018-08-01-
dc.date.available2018-08-01T21:36:25Z-
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/7238-
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.subjectCotidiano escolarpor
dc.subjectPhysical Educationeng
dc.subjectEducação Infantilpor
dc.subjectUsos e apropriaçõespor
dc.subjectEarly Childhood Educationeng
dc.subjectGameeng
dc.subjectUses and appropriationseng
dc.subjectSchool routineeng
dc.titleO jogo na educação física da educação infantil : usos e apropriações em um CMEI de Vitória-ESpor
dc.typemasterThesisen
dc.subject.udc796-
dc.subject.br-rjbnJogospor
dc.subject.br-rjbnEducação de criançaspor
dc.subject.br-rjbnEducação físicapor
dcterms.abstractAnalisa os usos e as apropriações que as crianças e a sua professora fazem do jogo, no contexto das aulas de Educação Física, em um Centro Municipal de Educação Infantil de Vitória/ES. A matriz teórico-epistemológica adotada preconiza que o jogo é uma manifestação cultural consumida de maneira produtiva pelos praticantes do cotidiano escolar, em um processo de uso que é fruto das suas táticas em frente às estratégias que lhes são impostas. Orienta-se pela perspectiva sociológica que concebe as crianças como cidadãs, sujeitos de direitos com categoria social própria, a infância, que produzem culturas e conhecimentos. Utiliza, como pressuposto teórico-metodológico, os Estudos com o Cotidiano e, como instrumentos para a produção dos dados, a entrevista semiestruturada, a observação participante, que foi sistematizada em diário de campo, documentos pedagógicos e registros iconográficos. As análises indicam que não há um fio condutor que organiza o planejamento das práticas da professora e demonstram que seus usos e apropriações do jogo ocorrem de maneira incidental e não linear, ora vinculados à Abordagem Desenvolvimentista, ora mais próximos de uma concepção sociológica, que reconhece as crianças como produtoras de cultura, respeitando as suas necessidades geracionais. Com relação aos usos e apropriações das crianças, o trabalho destaca três contextos: a) quando o jogo é a atividade principal da aula, percebe-se um consumo produtivo por parte das crianças, em que elas transformam as atividades lúdicas de acordo com os seus interesses e expectativas; b) quando o jogo não é a atividade principal da aula, identificam-se ações táticas, em que as crianças criam jogos paralelos ou contextos lúdicos dentro da proposta da docente; e c) nas aulas não diretivas, os usos e apropriações que as crianças fazem do jogo denotam a sua autonomia na produção de culturas e conhecimentos. Quanto à participação das crianças na coconstrução das aulas, identifica contradições que revelam as diversas concepções de infância que perpassam a prática pedagógica compartilhada e possibilidades que valorizam o protagonismo infantil no processo de ensino-aprendizagem da Educação Física na Educação Infantil.por
dcterms.abstractThis research study analyzes the uses and appropriations that children and their teacher make of the game, in the context of Physical Education classes, in a Municipal Center for Early Childhood Education at Vitória/ES. The theoretical-epistemological source adopted states that the game is a cultural manifestation productively consumed by practitioners of everyday school life, in a process of use which is the result of their tactics in face of the strategies imposed on them. It is guided by the sociological perspective that conceives children, who produce culture and knowledge, as citizens, subjects of rights, having their own social category, childhood. This research relies on Studies with the Quotidian as its theoreticalmethodological assumption and, as tools for the production of data, it relies on the semistructured interview, on the participatory observation, which was systematized in a journal, on pedagogical documents as well as on iconographic registers. The analyses indicate that there are no guidelines that organize the planning of teacher practice and show that her uses and appropriations of the game occur in an incidental and non-linear way, sometimes linked to the Developmental Approach, other times closer to a sociological conception, which recognizes children as producers of culture, respecting their generational needs. With respect to children’s uses and appropriations, the study highlights three contexts: a) when the game is the main activity of the class, a productive consumption by children is perceived, in which they transform play activities according to their interests and expectations, b) when the game is not the main activity of the class, tactical actions are identified, in which children create side games or entertaining contexts within the teacher's proposal, and c) in non directives classes, uses and appropriations that children make of the game denote their autonomy in the production of culture and knowledge. Regarding the participation of children in the coconstruction of classes, contradictions that reveal the various conceptions of childhood that go through the shared pedagogical practice and possibilities that value the child leading role in the teaching-learning process of Physical Education in Early Childhood Education are identified.eng
dcterms.creatorKlippel, Marcos Vinicius-
dcterms.formatTextpor
dcterms.issued2013-03-22-
dcterms.languagePor-
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Educação Físicapor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.subject.cnpqEducação Físicapor
dc.publisher.courseMestrado em Educação Físicapor
dc.contributor.refereeDrago, Rogério-
dc.contributor.refereeSantos, Wagner dos-
Aparece nas coleções:PPGEF - Dissertações de mestrado



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.