Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7916
Título: Papel da atividade simpática renal na hipertensão arterial provocada pela hiperuricemia
Autor(es): Moura, Quézia Pires de
Orientador: Cabral, Antônio de Melo
Coorientador: Cunha, Roberto de Sá
Data do documento: 24-Set-2008
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: Os mecanismos fisiopatológicos que envolvem a relação entre hiperuricemia e hipertensão arterial (HA) são ainda pouco conhecidos. Com o intuito de contribuir para explicar o mecanismo fisiopatológico que envolve hiperuricemia e HA é que este estudo teve como objetivo avaliar o papel da Atividade Simpática Renal (ASR) no desenvolvimento da HA induzida por hiperuricemia em ratos. Foram utilizados ratos Wistar (250g) divididos em grupos controle e experimental. Cada um destes grupos foi dividido nos seguintes subgrupos (n=6): CTRL não receberam OA 2%; CTRL DESN não receberam OA 2% e foram submetidos à desnervação renal bilateral; AOX receberam OA 2% e AOX DESN receberam OA 2% e foram submetidos à desnervação renal bilateral. Os animais foram colocados em gaiolas metabólicas por 3 e 7 semanas onde foram ou não tratados com OA 2% e tiveram suas urinas coletadas diariamente. Os valores basais de pressão arterial média (PAM) e freqüência cardíaca (FC) foram medidos ao final do tratamento. A estimativa da ASR foi realizada através de manobra aguda de expansão volumétrica que sabidamente produz retirada simpática. Para isso, os animais foram submetidos á infusão contínua (55 mL/min) de salina por 2 horas. Após esse período de estabilização, amostras de urina foram coletadas por um período controle (C1e C2), período de expansão, no qual a velocidade de infusão foi aumentada ao equivalente em volume a 5% do peso corporal do animal, (E1, E2, E3) e período de recuperação, onde houve o retorno à velocidade de infusão inicial, (R1, R2 e R3). Terminada essa fase foi retirada uma amostra de sangue dos animais e as concentrações plasmáticas de ácido úrico (AU) e creatinina foram determinadas. A seguir os animais foram sacrificados e ambos os rins removidos, pesados e fixados em formol para posterior análise histológica. Os resultados foram apresentados como média ± erro padrão da média (EPM) e analisados utilizando-se da análise de variância para medidas repetidas seguida do teste de Tukey. Os resultados mostraram que os ratos do grupo experimental apresentaram aumento na concentração plasmática de AU (mg/dL) quando comparados com os ratos do grupo controle (AOX 1±0,06 mg/dL; AOX DESN 1±0,1 mg/dL; CTRL 0,8±0,08; CTRL DESN 0,7±0.08; p<0.05). Os valores acumulados por 3 semanas da excreção diária de sódio mostraram que os ratos do grupo AOX e AOX DESN excretaram menor quantidade de sódio na urina quando comparados com os ratos do grupo CTRL (15 ± 2,6 vs 44 ± 5,0 mEq; p<0.01 e 27±4,8 vs 44 ± 5,0 mEq; p<0.05 ). Após 7 semanas de tratamento, foi observado que os valores basais de PAM foram maiores nos animais do grupo AOX quando comparado ao grupo CTRL (120 ± 3 vs 102 ± 2 mmHg; p<0.01) e grupo AOX DESN (120 ± 3 mmHg vs 101 ± 0,7; p<0.01). O grupo AOX apresentou aumento maior no fluxo urinário (FU) e excreção de sódio (ExNa) induzidos pela sobrecarga hidrossalina quando comparados ao grupo CTRL (141±18,3 vs 62±27,1 ?L/min/g; p<0.01 e 16± 0,8 vs 10±1,8 ?Eq/min/g; p<0.05) e, sobretudo, quando comparados ao grupo AOX DESN (141±18,3 vs 27±2,6 ?L/min/g; p<0.01 e 14± 3,1 vs 3±0,2 ?Eq/min/g; p<0.01). O grupo AOX apresentou aumento na concentração da creatinina plasmática quando comparados com o grupo CTRL (0,82±0,05 vs 0,66±0,04 mg/dL; p<0.05). Os grupos AOX e AOX DESN mostraram uma aparente hipertrofia das arteríolas aferentes, focos de aumento de matriz extracelular intertubular e hipertrofia glomerular. O principal resultado deste estudo foi o aumento da ASR em ratos com hiperuricemia e HA. Tal aumento pôde ser observado pela retenção crônica de sódio e aumento maior FU e ExNa após a retirada simpática produzida pela expansão volêmica. Tal interpretação foi ainda sustentada pelo fato de que a desnervação renal bilateral ter sido capaz de prevenir o acúmulo de sódio, a elevação na pressão arterial e o aumento do FU e ExNa em resposta a expansão volêmica.
The pathophysiology mechanisms involving hyperuricemia and arterial hypertension are still unknown. With the aim of contributing to the knowledge of pathophysiology mechanism that involves the relationship between hiperuricemia and arterial hypertension this study was carried out to observe if renal sympathetic activity (RSA) is involved. Wistar male rats (250g) were divided in control and experimental groups. Each one of these groups was divided in the following subgrups (n=6): control (CTRL); treated with oxonic acid (OA) 2% (AOX); CTRL submitted to bilateral renal denervation (CTRL DENS); and AOX submitted to bilateral renal denervation (AOX DENS). The animals were placed in metabolic cages by 3 and 7 weeks to collect daily urine samples and the OA treatment was implemented. The basal values of mean arterial pressure (MAP) and heart rate (HR) were measured at the end of the OA treatment period. The estimate role of RSA was accessed through acute extracellular volume expansion (5% of body weigh) that produces a sympathetic withdraw. For that, the animals were submitted i.v. saline infusion (55 L/min) for 2 hours. After that period of stabilization, urine samples were collected over two 10 min of control (C1e C2), 3 expansion (E1, E2, E3), and 3 recovery periods. On the recovery periods (R1, R2, R3), the i.v. saline infusio was returned to the control rate (55 L/min). Subsequetly, samples of blood were collected to measure the plamatic concentrations of uric acid (UA) and creatinin. Under general anestesia, the animals were sacrificed and both kidneys removed to normalize the urine flow and sodium excretion, and subsequent histology. The results showed that the rats treated with OA presented increase in the plamatic concentration of UA (mg/dL) when compared with control animals (AOX 1 ± 0.06 mg/dL; AOX DESN 1 ± 0.1 mg/dL; CTRL 0.8 ± 0.08; CTRL DENS 0.7 ± 0.08; p <0.05). The accumulated values (3 weeks) of the daily excretion of sodium showed that the AOX and AOX DESN rats excreted smaller amount of urinary sodium when compared with CTRL animals (15 ± 2.6 vs 44 ± 5.0 mEq; p <0.01 and 27 ± 4.8 vs 44 ± 5.0 mEq; p <0.05). After 7 weeks of treatment, the basal values of MAP were higher in the AOX when compared to the CTRL group (120 ± 3 vs 102 ± 2 mmHg; p <0.01). The renal denervation prevented 14 this elevation in MAP (AOX DESN: 101 ± 0.7; p <0.01). Compared to the CTRL (141 ± 18.3 µL/min/g of kidney), the AOX group presented increase (27 ± 2.6 µL/min/g; p <0.01) in the urinary flow rate and in sodium excretion (NaEx) (16± 0,8 vs 10±1,8 µEq/min/g; p<0.05), and especially if compared to the AOX DESN group (141±18,3 vs 27±2,6 µL/min/g; p<0.01 e 14± 3,1 vs 3±0,2 µEq/min/g; p<0.01). When compared with the CTRL, the AOX group presented increase in the plasma concentration of creatinin (0.82 ± 0.05 vs 0.66 ± 0.04 mg/dL; p <0.05). The AOX and AOX DESN showed an apparent hypertrophy of the afferent artery, increase of intertubullar extracelullar matrix and glomerullar hypertrophy. The principal result of this study was the increase of SRA in rats that deveped arterial hypertension due to hyperuricemia. The SRA and sodium retention could be a major responsible for the hypertension once the bilateral renal denervation prevented the sodium retension and the augment of arterial hypertension.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7916
Aparece nas coleções:PPGCF - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_2999_Dissertação Quézia Pires de Moura.pdf346.53 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.